Pesquisar neste blog

quarta-feira, 20 de março de 2019

Programação da Festa de 184 anos de emancipação política de Apodi

Na comemoração dos 184 anos de Emancipação Política de Apodi o corre o II Festival Sociocultural de Apodi no período de 23 a 31 de março de 2019. 





quinta-feira, 7 de março de 2019

Dissertação: Teste de Tetrazólio para Avaliação da Qualidade de Sementes de Quiabo

Teste de Tetrazólio para Avaliação da Qualidade de Sementes de Quiabo
Autor(a): Antonia Adailha Torres Sousa
Curso: Mestrado em Fitotecnia
Instituição: Universidade Federal Rural do Semiárido - UFERSA
Publicação: 2016
Fonte do artigo: UFERSA

sexta-feira, 1 de março de 2019

Ação do Bioestimulante na Cultura do Maxixeiro (Cucumis Anguria L.) Sob Condições de Estresse Salino

Ação do Bioestimulante na Cultura do Maxixeiro (Cucumis Anguria L.) Sob Condições de Estresse Salino
Autor(a): Maria Lilia de Sousa Neta
Curso: Mestrado em Fitotecnia
Instituição: Universidade Federal Rural do Semiárido - UFERSA
Publicação: 2016
Fonte do artigo: UFERSA

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Programação do Carnaval de Apodi 2019






Tese: Produção e Qualidade de Sementes de Quinca em função do Arranjo Espacial -

Tese: Produção e Qualidade de Sementes de Quinca em função do Arranjo Espacial
Autor(a): Antonio Francelino de Oliveira Filho
Curso: Doutorado em Fitotecnia
Instituição: Universidade Federal do Ceará  - UFC
Publicação: 2017
Fonte do artigo: Repositório UFC


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Eleneide Gurgel - bióloga


ELENEIDE PINTO GURGEL nascida em 27 de janeiro de 1990, filha do agricultor Antônio de Lisboa Gurgel e da Gari Isabel Pinto Gurgel. Vem se destacando no cenário acadêmico, científico e escolar. Sempre foi uma aluna dedicada e amante da leitura. Ingressou na Universidade Federal Rural do Seminário em 2008, onde foi aprovada em 5º lugar para o curso de Agronomia. Mesmo gostando, não se identificou com o curso, resolveu seguir sua paixão de infância e cursou Biologia. 

Ingressou na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte em 2009 onde cursou Ciências Biológicas (bacharelado). Logo no segundo dia de aula passou a fazer parte do Laboratório de Cultura de Tecidos Vegetais, a convite daquela que foi sua orientadora por todo tempo que ficou na UERN. Sendo bolsista de iniciação científica por cerca 5 anos. Durante o tempo de curso, publicou vários resumos e artigos, participou de vários congressos nacionais, regionais e internacional. Em 2013 concluiu o curso em 7 semestres, e teve colação de grau extraordinária pois foi aprovada em primeiro lugar no Mestrado em Ciências Naturais. Ingressou no mestrado em 2013. Ainda em 2013, ingressou novamente no curso de ciências biológicas (licenciatura) na UERN, tendo cursado parte do curso simultaneamente ao mestrado. Em 2015 concluiu o mestrado em Ciências Naturais. E no mesmo ano, foi aprovada no doutorado em Fitotecnia da UFERSA, sendo novamente o primeiro lugar na linha de pesquisa escolhida.
Em 2016 iniciou sua jornada no doutorado, e foi aprovada em segundo lugar, para o cargo de professora permanente nível 3 para compor o quadro de professores da secretaria de educação e cultura do RN. Sendo convocada no dia 08 de abril de 2017, onde novamente teve que colar grau em caráter extraordinário para concluir a licenciatura e tomar posse de sua vaga. É professora de biologia do estado e vem adotando uma postura de inserção de aulas práticas e de campo nas escolas por onde passa. Tornando a biologia uma disciplina atrativa de forma prática e barata. 

Sua tese, objetiva caracterizar o Mandacaru, planta símbolo do bioma Caatinga, nos aspectos morfológicos, físicos, físico-químicos e moleculares, e está em fase de conclusão. É casada com João Batista Gurgel de Freitas Santos e mãe de 2 filhas, Giovanna e Giulia.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Dissertação: DESENVOLVIMENTO DE Batis maritima L. SUBMETIDA A ESTRESSES E CARACTERIZAÇÃO DE SEUS FRUTOS

Dissertação: DESENVOLVIMENTO DE Batis maritima L. SUBMETIDA A ESTRESSES E CARACTERIZAÇÃO DE SEUS FRUTOS.
Autor(a): Eleneide Pinto Gurgel
Curso: Mestrado em Ciências Naturais
Instituição: Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
Publicação: 2015
Fonte do artigo: Repositório UERN
Clique para ver ou baixar

sábado, 9 de fevereiro de 2019

Tese: A Construção Social da Cidade do Prazer: Urbanização Turística, Cultura e Meio Ambiente em Natal (RN)

Tese: A Construção Social da Cidade do Prazer: Urbanização Turística, Cultura e Meio Ambiente em Natal (RN)
Autor(a): Edmilson Lopes Júnior
Curso: Doutorado em Ciências Sociais
Instituição: Universidade Estadual de Campinas  - UNICAMP
Publicação: 1997
Fonte do artigo: Repositório UNICAMP

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

GRUJOSP do Córrego celebra 35 anos de história

O Grupo de Jovens São Pedro – GRUJOSP do distrito de Córrego, Apodi RN celebrou no último final de semana seus 35 anos de história. Na sexta-feira (01) reuniram-se na Capela de São Pedro em uma celebração de agradecimento por todo o percurso de luta desses jovens. Já no sábado (02) o grupo reuniu-se em sua sede com a participação de alguns ex-membros do grupo que vieram contar um pouco de sua experiencia de vida dentro do grupo e falar da importância do GRUJOSP para a comunidade. 

Um pouco de história
O Grujosp foi fundado por 12 componentes no dia 02 de fevereiro de 1984 através da articulação do entao vigário da paróquia de Apodi padre Theodoro Sniders. Ao longo de sua história o grupo tem desempenhado uma função social dentro da comunidade de Córrego com muitas ações que incentivaram o protagonismo juvenil dos jovens nesse mundo com uma gama de desafios postos a juventude. 

Parabéns, GRUJOSP.








quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Grupo da Paixão de Cristo no Góis se reúne para discutir espetáculo de 2019

Na noite da última sexta-feira (25), boa parte do grupo da Paixão de Cristo do Góis/Apodi se reuniram para definirem como será a produção para a filmagem do Rota Inter Tv, e para as apresentações do espetáculo que acontecem em abril nos dias 18,19 e 20. O espetáculo é feito pelos agricultores, jovens,crianças e moradores da própria comunidade e mais uma vez vai ter a direção de Ducivan Fernandes.
Vem novidades aguardem!
Foto e texto: Redes sociais

Aluno do IFRN Campus Apodi conquista a 3ª posição na Olimpíada Brasileira de Linguística

O aluno Jacó Gonzaga Brasil Neto, do 4° ano do Curso Técnico Integrado de Informática, conquistou o Certificado de Papiro, referente a terceira colocação na Olimpíada Brasileira de Linguística.

Para Jacó, a conquista dessa premiação foi uma honra e que ficará marcado em sua vida: 

“O âmbito de linguística, especialmente a questão de tentar decifrar línguas aparentemente exóticas e complicadas, foi algo que me chamou a atenção desde 2016, quando fui apresentado à olimpíada pela professora Ana Cristina. Naquele ano não cheguei tão longe, mas essa conquista demonstra o quanto evoluí daquela época pra cá. É uma área interessantíssima e me sinto honrado por ter conseguido atingir essa premiação, que levarei pra vida toda. Agradeço imensamente à professora Helena pela disponibilidade ao aplicar a prova”, destaca o aluno.
Sobre a OBL

A Olimpíada Brasileira de Linguística acontece desde 2011, instigando seus participantes a ampliar suas habilidades lógico-analíticas e sua visão sobre os povos do mundo a partir de uma abordagem interdisciplinar.

Suas quatro etapas (online, em papel, Escola de Linguística e participação na olimpíada internacional) permitem diferentes graus de envolvimento dos estudantes. Em suas sete edições até aqui, a olimpíada firmou-se como um fascinante instrumento de imersão multicultural, trazendo à luz diversos temas do mundo das línguas, da linguagem, dos códigos e da cognição humana. A cada ano, a Olimpíada recebe uma nova ênfase e um novo nome: já foi Kytã, Noke Vana, Paraplü, Vina, Òkun, Ñanduti, Mărgele e agora, Yora.

Crédito: Matéria copiada do IFRN campus Apodi

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Estarei deitado ao lado de iguais como agora estou em pé - Lucas Maurílio

Sempre que passo por ali
olho para eles.

As pessoas agradecem por estarem vivas,
não considero errado,
mas elas esquecem de olhar para os mortos.

Todos passam por problemas e prazeres
para, enfim, chegar lá.
Alguns vão por vontade própria.
Outros aguentam firme e levam a sabedoria para a terra fofa.
E tem aqueles que nem percebem que foram.

Aquele lugar está repleto de amigos, namorados,
amantes,
que merecem atenção pelo menos por um minuto.

Devemos ama-los e não sentir medo, repúdio.
A vida continua
mas no final
todos se encontram ali.
Então, não faz sentindo ter medo,
desviar o olhar, fazer sinal da Cruz.
Apenas olhe se não quiser dar o seu amor,
compaixão.

Eu respeito os mortos,
eles recebem minha atenção, amor,
pois ele já foram iguais a mim.
E também porque eles sabem o que é morrer.
Por conta disso, tenho até certa inveja,
admito,
por eles saberem a resposta desse grande mistério,
mas não quero descobrir essa resposta agora.
Vou aguentar firme.
E estou aguentando.

Lucas Maurílio
@l.maurilio_

domingo, 13 de janeiro de 2019

Só eu posso tirar a minha dor - Lucas Maurílio

Me arrependi amargamente 
de ter lhe abandonado.
Se pudesse resolveria tudo.
Faria tudo voltar ao normal.

Nunca pensei
que a minha ida 
fosse lhe abalar tanto.
Você me desprezou a olhar para mim 
desde o início.
Passei anos carregando a culpa por algo que não tive nada a ver.
Fui apenas o resultado de um acontecimento horrível.
Por isso fui embora.

E estando de volta agora,
sou eu que espero você voltar e me abraçar
pela primeira vez,
mesmo sabendo
que eu é que tenho 
que ir ao seu encontro
onde quer que você esteja,
e sentir o seu abraço
que, provavelmente, é quente.

Me disseram
que todas elas tem o abraço quente.

Lucas Maurílio 
@l.maurilio_

sábado, 12 de janeiro de 2019

Dissertação: Relatos sobre o massacre de 70 índios na Serra de Portalegre/RN: argumentação em discursos de liderança indígena e alunos do Ensino Fundamental.

Dissertação: Relatos sobre o massacre de 70 índios na Serra de Portalegre/RN: argumentação em discursos de liderança indígena e alunos do Ensino Fundamental.
Autor(a): Maria Mônica de Freitas
Curso: Mestrado Profissional de Letras
Instituição: Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
Publicação: 2018
Fonte do artigo: Repositório UERN
Clique para ver ou baixar

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Não me reconheço em um duplo só - Lucas Maurílio

Andando pelas ruas
não conheço
ninguém a minha volta.
Milhares de cabeças desconhecidas
que não sei contar.

E eu estou no meio delas
vagando com a sensação
de que todos se conhecem,
e eu sou o único estranho
nesse lugar.

Não me admiro se alguém olhar para mim
com cara feia
ou por desconfiança,
se é que alguém tem olhos,
digo tempo,
para me olhar
no meio do caos.

Para perder o medo,
caminho com o pensamento de que todos também estão com medo.
E penso que aqui do meu lado
pode ter alguma pessoa com identidade falsa
fugindo da polícia
por roubo.

Só que do meu lado tem uma parede espelhada.
E eu sou a pessoa com identidade falsa
que está fugindo da polícia
por roubo.
E não a mais como sentir medo
pois sei que não adianta
fugir do reflexo dos policias parados atrás de mim.


Lucas Maurílio
@l.maurilio_