Pesquisar neste blog

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Os sonhos morrem primeiro - Aluísio Barros

Já não mora na janela
da casa da esquina
a moça que guardou o seu nome
dos homens da outra esquina.

Ela foi tragada
pelos fantasmas
que criou
e desapareceu tonta
pelas esquinas
e veredas
do alto-do-louvor.
Ela enganou-se de homem
e foi morar com a dor.
Agora, anda tonta,
de fome
e seca de amor.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Vida... - Aluísio Barros

Vida
dia suspenso
confuso
turvo
sisudo
Meu poeta busca o dia
como uma criança
no ventre da mãe
num movimento inútil
prematuro
inseguro
no escuro
meu poeta busca a luz
pra soltar o verbo
o corpo
ver o verso pelo avesso
meu poeta revisa a vida
e treme
diante da solidão que invade
cada verso inútil...

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Poema de fim de tarde - Aluísio Barros

Não quero ser
somente o teu
secreto/discreto
pensamento
de fim de tarde
após o cansado
expediente da sexta-feira
quero ir além,
muito além,
do teu medo
de ter-me
por inteiro:
corpo e alma
sem ser só teu.
Quero ser
meu e teu...

"Anjo Torto" 
Aluísio Barros de Oliveira 

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Linda menina - Paulo Filho Dantas

“Linda menina
Da pele morena
Você envenena
O meu coração
Só posso pedir
Para não me iludir
Senão vou ficar
Sozinho na mão

Linda menina
Da pele macia
De noite, de dia
Só sei te adorar
Ficando sozinho
Falta o carinho
Falta o abraço
Quem vai me dar?

Linda menina
Alegre, encantada
Que não é calada
De bom conversar
Aceite essa poesia
Te fiz com alegria
Sabes o que sinto
Que bom te namorar’’

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho 

sábado, 22 de fevereiro de 2014

A procura - Paulo Filho Dantas

“O tempo passou de repente
Eu nem percebi
Andava a procura de alguém
Para o amor eu sentir
Então você eu encontrei
Logo, logo
Me apaixonei
Por isso morro dizendo
Ninguém te adorará tanto
O quanto eu te adorei’’.

"Caminhos do Meu Ser" 
Paulo Dantas Magno Filho 

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Linda senhorita- - Paulo Filho Dantas

“Linda senhorita da pele morena
Que encontrei numa noite de luar
Me trazendo um sonho infantil
Como resistir a ti, pequena
Se o seu coração não está mais a vagar
E se é difícil encontrar, controlar
A paixão que surgiu?

Sei que a lua há sempre de surgir no céu estrelado
Perturbando as águas dormentes do mar
Fazendo-me pensar numa ideia louca
De contigo fugir
Num cavalo alado
Para um inóspito lugar,
Primeiro beijar tua boca
E ainda meio nervoso
Sem me importar com o correr do perigo
Sem pensar lhe diria:
Linda senhorita, abandona tudo
E vem morar comigo’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Te quero, te preciso - Paulo Filho Dantas

“Te quero morena
Sempre a sorrir,
Às vezes que eu pedir
Para acabar com a solidão,
Sem nada a temer
Baixinho vou dizer
Que é só teu
O meu coração

Ah, como preciso
Sentir pelo menos um pouco
De ti um beijo, que deixa-me louco
Sempre com emoção
Às vezes sem jeito
Às vezes explode
Parecendo vulcão

É difícil parecer gostar,
É mais, um querer
E não um parecer,
É real o namorar
Por mais que um dia passe
A cada dia em meu peito
Um sentimento
Por você nasce’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho 

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Chuva no sertão - Teresa Machado

Quando cai uma chuva
no seio do meu sertão
Esperança se renova
Da criança ao ancião
Com certeza bem fartura
Acabou complicação


terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Fotos do IFRN-Apodi

























Curta a página do IFRN Campus Apodi





Curta a página do Campus Apodi e fique por dentro de todas informações sobre o IFRN. 

Presságio - Paulo Filho Dantas

“E num último esforço
De súbito a visão apaga
E os sons se vão.

É quando o sol se põe
Que antecede o amanhã raiar,
Talvez a tarde me consuma.

Vai mais alto meu pensar
Que o corpo não acompanha
E a consciência está além.

Todos os perfumes
E todas as rosas
Oriunda de ti.

O frio que se sente
Quando se aproxima o fim
É quente, morno, alívio.

As crianças, os velhos, os adultos
Um pretérito e um futuro
Vivido pelo presente.

Queima-me com o teu fogo
Aliciam-me com teus ares
Mata-me com tua vida.

As cores da morte
Trespassam o olho mirante
Cegando-o para o amanhã.

Tudo o que mais desejo
É a não vontade de desejar
Experiência sem vicio.

Quem me dera a vereda
Da verdadeira filosofia
E da falsearia alegria.

Sabor plástico do alimento
Deglutido na garganta
Do abismo infindável.

Encubra a única verdade
Mostre os errantes caminhos
Dê-me o céu e a terra.

Ninguém sabe nada
Do fogo eterno,
O inferno é aqui!

Presságios de momento
Estão agora a acontecer
Não os avisei a tempo’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho 

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Primeiras Damas Municipais de Apodi

Joana Gomes de Góis Nogueira - Filha legítima do Tenente José de Góis Nogueira (Bisneto paterno da fundadora de Apodi Antonia de Freitas Nogueira e Manuel de Carvalho Tinoco). Joana faleceu em sua fazenda "São Lourenço das Várzeas do Apodi em 20.09.1864, deixando 07 filhos e vasta descendência de netos e bisnetos. Era Casada com capitão JOÃO NOGUEIRA DA SILVEIRA, primeiro Administrador de Apodi

Maria Gomes da Silveira - Filha do Tenente Manoel João da Silveira, da Serra do Martins-RN e de Bonifácia Barbosa de Lucena. Foi a segunda Primeira-Dama, casada que foi com o Capitão VICENTE FERREIRA PINTO (1] desse nome e pai do 2º) , este viúvo e ela também viúva, ambos com descendência.

Maria Clara Alves Ferreira Cavalcanti - Era a esposa do também Capitão VICENTE FERREIRA PINTO (2º deste nome e filho do 1º) que por sua vez foram os pais do Coronel Antonio Ferreira Pinto.

Josefhina Zenóbia de Oliveira - Foi casada com o Capitão SEBASTIÃO CELINO DE OLIVEIRA PINTO (Capitão Tatão da Ponta, que foi o único potiguar a receber a comenda de Cavaleiro da Ordem da Rosa, diretamente das mãos de D. Pedro II. 

Claudina Maria de Oliveira Neves Pinto(Claudina Pinto) - Era prima legítima do esposo Coronel ANTONIO FERREIRA PINTO

Angélica Maria da Conceição Costa Silveira - Era filha legítima do Major Luís Soares da Silveira e Maria da Conceição Costa Silveira, naturais de Mamanguape-PB e residentes em Apodi, e foi esposa do Capitão JOSÉ SULPINO PAES BOTÃO (Da família Diógenes, do Ceará), natural de Riacho do Sangue-Ce, atual Potiretama-CE, filho do Major Joaquim Sulpino Paes Botão e de Thereza Maria de Jesus, naturais do Riacho do Sangue-CE

Antônia Gomes de Oliveira Pinto - filha do Capitão Sebastião Celino de Oliveira Pinto e Josefina Zenóbia de Oliveira Pinto, casada que foi com o seu primo em segundo grau o Capitão OCTAVIANO GOMES PINTO, natural de Portalegre-RN, filho de outro de igual nome

Isabel Sabino de Oliveira Filha - (Bebela do Coronel João Jázimo Pinto) casou com o seu parente Coronel JOÃO JÁZIMO DE OLIVEIRA PINTO, filho do Capitão Vicente Ferreira PInto (0 1º) e Joaquina Mariana de Jesus.

Antônia Zenóbia Ferreira Pinto - Filha do Coronel Antonio Ferreira Pinto e Claudina Pinto, casou com seu primo Major Francisco Diógenes Paes Botão, filho do Capitão Joaquim Sulpino Paes botão e sua segunda esposa Isabel Sabina de Oliveira. 

Maria Salomé Diógenes Pinto - Casou com seu primo em segundo grau o Coronel Francisco Ferreira Pinto

Cezarina de Oliveira Pinto - casou com o auditor Fiscal JOÃO PINTO, filho do Coronel Francisco Pinto.

Adalgisa Pinto da Silveira - filha de Lucas Soares da Silveira e de Zulmira Ferreira Pinto (filha do Coronel Ferreira Pinto e Claudina Pinto) casou com seu primo em segundo grau Coronel LUCAS PINTO.



Maria Zilar Holanda Pinto - Foi primeira Dama de Apodi de 1953 a 1957. Foi casada com o prefeito JOSÉ DA SILVEIRA PINTO (Dr. Zé Pinto).

Maria do Carmo Maia Holanda - Natural de Apodi-RN, nascida em dia 21 de julho de 1927, filha de Alzira Magno Maia e Inácio Gabriel Maia. Foi Primeira Dama de Apodi no período de 1948 a 1952. Casada com o farmacéutico Francisco Holanda Cavalcante(Nenê Holanda).


Maria Gomes de Oliveira(Marica de Izauro) - conhecida popularmente por Dona MARICA nascida a 12 de dezembro de 1912 e falecida em 5 de maio de 2005. Foi Primeira Dama por duas vezes: 1963-1968 e 1973-1976. Era Casada com o prefeito Izauro Camilo de Oliveira.

Maria Fernandes de Souza(Mozinha) - Também conhecida por ''Dona Mozinha'' Viana, nasceu nos campos floridos de algodão das várzeas do Sítio Santa Rosa, município de Apodi/RN, no dia 25 de dezembro de 1932. Filha dos agricultores Francisco Manuel de Sousa e Sebastiana Gurgel Fernandes. Foi Primeira Dama de Apodi por duas vezes: 1969-1972 e 1977-1981. Casada com Valdemiro Pedro Viana

Maria Zuleide Marinho - Filha de Antonio Francisco de Lima e de Julia Senhorinha de Lima, nasceu em 26 de setembro de 1944, no Sítio São Lourenço, em Apodi-RN. Foi primeira Dama de Apodi de 1983 a 1985, na gestão do seu marido Hélio Morais Marinho.

Ângela  Maria de Melo Freire - Natural de Apodi, filha de Sêu Luiz Gonzaga Melo Foi Primeira Dama no período de 1985 a 1988. É Casada com Ivo Freire de Araújo.

Maria Gorete Nogueira Costa - Natural de Apodi, nascida em 4 de junho de 1952, filha de Manoel Gurgel de Brito e de Cleonice Morais, foi Primeira Dama de Apodi de 1989 a 1992. É Casada com Simão Nogueira Neto.

Mara Marlizete Duarte Marinho de Paiva - Nasceu no Sítio Juncal, Apodi-RN, filha de Antônio Duarte de Morais e Maria Lizete Marinho Duarte. Foi primeira Dama no período de 1997 a 2000. É casada com Evandro Marinho de Paiva(Vandinho).

Maria de Lourdes da Silveira Bezerra - A médica Dra. Lourdes, natural de Natal-RN. Filha do pequeno industrial, Severino Edísio da Silveira e da professora Catarina Soares da Silveira. Foi primeira Dama de Apodi por três vezes: 1993-1996; 2001-2005 e 2005-2008. É casada com o médico José Pinheiro Bezerra(Dr. Pinheiro).

Klébia Karina da Silva Gomes - Natural de Mossoró. É casada com o prefeito Flaviano Moreira Monteiro(2013-2016). 

Fontes: Paisagens Femininas de Apodi - Maio de 2006 - Vilmaci Viana 
Marcos Pinto - historiador apodiense.

Amor de menina - Paulo Filho Dantas

“Te quero, te sinto,
Me queres, me sentes,
Te espero, te finto,
Me segues, me tentes

Te busco, te caço,
Me desejas, me proíbes,
Te custo, te amasso,
Me ensejas, me agrides

Te desperto, te provoco
Me dominas, me invocas,
Te incerto, me agrides

Te venero, te imploro,
Me seduz, me fascinas,
Te pondero, te floro,
Me conduz, me alucinas

Te enlouqueço, te perturbo,
Me consomes, me queimas,
Te conheço, te aculturo,
Me somes, me devaneias’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho

domingo, 16 de fevereiro de 2014

2ª Expotec - Campus Apodi



Confira a programação completa da 2ª Expotec do IFRN-Apodi

O Evento realizar-se-á no período de 17 a 21 de fevereiro de 2014 e terá como temática central "Educação, Ciência e Tecnologia na Contemporaneidade: Desafios e Perspectivas".
A programação do evento reunirá um conjunto de atividades, entre elas: apresentações e exposições artístico-culturais, palestras, minicursos, mesas redondas, oficinas, corrida rústica e jogos internos.

A abertura oficial acontecerá as 8:30hs do dia 19/02, com uma mesa-redonda sobre DESAFIOS E PERSPECTIVAS DA IMPLANTAÇÃO DO PROJETO DE IRRIGAÇÃO NA CHAPADA DO APODI, tendo como debatedores o Engenheiro EMERSON FERNANDES DANIEL JUNIOR, Diretor Geral do DNOCS e a professora BERNADETE MARIA COÊLHO FREITAS, professora da Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos - FAFIDAM/UECE e doutoranda em Geografia Humana na Universidade de São Paulo (USP).

Veja a programação completa do evento clicando aqui


Para mais informações acesse: http://portal.ifrn.edu.br/campus/apodi

Ainda ontem acreditei - Paulo Filho Dantas

“Ainda ontem acreditei
Que acreditava
Ainda acreditar

Acreditava acreditar em nós
Não somente no desejo
Sem vontade de potência

Acreditava eu ser capaz
De mudar todo o mundo,
Me esquecendo do detalhe,

Único e definidor
Da nossa mal contada
E adversa história.

Nunca se pode mudar
O que sempre existiu,
Jamais sendo só um.

O mal terrível assola
Nossa maneira de encarar
A verdade da vida.

Não vivemos, apenas fingimos
Cai a máscara, há esquecimento
Que tolo sou eu’’

"Caminhos do Meu Ser" 
Paulo Dantas Magno Filho 

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Sonhar, sonhar - Paulo Filho Dantas


“Estou cansado e sinto desejo
De libertar-me dessa prisão
Que a cada dia traz-me pejo
E ferra, ardendo o coração.

A mais louca vontade de agora
É procurar terras de além-mar,
Sair e buscar os sonhos de outr’ora
Lá permanecer, não mais voltar.

Me envolver no mais delicioso
Prazer a mim, proporcionado, cioso
Esquecer e morrendo de amor.

Para longe meu pensamento voar,
Porque o sonho é para sonhar
Vivendo a vida, suprimindo a dor’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho 

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Brinde - Paulo Filho Dantas

“Brindaremos a revestida esperança
De encontrar alguém no final,
Criemos um elo, uma aliança
Com aquela formosura inigual.

Que’m nossa festa particular
Participou esguia e indiferente,
Seduzindo e cativando o olhar
Sempre do coração da gente

Uma vida passa, eu acompanho,
Eu a desejo, coração tamanho,
Penso, acomoda-a a mente.

Corpo fraco, por que lutar?
Pensamento confuso, devo sonhar?
Só, brada um ser que sente’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho