Pesquisar neste blog

sábado, 31 de maio de 2014

Genival Santos - engenheiro civil

O Industrial e engenheiro civil, JOSÉ GENIVAL DOS SANTOS, filho de Manuel Aires dos Santos(in memoriam) e Francisca Raimunda da Costa, nasceu no dia 03 de Junho de 1955, no município de Riacho de Santana-RN. 

Em 05 de dezembro de 2008, recebeu o título de cidadão apodiense através da resolução n° 157/2008, proposição do Vereador Francisco Nilson Fernandes de Lima. Teve sua infância marcada pelo trabalho na roça, ajudando a seu pai, o popular Cícero Santos a sustentar a família, juntamente com seus irmãos: Sales, Chagas, Gervásio e Márcio. Aos 13 anos de idade, teve que deixar o convívio familiar, pois fora aprovado no exame de admissão para ingressar no Ginásio Agrícola de Ceará-Mirim, onde permaneceu interno de 1969 a 1972, quando concluiu o curso ginasial naquele excelente internato escola- modelo da época. 

Em 1973 o menino superdotado, foi aprovado para cursar Eletrotécnica na Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte e concluiu o referido curso em 1975. Na sua juventude, passou a maior parte trabalhando e estudando. Pouco se divertia porque os recursos eram parcos e apenas ia à praia aos domingos, com amigos estudantes que sempre arrumavam um jeitinho de enganar o cobrador do ônibus e fugiam pela porta traseira sem pagar a passagem. Genival por ser muito dedicado aos estudos, sempre foi o orgulho da família Santos e em 1976 foi aprovado no vestibular de Engenharia Civil da UFRN- Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 

A vida de Genival, menino pobre lá do sertão do oeste potiguar, foi de muitas dificuldades, mas, ele enfrentou e venceu todas com nobreza. Quando morava na casa do estudante de Natal e na residência universitária da UFRN, para não pagar as taxas de moradia e ganhar as refeições, trabalhava como monitor na biblioteca num expediente e estudava no outro expediente. Após ingressar na UFRN, surgiram novas oportunidades que foram mudando sua condição de vida.  Certo dia, foi convidado para fazer um estágio remunerado na Secretaria de Planejamento da Prefeitura de Natal, atuando na área de fiscalização de obras. Trabalhou também como professor de matemática na escola Técnica do Comércio no bairro da Ribeira. Nesta fase, a vida do jovem universitário era só alegria e satisfação por estar atingindo seus objetivos pessoais e profissionais.

Em 1979, em visita à cidade de Apodi, para participar dos jogos universitários da ACENIS, conheceu a jovem Vilmaci Viana, por quem se apaixonou à primeira vista e logo em seguida convidou-lhe para ser sua madrinha de formatura na turma de 1980. Após sua formatura, Genival conquista seu primeiro emprego como engenheiro na construtora GTO na cidade de São Paulo. Nessa empresa, participou da construção dos conjuntos Itaquera I, II e III. Em 1984, mudou-se para o estado de Rondônia, o qual se encontrava em pleno desenvolvimento e lá executou uma das mais importantes obras do estado: a construção da base Aérea de Porto Velho. Em 1988 associou-se a empresa Potiguar Construções e Comércio Ltda, vindo a executar diversas obras no interior do estado: Escola Tiradentes da Polícia Militar, praças, igrejas, escolas estaduais, casas, postos de saúde e estradas.

Em 22 de setembro de 1988, casou-se na cidade de Porto Velho com a escritora apodiense Vilmaci Viana e no ano seguinte nasceu o seu maior patrimônio Anabele Viana Santos. Sempre de olho no futuro, o empreendedor Genival Santos, fundou em 1997, sua própria construtora a CBN- Construções e Instalações Brasil Norte, chegando a executar diversos projetos que lhe garantiram sucesso profissional nas terras do Marechal Rondon. Em 1998, atendendo a convite do seu sogro, Ex- prefeito de Apodi, Valdemiro Pedro Viana, retornou com sua família para o estado do Rio Grande do Norte, fixando residência em Apodi e Natal. Passou então, a ser o administrador da Cerâmica Santa Rosa de propriedade da família Viana. Com a sua chegada a cerâmica passa a ser reestruturada e oferecer um produto de excelente qualidade, vindo assim a conquistar a clientela da região oeste do estado do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba.

Em 2007 amplia seus negócios e constrói sua própria empresa CERAMICA SAVANA, uma fábrica mais moderna e capaz de atender as exigências do mercado interno e externo.

Em 2010, em sociedade com sua filha, Anabele Viana Santos, compra da família Viana a CERAMICA SANTA ROSA, que junto com a CERAMICA SAVANA, emprega cerca de cem chefes de família daquele município. Industrial bem sucedido, amigo e solidário, Genival é um exemplo de empreendedor que ama e trabalha incansavelmente em prol do desenvolvimento do município que lhe adotou como filho, Apodi.

Seu maior prazer é trabalhar, ler, ver esportes na tv, tomar um bom vinho, ficar em casa com sua família, admirar e acariciar Anabele, seu amor maior.

Fonte: Vilmaci Viana - Blog http://vivicultura.blogspot.com.br/

terça-feira, 27 de maio de 2014

Meninos e menina - Aluísio Barros

Não importa a nudez da Lua, não importa.
A rua, agora, se deseja absoluta
e aorta de tudo que sai da boca
antes muda do homem
A Rua já não se suporta solitária e surda...
A Rua se desnuda e se abre em pétalas
livres.

"Anjo Torto" - Aluísio Barros 

Convite - Lançamento do Edital RN Sustentável em Apodi-RN


A Coordenação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário – CMDS do Município de Apodi/RN vem através deste convocar todos os presidentes de associações e organizações que atuam no município de Apodi/RN para participar do Ato de lançamento do Edital do RN Sustentável, que ocorrerá no Auditório do Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais de Apodi. 

Dia 28 de Maio (próxima quarta) a partir das 8 horas.

Na certeza da presença de todos agradecemos antecipadamente.

A Coordenação do CMDS – Apodi/RN

domingo, 25 de maio de 2014

Sem título - Aluísio Barros

Errante e solitária
mas cheia de perturbação
a mão dança no ventre

Luz vacilante balançante teto
tédio

Pensamento não-inerte,
mas sem destino;
as ideia? ai, as ideias!

Errante a vida dança no fio:
desequilibrada;
mas tentando alcançar o meio-fio.

E cai mais duas vezes num só quarto de dormir.
É inútil esse jogo de dor e bebida.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira. 

sábado, 24 de maio de 2014

Vigília - Aluísio Barros

Quem me invade a rua
onde repousa essa vontade morta
de não mais sorrir nem cantar?

Quem me bata à porta
e ameaça este silêncio
que me aperta o coração?

Quem me invade
agora que não estou mais em mim?

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

Projeto Aluno de Ouro premia alunos na Escola Isabel Aurélia Torres

Por Roberland Queiroz

Durante esta sexta-feira (23/05), na Escola Municipal Isabel Aurélia Tôrres (EMIAT) no Sítio Córrego em Apodi, teve início o projeto "Aluno de Ouro" que irá premiar os alunos, do 6º ao 9º ano, com melhor desempenho envolvendo diversos critérios como frequência, participação, comportamento, notas individuais e coletivas, além da presença dos pais ou responsáveis nas reuniões escolares.


O evento contou com a presença dos professores, gestores, coordenadora, funcionários e alunos do curso de Letras do NAESA-UERN, que ministraram um curso básico de Espanhol aos estudantes do 6º ano.

Na ocasião foi exposto o regulamento do projeto a todos os alunos participantes e divulgado o resultado do 1º bimestre, lembrando que a cada bimestre serão escolhidos o 1º colocado de cada ano/série, além do ranking parcial acumulativo como uma prévia da cerimônia de premiação do “Aluno de Ouro” que será realizado ao final do ano letivo, onde o referido aluno irá ganhar um tablet.

Os organizadores do projeto agradecem a colaboração das empresas que já estão apoiando. São eles: Ponto da Informática, CDL - Apodi, CK Comunicação Visual, Ótica Atraente, Êxitus Contabilidade e Dental Med, além do blog do Josenias Freitas, blog do Toinho, blog Tudo de Apodi e do programa Alô Educação.

Os alunos vencedores do 1º bimestre foram: 
- Luyanne Camylle da Costa Torres – 6º ano
- Fernando José de Oliveira Torres – 7º ano
- Victória Cristina Anízia de Souza – 8º ano
- Antônia Ângela Torres – 9º ano

Nota do blog.: Parabéns pela iniciativa. Muito bom. 

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Apodi Terra Futura - As riquezas de Apodi



Por Júnior Costa - artista da terra e equipe

Retrato em preto & branco - Aluísio Barros

Canto uma cidade que corrói
- Andamos doídos, eu e os amigos,
de tanto amor não-produzido
na vida
da cidade que nos habita.

E este canto escorre
em bares sujos
escuros
mudos
do “beco das frutas”
inundado pelo aroma do mijo:
- As baratas habitam a cidade
ratos comandam as ruas sujas
escuras
não-mudas
do centro-vazio...
da cidade-noturna
invadida de modo inesperado
por motos embriagadas
e tontas
de “loló”, “baseados” e
ingênuas
inocentes
indecentes
doses letais
de vodka
cachaça
uísque americanalhado em cabeças tontas
e faróis ligados.
- Canto uma cidade que se corrói...

Anjo Torto
Aluísio Barros de Oliveira

Isabel Aurélia realiza projeto Aluno de ouro ano 2014


A Escola Municipal Isabel Aurélia Tôrres se propôs, no ano de 2014, a dar início ao “PROJETO ALUNO DE OURO”. Este projeto foi sugerido e acatado em uma reunião pedagógica no início do ano letivo, onde teve a participação dos professores, gestores e coordenadora pedagógica.

O mesmo surgiu da necessidade de incentivar os alunos nos, além de combater a evasão escolar e outros fatores que atrapalham diretamente o processo de ensino-aprendizagem, tais como: indisciplina, desinteresse, falta de participação e assiduidade nas aulas, etc. Todos esses pontos serão observados pelo corpo docente da EMIAT e avaliados através de uma ficha que contemplam todos os itens, além das notas bimestrais, haja visto que nosso propósito é escolher um aluno “NOTA 10”, em notas e atitudes indispensáveis a um bom cidadão e a sua vida profissional.

Outros critérios importantes para a escolha do aluno serão o acompanhamento dos pais, como uma forma de estimular a participação da família no contexto escolar e o desempenho coletivo da série/turma, visando uma melhor socialização e cooperação entre os alunos.

Dessa forma estimularemos uma competição saudável, tendo seu desempenho e dedicação escolar reconhecidos pela escola. Ressaltamos que o “PROJETO ALUNO DE OURO” é de cunho educativo e social, pois visa colaborar para o prazer e gosto pela leitura e a escrita, além de habilidades em cálculos, construindo competências e destrezas indispensáveis na vida, fortalecendo a atuação, com conhecimentos, dignidade e respeito, na busca da cidadania plena, assegurando seus direitos e exercendo seus deveres.

Ao final de cada bimestre, divulgaremos os 03 (três) primeiros colocados de cada série/ano escolar, classificando-os em um ranking geral da escola, concedendo certificados aos mesmos, além de premiar o primeiro lugar geral e brindes ao primeiro lugar da série/ano. Esse resultado será acumulativo, o que culminará com uma cerimônia, ao final do ano letivo, onde anunciaremos o “ALUNO DE OURO 2014” da EMIAT.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Agricultores são treinados para evitar desperdício de frutas

A comunidade do Córrego, Apodi RN, já começa a sentir os efeitos do projeto “Uso da Tecnologia da Extração a Vapor para produção de Sucos de Frutas Produzidas no Sertão do Apodi”, que ganhou o Prêmio Santander - Universidade Solidária. O projeto de extensão, de autoria do professor Vinicius Claudino, da Faculdade de Ciências Econômicas (FACEM), está preparando os agricultores para evitar o desperdício, a partir da fabricação de subprodutos das frutas.

O foco principal será a produção de sucos com o uso de um utensílio (Macanuda), semelhante a uma grande cuscuzeira para extração do suco a vapor. O aparelho que está sendo adquirido pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), como resultado do prêmio conquistado pela instituição, deve chegar à comunidade nos próximos dias. A partir daí, os moradores irão produzir os sucos que serão comercializados através da Associação de Mini Produtores de Córrego e Sítios Reunidos (AMPC), parceira da UERN.

Além da preparação para o uso da tecnologia de extração a vapor, os agricultores estão aprendendo a fabricar doces desidratados, tomate seco, barras de cereal, geleias e biscoitos com as sobras das frutas. Há uma variedade de produtos com sabores de frutas produzidas na comunidade como caju, cajarana, goiaba, acerola, manga e abacaxi.

Envolvimento da comunidade em projeto da UERN impressiona visitantes

A capacitação, que está sendo dada pela Embrapa aos trabalhadores rurais do Sítio Córrego do Apodi, foi acompanhada na tarde desta quarta-feira (21) pelo Reitor Pedro Fernandes e pelo professor Miguel Dall’Agnol, representante da Universidade Solidária (UniSol) /Banco Santander.

Calixto Lima, pesquisador na área de Transferência de Tecnologia da Embrapa, disse que em Córrego a capacitação está sendo diferenciada da que já havia aplicado em diversas comunidades. “Geralmente capacitamos alunos e aqui estamos ensinando os agricultores para a produção industrial”, afirmou.

Luís Eujânio Torres, presidente da Associação dos Mini Produtores, não esconde a expectativa de ver a comunidade produzir tanto suco quanto outros produtos. “A gente convivia com o desperdício, agora a realidade das famílias vai mudar”, opina, combinando o pensamento com o do coordenador de Agricultura do Município, Clebson Lima, cooperado e também aluno de Direito da UERN.

Para o autor do projeto, professor Vinicius Claudino, com o sucesso do empreendimento, os agricultores terão agora que se preparar para dar vazão à produção. “O carro-chefe é o suco. Mas temos muitos outros subprodutos, como a geleia de cajarana”, exalta.

Depois de ver de perto a aplicação do projeto vencedor do Prêmio Santander - Universidade Solidária, o professor Miguel Dall’Agnol não poupou elogios ao professor Vinicius, destacando os parceiros e principalmente a contribuição da comunidade para a realização do projeto. "Vocês têm uma coisa fantástica que é a união do grupo. O apoio institucional é muito importante, principalmente a presença física do Reitor, que dá credibilidade ao professor”, afirmou, acrescentando: “É a Universidade saindo do Gabinete, vendo gente. É a comunidade motivada”, resumiu sua avaliação do projeto, acrescentando que o que disse é o que vai constar no relatório que será entregue à UniSol.

Para o Reitor Pedro Fernandes, os desafios maiores foram transpostos. Agora, a comunidade tem que se preparar para avanços econômicos e sociais e também acadêmicos. No entendimento do dirigente da UERN, projetos como esse do professor Vinicius Claudino abrem novos caminhos para que o conhecimento chegue ao campo, a partir da definição dos cursos para o futuro Campus Avançado de Apodi.

E essa perspectiva de aproveitamento das vocações naturais está sendo aguardada principalmente pelos jovens, como Antônio Torres Geracino, 18 anos. Ele espera poder cursar Engenharia de Alimentos, sem precisar sair de Apodi e assim enriquecer suas pesquisas já iniciadas com o projeto “Utilização da Cera de Abelha na Conservação de Alimentos”, trabalhado com outros dois colegas e que teve repercussão nacional no quadro “Jovens Inventores”, do Programa Caldeirão do Huck, na Rede Globo.

Quem também faz planos é a agricultora Rita Maria Neto, 56. Com 5 filhos, dois deles fazendo curso técnico na área agrícola, ela diz que o projeto da UERN vai mudar a vida de sua família, com o reforço no orçamento doméstico, pela fabricação dos sucos e doces e, principalmente, pela oportunidade que vem surgindo, para que os filhos dos trabalhadores rurais não precisem ir para os grandes centros em busca de formação profissional e de uma vida melhor. “Esse projeto vai transformar essa comunidade”, completa.

A comitiva que visitou a comunidade de Córrego também contou com as presenças do Pró-Reitor Adjunto de Extensão da UERN, Adalberto Veronese, da Chefe de Gabinete, Fátima Raquel Rosado de Morais, e da Assessora de Convênios, Cybelle Albuquerque.

Matéria de Maria Aglair de Abreu em Portal UERN

Macatuba - Aluísio Barros

Para Tarcísio

Uma cidade se torna
primeiro dentro da gente
e ela vai se fazendo em ruelas
e becos e esquinas e bancos
que se alastram com seus cheiros perdidos
e pássaros sem valor algum
e todo o valor do mundo
nas tardes que ficam morando dentro
tão dentro que não tem fim em nós.

Um cidade vai se tornando,
invisível,
primeiro dentro da gente...

A cidade que se torna primeiro dentro da gente
é feita de todos os pedaços de cidades do Mundo

- Aí, Lixívia...
quão custoso me é perder-te de vista.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira. 

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Apodi - nossa terra, nossa gente!



Vídeo produzido por Klaudyo Danth's - historiador

Nós - Aluísio Barros

Há uma voz dentro de mim
que te reclama:
Há vazios em minh’alma
que te chamam

Daí este canto meio selvagem
pra Lua que rasga os céus.
com seu amarelo-pálido:
- São as cicatrizes que sangram.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

terça-feira, 20 de maio de 2014

Agricultores de Apodi participam de treinamento em extração e suco de fruta

Cerca de 30 agricultores da comunidade de Córrego, no município de Apodi (RN), participam durante toda esta semana de um treinamento em extração de sucos de frutas e derivados realizado pela Unidade Móvel da Embrapa Agroindústria Tropical. Participam da capacitação membros da Associação dos Miniprodutores de Córrego e Sítios Reunidos (AMPC) e alunos do curso técnico em Cooperativismo da Escola Agrícola de Jundiaí (UFRN). 
A AMPC é ganhadora do Prêmio Santander da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) com o projeto "Uso da tecnologia da extração a vapor para produção de sucos das frutas". A iniciativa é coordenada pelo professor Vinícius Claudino. O objetivo da ação é discutir alternativas de renda por meio do aproveitamento das frutas na comunidade. 

O cultivo do cajueiro representa uma das principais atividades de exploração agrícola, sendo responsável pela ocupação de mão-de-obra, geração de empregos e receitas para o município. Há na região aproximadamente 300 produtores de castanha de caju que cultivam 2.800 hectares. Além do pedúnculo do caju, as outras frutas da região como a cajarana, a acerola e a manga são subaproveitadas. Os frutos são os principais alvos da capacitação. 

A parceria das instituições locais com a Embrapa é um estímulo à realização do projeto de aproveitamento das frutas, bem como uma oportunidade de melhoria de renda para os agricultores.

Com informações de Caubi Torres, blogueiro e participante da Oficina de Comunicação do Alto Oeste Potiguar promovida pela Embrapa Agroindústria Tropical.
Fotos: Leto Saraiva e Antonio Geracino.




Maestro Janilson de Carvalho, as crianças e a música no PDA Santa Cruz do Apodi


No sábado, 17 de maio, mais uma vez o Maestro Janilson de Carvalho esteve com as crianças do bairro Bico Torto, que são acompanhadas pelo PDA Santa Cruz e realizou mais uma oficina.
São crianças, que já admiram a música e que adoram a arte. 
O maestro Janilson de Carvalho, também apaixonado pela música, quer ver e quer descobrir novos valores em Apodi e por isso se dedica e incentiva às crianças compreenderem a arte de tocar, além da contribuição para a cidadania.

Veja algumas imagens:












De olhares olhares - Aluísio Barros

Azul:
Teu olhar me adentou
coração a dentro
varou minh’alma
desencarnou meus espíritos
e criou fantasias
pro meu sonho esquecido;

Moreno:
Quando meu olhar
cruza com os olhos teus
me perco fitando
o horizonte róseo vermelho-paixão;
a lua carrega em seu rastro
histórias de amores de praia;
os dias correm tão rápidos
e o banho morno quase me mata
com a tua imagem noturna
veiando o meu sono calmo;

Verde:
Há qualquer coisas no fundo de teus olhos
que casa comigo
um mistério, um encanto,
um mundo desconhecido que quero viver;
há segredos infinitos
neste teu olhar perdido
que quero buscar;
uma dor, uma alegria,
uma fantasia de noite no mar;
tem qualquer coisa em teus olhos
que pede para o meu desejar.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Coisas de mar e lua - Aluísio Barros

Meu olhar vagueia aflito
pelas dunas brancas,
enquanto tu caminhas vazio
pela Paulicéia
desvairada Paulicéia
que me roubou o brilho de teus olhos
das dunas
com lua e estrela
com a noite,
enquanto eu mergulhava
num mar escuro de medo.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

domingo, 18 de maio de 2014

EMBRAPA deu continuidade às oficinas de Comunicação Rural do Programa “Brasil Sem Miséria”

Matéria copiada do blog do Capote

Neste sábado, 17, no auditório do Campus da UERN de Pau dos Ferros, teve continuidade a Oficina de Comunicação do Plano Brasil Sem Miséria do Alto Oeste Potiguar. A primeira reunião aconteceu no último dia 03.

O curso, coordenado por Ricardo Moura, Assessor de Comunicação da Embrapa Agroindustrial Tropical, sediada em Fortaleza-Ce, acontece a cada 15 dias e é destinado a radialistas, blogueiros, comunicadores e técnicos interessados em comunicação e comunicadores locais que atuam na região. Ele é promovido pela EMBRAPA, em parceria com a UERN e CODESAOP. O objetivo é que, num futuro próximo, seja criada uma Agência de Comunicação na região.

O tema abordado desta vez foi Rádio: ‘Roteiro e Locução’, que foi ministrado por Moisés Albuquerque, radialista e apresentador do Grupo TCM de rádio e tv, em Mossoró, e professor da UERN no campus central.

O instrutor, além de aulas teóricas, auxiliou os participantes do curso na prática de exercícios para melhorar e proteger a voz como, também, no trabalho de apresentação simulada de notícias veiculadas em emissora de rádio e webTV.

O próximo encontro está agendado para o dia 31 de maio, um sábado, com a Oficina de Produção Audiovisual, Linguagem Audiovisual, Pauta, Roteiro e Locução’. Já no mês de junho, no período da Copa do Mundo, haverá recesso. 

As oficinas serão retomadas dia 19 de julho, também um sábado, com ‘Mídias Digitais e Marketing Cultural’. Na oportunidade, está previsto um encontro de blogueiros altooestanos.



Fotos: Ricardo Moura

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Entre o nada e o Nada - Aluísio Barros

Homem sem estória é deserto:
Saara noites imperturbáveis antes do Day after

Homem sem história, é....homem-só: nada
t.r.a.n.s.l.ú.c.i.d.o. desinteressante
(complicando a metáfora!)
vidraça de lar-doce-lar: figuras coloridas
de astro de tevê:
necessariamente (in)alcançáveis.

Meio mundo é um deserto:
Meu mundo está se tornando estéril
apesar dessa dose de passado que dança na garganta
mas não se projeta além tarda foto 3x4

Um dia ainda alcançaremos juntos o Nada.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Cena muda - Aluísio Barros

Os último acordes
delirantes do sino
sacodem o vale.
A noite se esparrama
nas estradas
e corpos cansados
regressam vagarosamente para os seus lares
enquanto o silêncio corrompe a cidade.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Poemeto pós-moderno - Aluísio Barros

Para: Gustavo Luz

Não sei o que mais me dói:
A inutilidade útil da tarde morna
ou o cansaço inútil
desse insistente rock moreno de Gil

Não sei o que é mais inútil:
A dor desta tarde morna
ou o aroma perdido na relva cortada
antes do veneno das formigas.

Não sei o que é mais bonito:
Os olhos azuis de Camilo
ou os olhinhos negros do neguinho
que vende cavaco chinês na tarde morna.

Não sei o que é mais bobo:
O cansaço mental ou a pasta dental.

Não sei o que é mais inútil
ou o tempo que não se perde nas conversas
ou a rotina que nos impede de sermos
rotineiros todos os dias.

Nada é inútil. Tudo é útil. Todos se mesclam
Amanhã farei um poema sobre os tempos da calça
azul de mescla.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

terça-feira, 13 de maio de 2014

Convite Espetáculo CASATÓRIA C'A DEFUNTA em Apodi

A ARD, Associação Raimunda Dantas tem o prazer de convidar-lhes para prestigiar duas apresentações do espetáculo "CASATÓRIA C'A DEFUNTA" da Cia. Pão Doce Teatro de Mossoró - RN. 
As apresentações aconteceram no município do Apodi - RN, nos dias 24 e 25 do mês de Maio do ano corrente. Os locais que aconteceram as referidas apresentações são; o adro da igreja matriz (Paroquia de Nossa Senhora da Conceição e São João Batista) e a comunidade rural do Sítio Córrego. 
“Pretendemos desenvolver uma extensa gama de produção e representação de manifestos culturais em nosso município. E está iniciativa vem com esse intuito, prover lazer, cultura e arte para a população apodiense.", diz o ator Luis Marinho. A "curta temporada" de duas apresentações da Cia. Pão Doce em nosso território, visá o fomento ao consumo cultural em nosso município. Principalmente no setor rural. 
"O setor rural de nossa cidade, é muito rico, porém muito esquecido, as vezes limitamo-nos somente a zona urbana, e nos esquecemos que nosso município é composto em sua maioria pela zona rural. Por isso, tivemos há necessidade de desenvolvermos um trabalho no setor, e essa é a primeira, de muitas iniciativas que pretendemos lançar, para tentarmos disseminar o manifesto cultural em todas as 04 regiões do nosso município.", relatou Luis. 
A iniciativa conta com o patrocínio do Deputado Estadual Kelps Lima, e o apoio da Vereadora Soneth Ferreira, Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social de Apodi e da Paroquia de Nossa Senhora da Conceição e São João Batista. 

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Cultura

Cultura

Cultura é tudo aquilo que não é natureza, ou seja, tudo o que é produzido pelo ser humano. Por exemplo: a terra é natureza e o plantio é cultura. É o desenvolvimento intelectual do ser humano, são os costumes e valores de uma sociedade. 
Segundo Terry Eagleton, a raiz latina da palavra «cultura» é colere, que pode significar tudo, desde cultivar e habitar até prestar culto e proteger.


De acordo com Alfred Kroeber para a ampliação do conceito de cultura pode ser relacionada em alguns pontos. entre eles:
1. A cultura, mais do que a herança, determina o comportamento do homem e justifica as suas realizações.
2. O home age de acordo com seus padrões culturais. Os seus instintos foram parcialmente anulados pelo longo processo evolutivo porque passou.
3. A cultura é o meio de adaptação aos diferentes ambientes ecológicos. Em vez de modificar para isto o seu aparato biológico, o homem modifica o seu "superorgânico".
4. Em decorrência da afirmação anterior, o homem foi capaz de romper as barreiras das diferenças ambientais e transformar toda a terra em seu hábitat.
5. Adquirindo cultura, o homem passou a depender muito mais do aprendizado do que agir através de atitudes geneticamente determinadas.

Quer escrever algo sobre a cultura do povo de Apodi? 
Mande e-mail para tudodeapodi@hotmail.com
Quer escrever sobre esses assuntos? Mande pra gente

- Carnaval 
- Vaquejada
- Oeste Leite
- Emancipação Política
- Copa Municipal de Futebol
- Forrós
- Apodi Folia



A saga de uma Tapuia no século XXI - Por Mônica Freitas

Lúcia Maria Tavares - Índia Tapuia-Paiacu

Contar a Saga de uma mulher que se diz Tapuia Paiacu da Nação Kariri neste século XXI, requer compreender os motivos pelos quais a mesma se auto-intitula desta forma. Estamos falando de Lúcia Maria Tavares, mais conhecida como "Lúcia Cará".

Lucia tem se embrenhado na pesquisa histórica, de caráter antropológica a fim de encontrar vestígios, provas e principalmente remanescentes indígenas da Tribo Tapuia-Paiacu da Nação Kariri, que são citados em todos os registros históricos como o povo primitivo que habitava essas terras semiáridas do nosso sertão antes dos portugueses e demais europeus chegarem com a meta de ampliar o território conquistado nas suas chamadas "grandes navegações. 

Segundo Câmara Cascudo, nas primeiras investidas portuguesas, esses índios resistiram à invasão do seu território, dos seus rios, florestas e de toda sua paisagem de caça, pesca e de sobrevivência ocupada pelos colonizadores de origem portuguesa. Luta esta que foi articulada pela confederação dos Cariri, com realização datada em torno do ano de 1670.


Por razão da resistência à invasão europeia, os povos foram também chamados de "bárbaros". Essa denominação não era da apenas aos Tapuias de Poty, Pody ou Apodi, como hoje se conhece, mas de todos os povos habitantes do território do Rio Grande do Norte, que segundo Olavo Medeiros Filho se dividiam em vários grupos nomeados de acordo com a região onde moravam. Existiam assim: os Cariris, os Tarairus, os Canindés. Eram tribos que falavam diversas línguas e eram chefiadas por vários reis, dentre os quais se destaram Janduí e Caracará.


As batalhas travadas entre índios e brancos europeus proporcionou matanças cruéis de Tapuias, perseguições, mortes e episódios tristes que até hoje ainda produzem traumas aos índios da região. Muitos fugiram para outras regiões. Os Tapuias de Apodi fugiram, uma parte para o Ceará e outra se espalhou pelas Serras de Portalegre e Martins, onde até hoje existem muitos vestígios e uma vasta remanescência, embora não reconhecida, uma vez que a saga sangrenta do passado tem se transformado em "trauma", fazendo com que os remanescentes não queiram ser identificados como tal. No próprio município de Apodi existem muitos remanescentes que não se auto-identificam como índios, mesmo que seus traços físicos demonstrem claramente a relação de pertença à etnia indígena. Há algumas pessoas que já se autodeclaram por serem, além de informadas firmes e corajosas em assumirem suas descendências étnicas, outras preferem ficar ainda escondidas, e vê-se claramente o "medo" se levantar mediante os fatos vividos pelos antepassados, como se percebe no relato que é mostrado no vídeo abaixo gravado por Lúcia Tavares e um dos membros do Centro Histórico Cultural Tapuio Paiacu da Lagoa de Apodi.

Clique aqui para ver o vídeo

Em sua busca incansável para reunir fatos, relatos e peças líticas que comprovam a existência da tribo na região, a Tapuia Lúcia Tavares tem conseguido juntar muitos fragmentos de grande relevância para a reconstrução da história do município de Apodi, que como todo registro tradicional brasileiro, pouco valoriza os episódios que têm como personagens principais os nomes indígenas e não os nomes de colonizadores europeus. 

As pesquisas têm demonstrado que há muitas peças líticas espalhadas pelo Vale do Apodi, na Chapada do Apodi e nos municípios que serviram de abrigo para os Tapuios-Paiacus que fugiam das terras apodienses cada vez que eram atacados pelos comandos da colônica europeia. 


Acervo de peças líticas encontradas por Lúcia Tavares

Devido sua pesquisa, em busca de pessoas que a auxiliassem na meta de redescobrir a história de Apodi, Lúcia reuniu amigos, professores, conhecidos e alguns remanescentes tapuias que juntos se tornaram sócio-fundadores do Centro Histórico Cultural dos Tapuios-Paiacus da Lagoa do Apodi (CHCTPLA), entidade hoje legalmente reconhecida como de utilidade pública estadual e municipal. Na sua primeira diretoria, Lúcia Maria Tavares é a Presidente do Centro, a vice-presidência é da da professora Mônica Freitas. Além disso, o nosso centro ainda conta com o auxílio de vários colaboradores, entre os quais destacamos o advogado Marcos Pinto, que também é historiados, o estudante de Turismo Isaac Tárcio, Antonio Praxedes Filho, o Pastor Wellington e tantas outras pessoas que se dispõem a colaborar com esta pesquisa e luta tão importante para o nosso município por ser o fio condutor da nossa reconstrução e preservação cultural.


Presidente e vice-presidente do CHCTPLA e alguns sócio-fundadores 

Até aqui, a saga de Lúcia Tavares continua, neste universo complexo e e capitalista onde o preconceito étnico ainda prevalece contra o índio, tanto que muitos não compreendem os povos indígenas como gente; outros imaginam que os índios de Apodi não existem mais porque foram dizimados pela colônia europeia.

A história real que Lúcia tem encontrado em suas pesquisas é outra: estamos vivos - inclusive eu que também sou descendente tapuia - e mesmo que o sistema queira esconder nossa existência, haveremos de lutar, auxiliando a Tapuia Lúcia em suas buscas e chegando ao legado final de reconstrução da nossa história para podermos obter os nossos direitos, estes que pela distorção da história, foram negados.

Por Mônica Freitas - professora e Vice-presidente do CHCTPLA - Blog Sem - Cem Papas na Língua

Soneto Pody, Poty, Apody - Mônica Freitas

Queria te ver pátria amada, mãe da minha infância
avançar nas suas largas estradas de ida e vinda.
Queria te ver falar, das coisas dão festança
daqueles fatos que a vida não permitiu ainda

Queria cantar contigo, o canto da liberdade
de uma forma tão fascinante e singela
que todos fossem vistos com dignidade
de forma a contemplar-se uma cidade bela.

Poty, Pody, Apodi, cidade dos meus encantos.
Dos encantos dos teus filhos, dos teus netos
daqueles que por ti gritam, entoam cantos

Minha Terra, meu xodó, meu amor
Seus insucessos são motivos para seus filhos
amantes amados sentirem toda a sua dor.

Mônica Freitas.

domingo, 11 de maio de 2014

Escola Isabel Aurélia realiza festa em homenagem às Mães

A Escola Municipal Isabel Aurélia Tôrres realizou na noite de ontem (10), uma programação especial para a comemoração do Dia das Mães na escola.

O evento contou com momentos de fortes emoções, houve uma apresentação de um vídeo onde os alunos expressavam seu amor pelas suas mães, a noite foi bastante animada com desfile da Miss mãe, sorteio de vários brindes, sorteio de um bingo super animado, contou com um delicioso coquetel e para finalizar foi servindo um jantar com música ao vivo.

A escola agradece a todos (as) que contribuíram para que esse evento acontecesse com tanto sucesso. Um abraço especial para todas as mamães da nossa escola.
Equipe nota 10

                                                       Coordenadora Leila Maia
                                                               Sorteio do Bingo
                   Soneth Ferreira recebendo o carinho das mães e vice diretora Rosi Torres
 
 Desfile Miss Mães
 Miss 2013 e 2014
 

Fonte: http://isabelaurelia.blogspot.com.br/