Pesquisar neste blog

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Escola rural de Apodi abre oportunidades ao oferecer curso técnico á estudantes


Desde o mês de agosto, dezenas de estudantes da zona rural de Apodi têm buscado na educação um futuro melhor através da qualificação profissional. A Escola Estadual Valdemiro Pedro Viana, situado na comunidade de Santa Rosa, na zona rural da cidade, está formando 35 estudantes do ensino médio no curso de Agroecologia. O curso de nível técnico é oferecido pela escola agrícola de Jundiaí, ligada á Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

O diretor da escola, Ivanildo de Oliveira, informou que a chegada deste curso, foi uma realização de um sonho antigo e que, em menos de dois anos, estará inserindo vários jovens no mercado de trabalho.


"A agroecologia é uma questão importante e central dessa região, pois a agricultura familiar é predominante. O curso veio para levantar um grupo de estudantes, que se formem, em uma nova visão com relação á pequena produção sem o uso de produtos químicos e inseticidas industriais", disse.

Para o diretor da escola, o curso de agroecologia tem grande importância para a região, uma vez que o mesmo está interligado com a prática agrícola desenvolvida em toda a zona rural do município. Este mesmo pensamento é compartilhado pela estudante do curso, Thalia Viana.


"Este curso tem tudo a ver com a gente, pois somos da zona rural, e a agroecologia está ligada diretamente á agricultura, onde meus pais são agricultores. É um curso bom pra minha formação, eu que estou terminando o 3º ano do ensino médio preciso de um currículo que seja qualificado, e eu vi neste curso essa oportunidade", disse Thalia.

Em função do horário das aulas normais dos estudantes, o curso de Agroecologia é ministrado cinco vezes por semana, no período da noite. Seu objetivo final é expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional técnica a todos os acadêmicos interessados.

Por Josemário Alves / SOS Notícias do RN

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Escola Agrícola de Jundiaí ofertará curso técnico em Apodi



A Escola Agrícola de Jundiaí, Unidade Acadêmica de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Coordenação Geral do e-Tec/EAJ abre seleção de ofertas de cursos técnicos na modalidade de educação a distância em Apodi / RN. 

Estão sendo ofertadas 35 vagas para técnico em cooperativismo, 35 para técnico em informática e 35 vagas para Técnico em Comércio Exterior.

Os cursos são semi-presenciais com atividades na plataforma online (moodle) e encontros presenciais que ocorrem semanalmente aos sábados na sede do Polo (Córrego, Apodi RN). Mais informações sobre os cursos aqui

Os interessados em participar da seleção para cursos técnicos deverão realizar suas inscrições pessoalmente, no período compreendido entre 12 de setembro e 24 de outubro de 2014, no horário das 8h às 12h e das 13h as 16 horas, exclusivamente no Polo Apodi instalado na Estação Digital Espaço Virtual, localizada no Sítio Córrego, Apodi RN. O número de inscrições é limitada ao triplo das vagas disponíveis

No ato da inscrição no polo o(a) candidato(a) deve levar CPF e RG (documento de identidade)

Conforme detalhes do edital, os candidatos inscritos serão selecionados por meio de provas objetiva e de redação que serão aplicadas no dia 23 de novembro, às 8h, no Sítio Córrego, Apodi RN.

Os alunos que estão estudando o 3º ano do Ensino médio também podem se inscrever.

O processo seletivo será conduzido por uma Comissão de Seleção nomeada pelo Diretor Geral da Escola Agrícola de Jundiaí.

O IFRN Campus Apodi realiza ação educativa relativa ao "Outubro Rosa"


Nesta terça-feira, 21 de outubro de 2014, durante o Seminário de Integração para as novas turmas do semestre letivo 2014.2, foi realizada uma sensibilização com os alunos acerca da Campanha Outubro Rosa. Na ocasião foram entregues panfletos informativos sobre o câncer de mama e a importância do auto exame.


A Campanha:

Outubro é um mês de conscientização mundial sobre o câncer de mama. Nesse período é comemorado o movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa. O nome da campanha se refere à cor do laço rosa, que simboliza a luta contra o câncer de mama. A escolha do referido mês foi baseada no desenvolvimento de ações isoladas de conscientização sobre a doença e realização de mamografias em vários Estados dos Estados Unidos, tendo sido aprovado em congresso que o referido mês seria base para a campanha daquele país, e que posteriormente se popularizou internacionalmente. A campanha tem como objetivo estimular a participação da população, como forma de sensibilizá-la a uma prevenção consciente, focando a importância do diagnóstico precoce.


O IFRN Campus Apodi está fazendo a sua parte. Faça a sua! Todos juntos contra o câncer de mama!

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Recaída... - Aluísio Barros

A solidão de teus olhos
bolando nos meus

Pô...por que a lembrança
de teus lábios não deixa
de esquentar os meus?

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Meu anjo - Aluisio Barros

Perdido dentro de mim
vou
a lugar nenhum;
sem transcender
nem afogar-me catarsicamente
nem explodir na tarde morta.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

O homem da esquina - Dodora

O homem ficava na esquina
querendo ser um intelectual
Falava sempre.
Falava de tudo.
Falava muito
e inventava que era feliz!
Achava que o mundo estava errado.
Ele vivia sonhando em cruzar os setes mares.
Ver a torre de Pisa
Passear nos jardins de Paris.
e brilhar nos países distantes.
Sua mente excitava seus olhos
e ele se sentia o melhor dos homens.
Cada vez mais desejava caminhar nos Países
distantes
Para quê?
Ele não se dizia feliz?

Contraponto - Maria Auxiliadora da Silva Maia - Poesias/Crônicas e Contros Ingênuos - 1ª Edição, 1998

domingo, 19 de outubro de 2014

Doce lembrança - Aluísio Barros

Teu sorriso na foto
traz momento nossos
entre quatro paredes
de um motel qualquer.

"Anjo Torto" - Aluísio Barros de Oliveira 

sábado, 18 de outubro de 2014

Anjo barroco - Dodora

o seminarista
tinha a cara do anjinho barroco
retratado por Bernini
no “êxtase de Santa Teresa”.
Não conseguia reprimir o desejo
Orava,
ardentemente,
desejava
o beijo da menina
amadora,
pecadora,
que aos domingos fingia rezar na igreja.

Contraponto - Maria Auxiliadora da Silva Maia - Poesias/Crônicas e Contros Ingênuos - 1ª Edição, 1998

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Heróis ao contrário - Dodora

Os rapazes, com olhares fugazes,
empinavam as motocicletas
e se disfarçavam de heróis ao contrário
Tinham rostos enigmáticos
e no coração uma vala do tamanho do mundo.
Corriam contra o vento
sem noção do tempo,
por isso nunca encontravam o caminho.

Contraponto - Maria Auxiliadora da Silva Maia - Poesias/Crônicas e Contros Ingênuos - 1ª Edição, 1998

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Centro Cultural intensifica luta pelos direitos e história dos indígenas de Apodi


O Centro Histórico Cultural Tapuias – Paiacus de Apodi, grupo este que busca os direitos dos descendentes indígenas e o resgate da história do município, vive um momento de luta no tocante a realização e construção de obras importantes para a reconstrução da identidade indígena apodiense. Dentre elas, destacam-se a construção de um museu, de uma comunidade Tapuia-Paiacu.

Para a presidente do Centro Histórico, Lúcia Tavares, essas obras irão preservar a história do município e garantir os direitos dos remanescentes indígenas ainda existentes na região.

A vice-presidente, Mônica Freitas, relata que que há uma grande dificuldade na reconstrução e preservação dessa história, uma vez que o Centro não recebe qualquer apoio do poder público. 


Artefatos históricos 

A fim de manter um registro verídico, Mônica comenta que está escrevendo um livro com todos os fatos e acontecimentos que cercam os primeiros habitantes de Apodi.

“É um dos momentos mais importantes do Centro Histórico é esse resgate que vai tentar fazer em um livro sobre a reconstrução da identidade indígena apodiense. Nós, através da organização do Centro, tivemos a oportunidade de reunir fatos históricos famílias e peças líticas que cotam muito sobre os primeiros habitantes de Apodi”, disse ela.

Recentemente, o Centro Histórico Cultural Tapuias-Paiacus firmou uma parceria com o Instituto Federal do Rio Grande do Norte - IFRN Campus Apodi, através da criação de um Núcleo de Estudos Afro-Brasileiro s e Indígenas (NEABI), para realizar ações de ensino, pesquisa e extensão sobre as várias dimensões das relações étnicos-raciais, de sensibilizar, colaborar e promover, ações estratégicas, produzindo e divulgando conhecimentos.

Lúcia Tavares, Mônica Freitas e Isaac Tôrres

Em Apodi, já são mais de 30 famílias que se auto declararam indígenas, mas de acordo com o IBGE, existem na cidade somente 14 inscritos como tal. Devido a isso, Lúcia Tavares ressalta a importância das famílias se auto declararem remanescentes indígenas em cadastros e pesquisas do IBGE.

Por Josemário Alves - Portal S.O.S Notícias do RN

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

A verdade com túnica amarela - Dodora

Na casa imaginária, as paredes eram de vidros,
mas ninguém se via.
Era uma gente medrosa,
mas desejosa
de se reconstruir
Tinham vergonha da verdade nua,
por isso a vestiam com uma túnica amarela
e a deixavam parecendo uma gueixa,
entregue ao sultão
que nunca ouvira falar em castelos medievais,
mas adorava mastigar chicletes.


Contraponto - Maria Auxiliadora da Silva Maia - Poesias/Crônicas e Contros Ingênuos - 1ª Edição, 1998

Homologação de licitação aumenta expectativas sobre a UERN em Apodi


No último dia 02 de outubro, foi publicado no Diário Oficial, o termo de homologação e adjudicação da licitação para a construção do campus da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, a UERN em Apodi. O documento transforma um sonho antigo da população em realidade, uma vez que a implantação de um campus universitário no município está cada vez perto.

Atualmente, Apodi contém cerca de 700 universitários que se deslocam diariamente para as cidades de Mossoró e Caraúbas, onde se concentram os campi universitários mais próximos.

Para o acadêmico de Direito, Pedro Acioly, a chegada da UERN no município só tem a beneficiar, não só na área da educação, mas em diversos outros setores, como a economia.

"Nós vamos ter o benefício da expansão urbana da cidade, com a chegada de novos alunos e professores, resultando no desenvolvimento social e solidário da região da Chapada, onde vai ficar o campus da UERN. E dentre outros benefícios, posso citar a questão da geração de emprego no município, injeção na economia local e a diversificação de cursos que vão vir pra Apodi. É extremamente importante que a população de Apodi continue unida, e que a nossa bandeira seja a bandeira da UERN, para que a gente cobre a concretização real desse sonho", disse ele.

Com a aproximação da concretização do sonho dos apodienses, cresce a expectativa de cursar o ensino superior em sua própria terra, sem precisar se deslocar grandes distâncias, foi o que comentou ainda o universitário Pedro Acioly.

"Já faz uns 40 anos de luta que Apodi tenta realizar esse sonho, e agora finalmente vai sair do papel, é um sentimento compactuado por todos. Nós universitários passamos por muitas dificuldades, é ônibus lotados, as vezes quebrados, e a gente fica a mercê da universidade mais próxima que fica em Mossoró. Ao meu ver, essa universidade chegando aqui é um ganho enorme para a cidade de Apodi", concluiu Pedro.

O campus da UERN em Apodi foi licitado em mais de R$ 4 milhões. A estrutura ficará localizada na zona rural do município ás margens da BR – 405 na Chapada do Apodi.

A sua construção começará após a empresa vencedora do certame licitatório assinar o termo de contrato junto á instituição.

Por Josemário Alves - Portal S.O.S Notícias do RN 

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Guadalupe e o país de sem-tetos - Dodora

A família unida,
no sonho, 
por um pedaço de pão, 
de chão. 
Reclamando o seu direito, 
precisando de uma mão
que a protegesse no país de sem-tetos. 
Com olhares profundos, prescrutava o horizonte
e via a esperança se diluindo no orvalho. 
Viver dignamente era o seu direito
no País continental,
descoberto por Cabral;
e que amava Aparecida, a padroeira. 
Guadalupe, protetora da América Latina,
protegia a família unida,
que por um pedaço de chão,
de onde tiraria o seu pão,
se sujeitava a morar em covas rasas. 
com os sujos corpos crivados de balas. 

Contraponto - Maria Auxiliadora da Silva Maia - Poesias/Crônicas e Contros Ingênuos - 1ª Edição, 1998

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

A mulher que se dizia flor do Lácio - Dodora

Uma chuva caindo vaporosa.
Uma mulher chorando copiosa
como serpente querendo engravidar.
A mulher era louca varrida e via, na cama, uma Esfinge indecifrável.
Como quase toda louca varrida ela ficava penteando os cabelos
e subindo os degraus da escada.
Gostava de se sentir uma mulher definitiva.
Amada.
Amante do sargento mal encarado.
A mulher era uma louca varrida
e se dizia a última flor do Lácio inculta e bela.

Contraponto - Maria Auxiliadora da Silva Maia - Poesias/Crônicas e Contros Ingênuos - 1ª Edição, 1998

domingo, 12 de outubro de 2014

Gincana Cultural do PDA Santa Cruz na E. E. Sebastião Gomes de Oliveira de Melancias


A equipe de educadores do PDA Santa cruz do Apodi esteve na Escola Estadual Sebastião Gomes de Oliveira, em Melancias e realizou gincana cultural com os estudantes. 


Foi boa a participação dos alunos e houve muitas brincadeiras, brindes e lanche, que foi servido a todos presentes. O PDA Santa Cruz agradece o acolhimento da direção e toda equipe da escola.












Alunos da Escola Sebastião Gomes de Oliveira desenvolvem projetos do programa “Mais Cultura nas Escolas”





A Escola Sebastião Gomes de Oliveira já esta realizando seus projetos relativos ao programa “Mais Cultura nas Escolas”, A diversidade cultural é um dos objetivos do programa. O PROGRAMA MAIS CULTURA NAS ESCOLAS consiste em iniciativa interministerial firmada entre os Ministérios da Cultura (MINC) e da Educação (MEC). 


Tem por objetivo: reconhecer e promover a escola como espaço de circulação e produção da diversidade cultural brasileira; contribuir com a formação de publico para as artes e ampliar o repertório cultural da comunidade escolar; desenvolver atividades que promovam a interlocução entre experiências culturais e artísticas; fortalecer e consolidar territórios educativos, valorizando o diálogo entre saberes comunitários e escolares.

integrar experiências artísticas e culturais locais no projeto político pedagógico das escolas públicas, proporcionar aos alunos vivências artísticas e culturais promovendo a afetividade e a criatividade existentes no processo de ensino e aprendizagem. Leylla Carla Produções e Eventos foi a autora do projeto junto a Escola Sebastião Gomes de Oliveira, cerca de 80 alunos estão inscritos e participam do projeto. As atividades são acompanhadas pela gestão da escola.