Pesquisar neste blog

sábado, 31 de agosto de 2013

IV Conferencia Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente da Escola Sebastião Gomes de Oliveira

A Escola Estadual Sebastião Gomes de Oliveira- Distrito de Melancias-Apodi-RN, realizou nesta Sexta-feira, dia 30 de Agosto de 2013, a IV CONFERENCIA INFANTO JUVENIL PELO MEIO AMBIENTE, com o Tema: VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM ESCOLAS SUSTENTÁVEIS.

Atividades

As atividades foram as seguintes: Exibições de Vídeos sobre a problemática do lixo - talvez o maior causador das mudanças climáticas e outro efeitos catastróficos à natureza; 
Pesquisas em livros e internet sobre como cuidar melhor do nosso planeta; 
Rodas de dialogo/ conversas entre alunos e professores - dentre eles citamos os professores: Carlos Jose Carlinhos - Professor de Ciências e Geografia, Poli Raposo - Professora de História e Cultura, Berg Cavalcante - professor de Educação Física e Gicleana- Professora de Língua Portuguesa. 
Realizamos uma oficina de Reciclagem, onde na qual foram confeccionados: Brinquedos, objetos de Decoração - dois Puffs de Garrafas pet, algodão de resto de fraldas descartáveis e tecido; 
Inicio da COLETA SETETIVA DE LIXO ELETRÔNICO, tendo como parceira a Escola Municipal Raimunda Florêncio. 
Distribuição de Panfletos com a divulgação do Projeto Escola Consciente - Planeta saudável e solicitando apoio da própria comunidade no que diz respeito a REDUÇÃO DE LIXO na comunidade, dentre outras atividades. 

Ontem foram apresentados 3 projetos: BIBLIOTECA ECOLÓGICA, O LIXO QUE VIROU BRINQUEDO E ESCOLA CONSCIENTE - PLANETA SAUDÁVEL. 

Tivemos a presença de Flavia Silveira - Técnica da 13ª DIRED, dos Gestores: Ismael Simao  e Anazilda Meneze, do Diretor da Escola Raimunda Florencio, Xavier Pinto, dos Professores: Iva, Carlinhos, João Dehon de Sousa, Neires Barbosa, Gicleana da Secretária Geral, Iris da Professora do Mais Educação, Geane, equipe de apoio e alguns alunos do Ensino Médio, alem dos alunos do 6º ao 9º Ano. 

Além da apresentação dos projetos, tivemos a maravilhosa apresentação da Coreografia PLANETA ÁGUA - música de Guilherme Arantes, Exibições de dois vídeos abordando a situação do nosso Meio Ambiente. Conversas, discussões sobre os cuidados que devemos ter com nossa localidade, município, estado, país, enfim, com nossa grande casa - TERRA. Foram eleitas a Delegada - Jaqueline e Suplente, Raquel Ferreira. 

O projeto Eleito pelos alunos foi " O LIXO QUE VIROU BRINQUEDO"- dentro do Subtema TERRA. Agradecemos a todos que estiveram presentes. Vamos continuar desenvolvendo os outros dois projetos. Iremos nos reunir para planejar em como continuar os mesmos.

Convém ressaltar que a Escola Sebastião Gomes de Oliveira em Melancias, já possui a AGENDA 21, que foi elaborada, entre Maio e Junho de 2012 e que, os 13 objetivos/propostas dessa agenda, foi resultado de todo um trabalho de sensibilização e pesquisa de todos os alunos, professores do 6º ao 9º e demais servidores da referida Unidade de Ensino. Ainda ressaltamos que temos tudo registrado no Livro da COM VIDA da Escola.

Veja algumas fotos:









 
Os alunos Juninho Carmo e Danilo Freire, apresentando o Projeto Escola Consciente- Paneta Saudável...Parabéns alunos... O projeto não foi o eleito, mas vamos dar continuidade no mesmo, afinal,muitos de vocês sugeriram em 2013, coletas seletivas de lixo, inclusive o LIXO ELETRÔNICO







Matéria feita pelo  Prof. Raimundo Torres 

Tenente Solon Andrade de Araújo - ex-prefeito

TENENTE SOLON ANDRADE DE ARAÚJO, natural de Natal/RN, era filho do Capitão PM Joaquim Andrade de Araújo. Sólon, antigo oficial da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, poeta e um “soldado perfeito’’, era estimado na caserna, pois com os superiores e subalternos sabia viver, pondo em linhas paralelas a disciplina militar e o sentido humano que deve estar presente em todos os atos da vida”.

Exerceu a função de delegado de polícia no município de Mossoró no período de 24 de abril de 1935, além de delegado também exercia a função de comandante da Companhia de Fuzileiros.

Em 1931, foi nomeado Interventor Municipal de Apodi pela Interventoria Federal do Rio Grande do Norte, em substituição ao prefeito Tilon Gurgel do Amaral. Solon Andrade foi prefeito do Apodi no período de 05/05/1931 a 25/09/1932, quando foi substituído pelo prefeito Sebastião Sizenando Sena e Silva.

Foi comandante geral da Polícia Militar em três períodos: 12/7/44 a 28/6/48; 9/11/45 – 9/11/46 e 27/12/50 – 30/1/51. Solon Andrade faleceu no dia 16 de março de 1956.

Fonte: Portal Oeste News

Tragédia do Apodi em 1985 - Valcides Pinto

Tragédia do Apodi em 1985 - Autor Valcides Pinto. 
Uma narrativa em forma de cordel.


Clique aqui para ver ou baixar

Fotos da Feira de Ciências da Escola Estadual Valdemiro Pedro Viana

Clique aqui para ver as fotos


Fonte: Blog do Cassinho Morais

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Resultado de seleção para Curso Técnico em Cooperativismo e-tec EAJ UFRN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE 
ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ 
COORDENAÇÃO GERAL DO E-TEC/EAJ/UFRN 

Resultado do Edital No 11/2013 

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), torna público o Resultado do Processo Seletivo para os cursos: Técnico em Agroindústria (subsequente), Técnico em Informática (subsequente), Técnico em Cooperativismo (subsequente) e Técnico em Comércio Exterior (subsequente) ofertados na modalidade de Educação a Distância dispostos no Edital No 11/2013. 

O candidatos que desejem interpor recurso contra o resultado deverão seguir as orientações presentes no capítulo IX do edital do processo seletivo. 

O candidatos classificados poderão realizar as matrículas no período de 09 à 13 de setembro de 2013 nos locais onde foram realizadas as provas. Mais detalhes sobre a matrícula serão posteriormente divulgados no sítio da EAJ (http://www.eaj.ufrn.br). Para maiores informações, entrar em contato com a Coordenação Geral do e-Tec/EAJ/UFRN através do telefone (84) 3342-4836. 

Macaíba, 30 de Agosto de 2013. 
Ivan Max Freire de Lacerda 
Coordenador Geral do E-tec/EAJ/UFRN 

Júlio César de Andrade Neto 
Diretor da Escola Agrícola de Jundiaí


Agosto da alegria em Apodi



Cultura, folclore, tradição, costumes tomaram de conta das ruas, praças e da ACDA em Apodi. Tudo isso ficou representado no agosto da alegria que aconteceu no início da noite de ontem, quinta feira,  29.



A grande maioria das escolas jurisdicionada a 13º DIRED abrilhantaram o evento, organizada pela equipe da própria DIRED.


O agosto da alegria é uma festa folclórica idealizada pelo governo do estado em parceria com as DIRESs, a fundação José Augusto, dentre outros parceiros que visa fomentar a festa do folclore, da cultura popular, da música, do cinema, do teatro, da dança, das artes plásticas, da música, do artesanato e da alegria.






A cultura do nosso povo mudou demais nos últimos tempos e para pior. O agosto da alegria é um evento cultural muito importante. Existem místicas, brincadeiras e tradições hoje que só é possível ver e ouvir um evento como esse.

Zoológico de animais pintados em pedras do Sítio Santa Rosa

Figuras de animais pintadas em pedras formam um zoológico na comunidade rural de Santa Rosa, município de Apodi, criado pelo agricultor Aldeci do bar do gato

ANTONIO FRANCISCO GOMES, professor municipal na zona rural de Apodi é o responsável pela escultura e pintura das pedras que deram formas a animais da região e compõe o “zoológico de pedra ou “selva de pedra” que deu um tom diferente ao cenário da região, mudando totalmente o quadro peculiar da localidade, o Sítio santa Rosa, as proximidades das margens direita da RN 233, trecho Apodi-Caraúbas, próximo ao Bar do Gato.

No lugar antes predominava somente pedras e mato seco e hoje abriga um cenário singular e criativo. Ele conta que tudo começou nas cotidianas “resenhas” que tinham todas as tardes no “BAR DO GATO”, onde jogavam sinuca e se tomava uma cachacinha. Daí, de tanto observar as pedras do outro lado, viu um dia que, as mesmas mostravam alguma coisa e percebeu que algumas tinham o formato de animais, e como pinta desde criança, ANTONIO FLORENCIO que tem outras profissões, professor, serigrafista, serviços  eletrônicos e músico – sentiu que as mesmas podiam receber uma melhor semelhança com um trabalho de escultura e ter mais vida com um outro trabalho, que seria o de pintura e, começou a estudar as formas que as pedras tinham e fazer a sua seleção. Segundo ele, algumas pedras não sofreram alterações. Teve pedras que nem mexemos, já estavam na medida para pintar, cuja pintura foi feita com tinta plástica.

Explicando como deu formas e vidas ao seu ufológico de pedras”, Florêncio ressalta que foram meses de trabalho e que a cada animal que ia se revelando na escultura e na pintura, aumentava a inspiração e vontade de concluir o trabalho. Há uma grande variedade de bichos no zoológico: vaca. gatos, macaco, cachorro, elefante, tatu, peba, leão, urso, camelo, galinha, coelho, jacaré, cavalo e outros.

Fonte: Jorna de Fato
Copiado do Portal Oeste News

Sebastião Gomes de Oliveira realiza IV Conferência Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente nesta sexta-feira

A Escola Estadual Sebastião Gomes de Oliveira em Melancias-Apodi,nesseperíodo no qual todas as escolas brasileiras já realizaram ou estão se preparando para realizar a IV CONFERENCIA INFANTO JUVENIL PELO MEIO AMBIENTE, com o tema: "Vamos cuidar do Brasil com escolas sustentáveis" que poderá acontecer até 31 do corrente, vem procurando orientar os alunos do 6º ao 9º Ano, com o apoio dos professores, equipe de apoio e gestores, no sentido de desenvolver projetos que abordem temáticas ligadas as questões ambientais.

Para o conhecimento de todos, estamos com projetos voltados para a problemática do LIXO, tendo em vista a urgência de atitudes que possam frear a excessiva produção do mesmo e seus efeitos catastróficos, quando jogado em locais inadequados.

Sabemos que a Instituição ESCOLAR é uma referência, onde quer que esteja situada, seja na Zona Urbana ou Rural. Sendo assim, a ESCOLA SEBASTIÃO GOMES, em parceria com a ESCOLA MUNICIPAL RAIMUNDA FLORÊNCIO, se tornou um PONTO DE COLETA SELETIVA DO LIXO ELETRÔNICO- sobre esse tipo de lixo, estamos tomando os devidos cuidados- já está sendo reciclado, através de ideias sugeridas e colocadas em práticas pelos próprios alunos e outra parte, destinaremos ao CAMPUS DO IFRN - algo que será comunicado oficialmente ao Instituto.

Portanto, você aluno da Escolas mencionadas, moradores de todo o Distrito de Melancias que não deseja mais dar o destino que antes dava ao lixo eletrônico - certamente, destino inadequado, traga o lixo produzido - lixo eletrônico às escolas mencionadas.





Faça a sua parte: contribua, sensibilizando a comunidade a preservar o Meio Ambiente- REDUZINDO, REUTILIZANDO E RECICLANDO principalmente o lixo eletrônico, o lixo que a mesma produz.
Repense suas atitudes quanto a questão do lixo - um dos principais causadores da degradação ambiental no planeta...




Contamos com toda população Apodiense que mora em Melancias.!!!
VEM SOMAR CONOSCO NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE!

A IV CONFERENCIA INFANTO JUVENIL PELO MEIO AMBIENTE NA E.E.S.G.O será realizada nesta sexta-feira, dia 30 de Agosto, no turno Vespertino.

Enviado por Raimundo Torres 

Por que escrevo - Maria Luiza

Escrever é...
expressar
sentimentos
pensamentos
anseios
devaneios
ações
convicções

Escrever é...
Exteriorizar
o meu interior
estendê-lo a outras pessoas
compartilho com alguém.

Escrever é...
Colocar-se
em risco,
em evidência
pedaços de mim
quem sabe, o meu todo...
À minha própria consciência
essência!

Escrever é...
Expor-me por escrito
(Que veredito!)
Há um medo (confesso!)
como por um raio fascinante
O meu interior exige que eu escreva...

Escrever é...
Arquivar
partes de mim,
dos fatos da própria vida
na tentativa
de fazer o tempo parar
enquanto guardo
“debaixo de sete chaves’’
o que penso
sinto
idealizo
vivo!

Escrever é...
Contar para o papel
um segredo só nosso
A ninguém é dado o
direito de interferir
nesse trio: Eu, caneta e papel
(Pensando bem, só Deus!)
Mas creio que
se escrevo é porque Ele me permite.
concedeu-me esse dom
Algo bom!

Quando escrevo
dou vazão do meu eu
Se isto não acontece
sou como um vulcão
prestes a entrar
Mas agora,
já não importa
sinto-me livre
como uma gaivota!

"Vozes de um coração''
Maria Luiza Marinho da Costa

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Isabel Aurélia realizou a IV Conferência Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente

A Escola Municipal Isabel Auréia Tôrres realizou da tarde desta Quinta-Feira (29/08) a IV Conferência Nacional Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente. Durante a realização do evento foram apresentados projetos pelos alunos do 5º ao 9º ano sobre coleta seletiva, reciclagem, compostagem e Horta Orgânica.

A IV Conferência Nacional Infanto juvenil pelo Meio Ambiente é voltada para as escolas com pelo menos uma turma do 6° ao 9° ano (5ª a 8ª série) do Ensino Fundamental, cadastradas no Censo Escolar de 2011 –INEP, públicas e privadas, urbanas e rurais, da rede estadual ou municipal, assim como escolas de comunidades indígenas, quilombolas e de assentamento rural. Todos os estabelecimentos escolares com esse perfil podem participar. A adesão ao processo de Conferência é voluntária.

O processo da IV Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente envolve as seguintes etapas:

• Conferência nas escolas (obrigatória)- até o dia 31/08/2013;

• Conferencias municipais e/ou regionais (opcional) até o dia 06/10/2013;

• Conferência estadual (obrigatória) até o dia 25/10/2013 e

• Conferência nacional nos dias 25 a 29 /11/2013.
(13diredapodi.blogspot.com.br)

Segue fotos:




Reciclagem 

Escolha do representante da conferência 

Caubí Torres representará Apodi no III Fórum de internet no Brasil em Belém - PA


O professor Caubí Torres, representará o município de Apodi / RN no III Fórum da Internet no Brasil, promovido pelo Comitê Gestor da Internet, visa reunir representantes da comunidade acadêmica, do terceiro setor, do segmento empresarial e do governo para discutir os desafios atuais e futuros da Internet.
O III Fórum da Internet no Brasil ocorre de 03 a 05 de setembro de 2013 no Hangar Convenções na cidade de Belém, no Pará. 

O Fórum objetiva ampliar e propiciar espaços conversacionais multissetoriais para identificação de dissensos em torno das atuais questões e soluções da Internet, esclarecimentos dos tópicos abertos ao debate e abrir-se para possibilidades de novos consensos. O Fórum é um espaço e um convite a conversas multissetoriais.

A metodologia adotada para o III Fórum prevê sua realização dividida nos seguintes momentos:
- Abertura
- Trilhas Temáticas
- Seminário WSIS+10
- Atividades autogestionadas e desconferências
- Plenária Final

Mais informações do evento aqui

Escola Estadual Zenilda Gama

Histórico
A Escola Estadual professora Maria Zenilda Torres Gama foi criada no dia 11 de novembro de 1998, pelo Governo do Estado Garibaldi Alves Filho, sendo construída com recursos do projeto Nordeste. Passou a funcionar no ano de 1999, mas sua inauguração oficial só ocorreu no dia 15 de dezembro de 2001. Sua primeira gestora por indicação do governo Garibaldi foi a Senhora Eleusa Moreira Gurgel Fernandes, que foi substituída no ano 2001 pelo diretor Izauro Camilo de Oliveira Neto e pela vice-diretora Telma Gomes de Oliveira. 
A professora Patricia Lorena Raposo foi diretora de 2002 a 2005 e teve como vice, a senhora: Guiomar Cunha Mota Neta. No final de 2005 ocorreram eleições diretas para diretores de escolas públicas, onde os professores: Izauro Camilo de Oliveira Neto e Gessione Morais da Silva foram eleitos para gerir esta escola por dois anos. Como diretor e vice, respectivamente. Os mesmos foram reeleitos em 2007, sendo o período de gestão de 2006 a 2009. No final de 2009 ocorreu mais uma eleição direta, sendo eleitas para o processo de gestão as professoras: Aloma Tereza Cavalcante Nogueira e Rosa Maria Chaves Pinto Nunes, que foram reeleitas para o biênio de 2012 e 2013. No entanto, a diretora Aloma pediu exoneração do cargo no início de 2013, passando a assumir a função de diretora a professora Eleusa Moreira Gurgel Fernandes, através do processo de aclamação.

Eventos da escola
Toda a equipe da Zenilda Gama esteve sempre empenhada na realização de grandes eventos, dentre eles: dia das mães, dia dos pais, dia do estudante, páscoa, dia do professor etc. A escola realiza a Feira de Ciência e Cultura da escola Zenilda Gama - FECEZG, onde aborda diversos temas como: cultura, esporte, meio ambiente, entre outros.

No ano de 2005 foi criada a 1ª gincana cultural e literária, que foi um grande sucesso sendo premiada pela governadora Wilma de Farias com mérito educacional potiguar na categoria cultura. Desde a sua fundação realiza o famoso Arrastapé, às vezes na escola outras na ACDA, sempre com o apoio dos alunos e da equipe.

Uma das grandes metas da escola é oferecer aos alunos a oportunidade de discutir sobre diversos temas que venham favorecer a sua vida pessoal e profissional, tais como: drogas, sexualidade, política, cidadania, cultura, entre outros. Para isso foram elaborados projetos que venham viabilizar estas discussões e um possível entendimento sobre tais questões. Participar dos eventos como: 7 de setembro, JERN’s, festa dos padroeiros, gincana do estudante, apresentações culturais etc, sempre despertaram grande interesse dos alunos e da equipe.

Em 2012 ao participar da feira ciência para todos no semiárido potiguar a escola foi premiada em 2º lugar na regional; 4º lugar na estadual (sendo classificada com o projeto: uso de cera de abelha no revestimento de frutos, para participar da FEBRACE 2013) ; 1º lugar na CIENTEC 2012.O projeto foi destaque na FEBRACE que ocorreu em março deste ano na cidade de São Paulo, sendo premiado em 5 categorias com duas premiações em primeiro lugar: destaque em empreendedorismo e projeto em grupo-ciências agrárias, sendo classificado para a 9ª FENECIT (Feira Nordestina de Ciências e Tecnologia) que será realizada em Pernambuco no mês de outubro de 2013) Também participou da EXPO MILSET Brasil em Fortaleza-CE em maio deste ano.





Escola Zenilda Gama realiza sua IV Conferencia Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente


Durante toda manhã de hoje, 29, a comunidade escolar, alunos e professores da escola Zenilda Gama realizaram sua IV CIJMA (Conferencia Infanto Juvenil pelo meio Ambiente). A participação dos alunos foi maciça. O evento também contou com a presença dos vereadores João Evangelista, Nilson de João Lucas, Ângelo Suassuna e Júnior Carlos.



A IV CIJMA tem por objetivo levar a juventude a refletir sobre as questões ambientais, como a importância de proteger o meio ambiente como uma forma de garantir a sobrevivência das gerações futuras. A IV CIJMA será realizada em quatro etapas: A primeira nas escolas, depois a nível municipal, depois a nível estadual e por fim a nível nacional. O evento esta sendo realizado em todas as escolas do Brasil.



Depois da apresentação de maravilhosos projetos dentro dos temas: Terra, água, fogo e ar, os próprios alunos escolheram como projeto vencedor o do 7º ano, que teve como tema o Ar com o sub tema, poluição do ar, que por sua vez teve como orientadora a professora Maria de Jesus Câmara.


Os próprios alunos escolheram também um delegado e um suplente para representar esse projeto do 7º na conferencia municipal em setembro. A aluna Alana Monalisa do 8º ano, foi eleita como delegada e Lindielson dos santos, do 7º como suplente. Show de bola. Bela conferencia. Parabéns a todos os projetos, alunos e professores envolvidos.

Acorda, Apodi! - Maria Luiza

Acorda, Apodi!
Terra mui querida
jamais esquecida
pelos que passam por aqui.
Acorda, Apodi!
Vence a prostituição
às drogas diga "NÃO!''
antes que o mal
te trague
te estrague
te acabe
e você desabe.
Acorda, Apodi!
Geração pervetida
entristecida
adormecida
pelo álcool
pelo sexo livre
Que de liberdade
não tem nada.
Que liberdade é essa?
Funestal
Que aprisiona
mata aos poucos
aos socos
silenciosos ou roucos,
desestrutura
vidas imaturas
prematuras
lares
crianças inocentes
Oh, Apodi!
Inundas de lágrimas
os olhos de tua gente...
Acorda, Apodi!
Terra do brioso
saudoso
Válter de Brito Guerra
Grande historiador
Vence essa guerra
Vence essa dor
que sobrevém a ti, Apodi.
Acorda, Apodi!
Vê que sacrilégio
A moda agora é o adultério,
se alguém assim
não agir
ou não deixa-se permitir
é antiquado
atrasado
ultrapassado
A onda é trair
atrair
infringir
Acorda, Apodi!
Com sua cultura tão rica
nesses vales
na Chapada
tão amada
mas degenerada
destroçada
no pecado enlameada.
Acorda, Apodi!
Por favor, não se destrua
Não morra
tal qual
Sodoma e Gomorra.
Tu tens talento
cantores
atores
escritores
doutores
artesãos
artistas plásticos e tantos outros...
à vista aqui e ali
despontando
atuando
fazendo jus
À terra da Barragem de Santa Cruz
ao Lajedo de Soledade
conhecido internacionalmente
pela brava Dodora,
Mas lá no íntimo
ressoa:
És terra doente
dormente
que demorou a preservar
o seu lajedo
Assim como
está demorando
protelando
a preservar o seu
maior patrimônio: A VIDA!
Terra boa
de imensa lagoa
Cartão-postal
de uma cidade legal
para todos
menos para si mesma
Pois tens caído
seduzida
envolvida
na vida perdida
sem perspectiva
de qualidade de vida
digna
Acorda, Apodi!
Vê quantos choram
por famílias desfalcadas
aniquiladas
desestruturadas
que se renderam
à moda do amor
não amor â moda antiga
Mas o amor
objeto descartável
que"fica''
sem compromisso
sem preocupar-se
com o amanhã
apenas vive o momento
que se esvai
como o vento
sem pensar que o tormento
pode vir depois
com a AIDS chegando...
Sorrateiramente
o mal se alastrando
Aqui e ali
nas esquinas do Apodi.
O sexo livre é pregado
desde que seja prevenido
E quanto ao resto?
será descartável?
Onde é que fica
e como fica
O corpo
A mente
O espírito
A decência
A consciência
que se dá
que se doa
"numa boa''
sem compromisso
causando rebuliço
na vida de pessoas
que caminham
pelas suas ruas
à toa
a esmo
na vida
por ter sido atingida
ferida
iludida
desiludida
aturdida
sucumbida
por você, Apodi!
Acorda Apodi!
Vê que tens tantos valores
Chega de dores
desamores
dissabores
Reage, Apodi!
Luta
Disputa
Oh, Pody dos encantos
enxuga o pranto
encanta
e canta
Um canto de liberdade
e não de libertinagem
Acorda, Apodi!
Tu tens mentes brilhantes
Olha com bons olhos
para o novo
renovo
É grande o desafio
Se liga,
Não desliga,
Sintoniza!
Acessa o seu interior
Olha para ti
com amor
Vence o rancor!
Sempre é tempo
de restaurar
revolucionar
modificar
Vamos tentar
todos juntos
em conjunto
Lutar
com ardor
amor
destemor
independentemente
de religião
raça
cor
para ultrapassar
as crises
Apagar as cicatrizes
sem deixá-las
abalar-te, Apodi!
Tombar teu nome?
Teu nome é coisa firme
E é assim que tens que ser.
Já não podes vacilar
Imita os irmãos Nogueira
que atravessaram fronteiras
para tuas terras
desbravar,
Terras esta que deve
ser firme
tal qual
seu nome de origem,
Altura unida
Unidade
Jamais denegrida
nem caída
em qualquer idade.
É nossa,
essa responsabilidade
Acorda, Apodi!
Pensa no legado
que deixaria
para os seus
filhos
netos
bisnetos.
Que cultura
terão as gerações futuras?
Não destrua seus monumentos
sentimentos
fundamentos
Busca
rebusca
os seus valores
Encara
Sara
as tuas dores
arranca os espinhos
as ervas daninhas
e cultiva as flores.
Tu és o oásis
da Região Oeste
Isso é inconteste!
Portanto,
chega de secura,
Proteste!
Sempre é tempo de
construir
reconstruir
prosseguir
seguir
ir...
Acorda, Apodi!
Ouve os rogos
de quem tanto
te ama
proclama
ao PAI maior:
Misericódia para ti
Poty Pody Apodi!

"Vozes de um coração''
Maria Luiza Marinho da Costa

Cangaço no Rio Grande do Norte - A história que não foi contada (II) - Por Marcos Pinto

Quando um dia se fizer um acurado levantamento de fatos considerados históricos, atinentes à investida de Lampião e seu bando ao Rio Grande do Norte, restará provado e comprovado que muitas pessoas que viveram a contemporaneidade desses fatos, incorreram em oluntariosa omissão, negando-se a darem seus depoimentos a pesquisadores/historiadores, cujos depoimentos seriam de suma importância para o cotejo das provas. Esquivaram-se sob a pusilânime assertiva de que omitiam-se "por medida de cautela, ocultando evidências que, segundo suas pérfidas óticas, seria natural em quem revolve acontecimentos de ontem, com perspectivas hodiernas de trazer à tona fatos adrede combinados para serem "guardados à sete chaves", como se diz no sertão.

A partir do ano de 1915 foi instalado o clima de terror no município de Apodi, quando aportaram em Apodi os truculentos Srs. Martiniano de Queiroz Porto, oriundo da serra do Pereiro, no Ceará, e Juvêncio Augusto Barrêto, ambos trazendo seus jagunços, geralmente composto por celerados fugitivos da Justiça. Martiniano fixou residência na cidade, onde comprou um prédio residencial assobradado, onde escondia seus capangas. Juvêncio oriundo da cidade de Martins, onde renunciara ao cargo de Vereador, tendo se instalado em uma fazenda que comprara e que era denominada de "Unha de Gato", onde transformou em coito para vários cangaceiros, destacando-se Massilon Leite e Júlio Porto, então adolescente criado por Martiniano Porto. O nome civil de Júlio era Júlio Santana de Melo, tendo adotado o sobrenome Porto em homenagem à Martiniano Queiroz Porto. A vinda desses dois virulentos senhores para o Apodi deu-se em atendimento ao convite feito por Felipe Guerra e seu cunhado Tilon Gurgel, para cerrarem acirrada oposição política ao Coronel João Jázimo Pinto.
TILON GURGEL


Um fato que corrobora o gênio irascível e virulento do Sr. Felipe Guerra atrela-se à minudência de que, em toda sua trajetória de Juiz de Direito e de Desembargador passou mais tempo em disponibilidade do que mesmo no exercício da função judicante. Formou-se uma trinca sinistra no judiciário estadual, com atuação na região Oeste do estado, composta pelos truculentos Juízes de Direito Horácio Barrêto, (Sobrinho de Juvêncio Barreto) que ocupou a comarca de Pau dos Ferros, no período 1901-1915, onde casou com uma moça da família Diógenes, Felipe Guerra, José Fernandes Vieira (genro de Martiniano Porto) e João Francisco Dantas Sales. 

Os ânimos desse conluio de Magistrados foram acirrados com a investidura de Ferreira Chaves no governo estadual para o período 1914-1919, sendo certo que em 1919 Ferreira Chaves promoveu para Desembargadores os magistrados Horácio Barreto, sobrinho de sua esposa Alexandrina Barreto, e Felipe Guerra, que por sua vez convidou o seu amigo íntimo o Juiz de Direito João Francisco Dantas Sales para ocupar a Comarca do Apodi, consumando um plano adrede traçado para que este Juiz perseguisse a harmoniosa e pacífica hoste política da tradicional família PINTO, comandada pelos Coronéis João Jázimo Pinto e seu genro Coronel Francisco Pinto. Felipe Guerra era casado com uma irmã do não menos truculento Tilon Gurgel. 

FELIPE GUERRA

O período da titularidade do Juiz João Francisco Dantas Sales (1922-1925) transformou a região do Apodi em palco de toda sorte de atentados à integridade física e à propriedade privada. Esse magistrado transformou sua residência em coito para os celerados Benedito Saldanha e seu irmão Quinca Saldanha, famosos chefe de grupo de cangaceiros instalados em Caraúbas, em sua fazenda denominada de "Setúbal". O douto Juiz chegou ao disparate de acoitar em sua residência a um arruaceiro de nome Manoel Elias de Lima, que acabara de praticar uma tentativa de homicídio dentro do mercado público de Apodi, quando alvejara com um tiro de revólver o cidadão Vicente Gomes de Oliveira. Observava-se às escâncaras o conúbio criminoso-protetivo existente entre o Juiz João Dantas Sales e os Chefes de cangaceiros Décio Holanda/Tilon Gurgel, Martiniano Porto/Juvêncio Barrêto, Benedito Saldanha/Quinca Saldanha.

Há um fato emblemático contido no Processo-Crime de Nº 486/1925, (Comarca de Apodi) em que aparece como indiciado o celerado Décio Holanda , cujo nome civil era Décio Sebastião de Albuquerque, e que representa um liame com o ataque de Lampião e seu grupo à Mossoró. Trata-se do depoimento do respeitável cidadão Vicente Gomes de Oliveira, prestado a 03.05.1925, que dentre outras arguições, afirmou: " Que é público e notório nesta cidade do Apodi, que Décio Sebastião de Albuquerque comprou em Mossoró dois mil cartuchos com balas para rifle e que estão depositadas em sua propriedade "Pedra das Abelhas" neste município.

Na época correram rumores que a compra do arsenal bélico feita pelo Décio fora intermediado por Felipe Guerra e Jerônimo Rosado. Que Décio tem em sua casa de residência, na residência de seu sogro Tilon Gurgel e na casa de Belarmino de Tal, tudo na mesma propriedade "Pedra das Abelhas" e em sua outra propriedade denominada "Pacó" grande quantidade de armamentos e mais munições para o fim de atacar com cangaceiros os habitantes desta cidade amigos políticos do Coronel João Jázimo, ao própiro Cel. João Jázimo, atacando simultaneamente a força pública mandada pelo governador do estado para manter a ordem nesta cidade".

CANGACEIROS FAZEM POSE PARA FOTOGRAFIA

Como o Juiz João Dantas Sales soube no mesmo dia 03 de Maio que o então Delegado Especial Capitão Jacinto Tavares Ferreira ouvira em depoimento o Sr. Vicente Gomes de Oliveira, e que nesse mesmo dia o dito Delegado mandara lavrar Auto de Busca e Apreensão a ser cumprida por um efetivo policial composto por 40 praças e um Sargento no dia seguinte , enviou mensageiro especial para a fazenda "Pedra das Abelhas" avisar aos bandoleiros Décio Holanda e Tilon Gurgel, que neste mesmo dia enviaram o arsenal em comboio animal para a fazenda dos celerados Benedito e Quinca Saldanha, em Caraúbas. O certo é que, efetivamente a 04 de Maio de 1925 a tropa policial dirigiu-se para "Pedra das Abelhas", onde no lugar conhecido como "Saco do barro" houve o confronto entre a jagunçada de Décio Holanda/Tilon Gurgel, evento que inserí nos anais históricos como tendo sido O FOGO DE PEDRA DE ABELHAS, cujo relato foi objeto de artigo publicado em plaquete, pela Coleção Mossoroense, e no Blog "Honoriodemedeiros.blogspot.com".

A fidagal amizade existente entre Felipe Guerra e Jerônimo Rosado remonta ainda ao ano de 1907, quando cerraram fileiras em Mossoró com o Coronel Vicente Sabóia de Albuquerque (parente de Décio) na luta pela implantação do ramal ferroviário Porto Franco - Mossoró. Em Setembro de 1926 o então Desembargador Felipe Guerra foi posto em disponibilidade, quando então retornou à Mossoró para assessorar o amigo Jerônimo Rosado. Nasceu aí o complô para a vinda de Lampião à Mossoró, com o fito único de eliminar o Prefeito Rodolfo Fernandes e proporcionar a volta do Jerônimo Rosado ao poder municipal. Jerônimo Rosado havia sido Presidente da Intendência Municipal de Mossoró (cargo que em Agosto de 1926 passou a ser denominado de Prefeito) , tendo como Vice-Presidente (Vice-Prefeito) o Dr. Antonio Soares Júnior, médico e genro de Felipe Guerra.

Lembro-me que o meu avô paterno Aristides Ferreira Pinto, (1907-1975) que era irmão legítimo do Coronel Francisco Pinto,(1895-1934) contou-me pormenores da carta enviada pelo irmão ao seu parente Rodolfo Fernandes, informando, dentre outros detalhes, que soubera por fonte fidedigna, de que o arsenal comprado por Décio Holanda em Mossoró no ano de 1925, fora transferido em comboio animal noturno, da fazenda dos Saldanha em Caraúbas, para a fazenda "Bálsamo", de Décio Holanda, encravada na serra do Pereiro, no Ceará. Nos depoimentos dados em Pau dos Ferros pelos cangaceiros MORMAÇO E BRONZEADO foram unânimes em afirmarem que Lampião passou mais de um mês acoitado com o seu bando entre as fazendas de Décio Holanda e seu primo Zé Cardoso, preparando-se para o ataque à Mossoró, e que Lampião recebera de Décio e Zé Cardoso dois mil cartuchos com balas para rifle.

Em uma das edições do Jornal mossoroense "Correio do Povo" consta um comunicado de que o chefe de cangaceiros Benedito Saldanha, dias depois do ataque de Lampião à Mossoró, telegrafara ao então Chefe de Polícia do estadual Dr. Benício Filho (Manuel Benício de Melo Filho) informando que o cangaceiro Coqueiro, que fora um dos cangaceiros que atacara Mossoró, fora morto em sua fazenda "Várzea Grande", proximidades da 
cidade de Limoeiro do Norte, em confronto com a policia cearense. Soube-se depois que o mesmo fora morto por cangaceiros de Benedito Saldanha, cumprindo o costumeiro processo de "Queima de Arquivo". 

Para maiores esclarecimentos acerca do ataque lampionesco à Mossoró, sugiro a leitura do Blog "honoriodemedeiros.blogspot.com (No ítem CORONELISMO) e adquirir por compra o memorável e elucidativo livro "MASSILON" , de autoria do profícuo e renomado historiador do cangaço Honório Medeiros.

Por Marcos Pinto - historiador apodiense
Matéria copiada do Blog Potyline

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Agosto da alegria

A 13ª DIRED apresenta nesse dia 29 de Agosto, mais uma Edição do Agosto da Alegria, como parceria do Circuito Cultural do Estado, que no mês de agosto, acentua a Cultura Potiguar como referência histórica para a comunidade e para a escola.

Esse ano temos a participação de 18 escolas da jurisdição da 13ª DIRED de Apodi, com uma estimativa de 600 participantes para o Cortejo e para o Evento. Alunos, professores, gestores e demais integrantes das escolas, prestigiam o Evento que apresenta a Cultura Potiguar e local, num trabalho que tem a contribuição dos frutos do programa Mais Educação, desenvolvidos nas nossas escolas.

Folclore Potiguar: Um Cortejo com Passos e Cantos!


Atleta de Apodi, Maria Vivian participará dos Jogos Escolares da Juventude

Atleta de luta olímpica – Maria Vivian treinando com meninos

Geralda de Oliveira (mãe), Maria Vivian (atleta) e Eribaldo Nobre (treinador)


A atleta apodiense de luta olímpica Maria Vivian Pinto de Oliveira participará dos Jogos Escolares da Juventude (JUVERNS). A lutadora venceu a etapa de Apodi e se classificou para etapa em Natal no próximo mês.

“Não espera que minha filha praticasse um esporte assim no caso luta olímpica, mas gosto por que ela é dedicada, esforça e sempre alcança seus objetivos. Antes de praticar luta olímpica, ela já ganhou diversas medalhas em competições como: natação, corrida, entre outras modalidades, até já correu de MotoCross quando era menor”, disse a mãe Geralda Pinto.

Os Jogos Escolares da Juventude são o maior evento estudantil esportivo do Brasil. A competição de abrangência nacional cresce a cada edição e reúne milhares de alunos-atletas de instituições de ensino públicas e privadas de todo o país. Atualmente, é tida como referência internacional. Consideradas as fases seletivas, os números chegam a mais de dois milhões de atletas e cerca de 3.900 cidades participantes.

O evento é realizado em duas etapas - em cidades diferentes -, com faixas etárias distintas: de 12 a 14 anos e de 15 a 17 anos. A atleta de Apodi, Maria Vivian é a 1ª colocada no ranking “Circuito RN Podium de Luta Olímpica”. Os Jogos Escolares da Juventude em Natal iniciará dia 5 e vai até o dia 8 de setembro de 2013.

“No início, tínhamos cerca de 5 meninas treinando, por causa da dificuldade e a falta de incentivo, só ficamos com a Vivian (categoria até 35kg). Foi difícil de encontrar um local adequado para treinarmos, os próprios ‘lutadores de Apodi que desembolsaram grana’ para organizar esse pequeno espaço de treinamento. Ficamos surpreso com o desempenho da Vivian, visto que ela treina apenas há cinco meses. Por causa da desistência das meninas, ela treina com os meninos, mesmo assim, com força de vontade consegue superar os obstáculos como a falta de material para treinar e participar das competições”, destaca o treinador Eribaldo Nobre.

Blog ApoDiário

Amor inefável - Jairo Paiva

Ao ver sua grande beleza
Paralisei rapidamente
E fiquei maravilhado
Ao vê-la tão sorridente;
Por essa moça simpática
Me apaixonei intensamente.
Consagrei-a plenamente
Dona do meu coração.
Vou fazer uma loucura,
Uma precipitação;
Declarar o meu amor
E esperar sua opinião.
Quando sua decisão
À mim for bem dirigida,
Falarei ao seu ouvido,
Agora minha querida
Vamos viver um romance
Pra o resto das nossas vidas..

Caubí Torres representará Apodi no III Fórum de internet no Brasil em Belém - PA



O professor Caubí Torres, representará o município de Apodi / RN no III Fórum da Internet no Brasil, promovido pelo Comitê Gestor da Internet, visa reunir representantes da comunidade acadêmica, do terceiro setor, do segmento empresarial e do governo para discutir os desafios atuais e futuros da Internet.
O III Fórum da Internet no Brasil ocorre de 03 a 05 de setembro de 2013 no Hangar Convenções na cidade de Belém, no Pará. 

O Fórum objetiva ampliar e propiciar espaços conversacionais multissetoriais para identificação de dissensos em torno das atuais questões e soluções da Internet, esclarecimentos dos tópicos abertos ao debate e abrir-se para possibilidades de novos consensos. O Fórum é um espaço e um convite a conversas multissetoriais.

A metodologia adotada para o III Fórum prevê sua realização dividida nos seguintes momentos:
- Abertura
- Trilhas Temáticas
- Seminário WSIS+10
- Atividades autogestionadas e desconferências
- Plenária Final

Mais informações do evento aqui

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Cangaço no Rio Grande do Norte - A história que não foi contada (I) - Por Marcos Pinto

Em um dos inúmeros Seminários promovidos para debater a história do cangaço, com ênfase para seus protagonistas, ouvi , de renomados estudiosos desse truculento capítulo da historiografia nordestina, que ainda há muitos episódios e facetas envoltos em abissal mistério. Constata-se, à exaustão, voluntariosas e inconsistentes omissões quanto à divulgação em livros ou em artigos esparsos. As narrativas equilibram-se de acordo com as

circunstâncias e tendências em conflito. São raros os historiadores/pesquisadores que evidenciam e deixam uma lição de coragem e exemplo de independência, gestos ratos numa época de subserviências e fraquezas éticas. Foram/são homens de diretrizes certas e vontades próprias, sob a tutela das quais neutralizam os velhos vícios 
do mandonismo e do arbítrio. Custeiam, com recursos próprios, as suas publicações em livros e opúsculos, para não fazer como tantos que se atêm com deturpação dos fatos e distorção da história. Já é perceptível o surgimento de um segmento entre os pesquisadores sobre o cangaço, que exorcizam fatos históricos entregues ao olvido. À esses, rendo o meu preito de admiração e respeito, inexpugnáveis.

Os capítulos lacunosos correm num estuário de espanto e de mistérios. Transbordam pelas barreiras do passado, para espraiarem na planície da concretude histórica. No desiderato da pesquisa histórica, é imprescindível que se mantenha uma imparcialidade quase sobre-humana, na apreciação dos fatos e dos homens. Escoimando-se os fatos deliberadamente circunscritos ao ouvido e a um silêncio sepulcral. Ainda visualiza-se a predominância de uma perspectiva de certo modo sombria e preocupante para algumas famílias que tiveram alguns dos seus membros em ativa participação no processo de articulação para a vinda de Lampião e seu bando às plagas citadinas da região Oeste potiguar. 

É certo, que as nuances dos ataques banditícios à cidade de Apodi (10.05.1927) e à Mossoró (13.06.1927) reúnem perspectivas históricas inéditas, factuais e cronológicas, exaltadoras de minudências que configuram-se em instigante libelo-crime acusatório. Isso, sem falar em provas documentais envolventes, que foram deliberadamente incinerados, ou perdidos na voragem do tempo.

CANGACEIROS DO BANDO DE ISAÍAS ARRUDA

Observa-se, em pormenores, que a partir do ano de 1919, final do incipiente governo de Ferreira Chaves (1914-1919) instalou-se um clima propício à criação e instalação de grupos de cangaceiros na região Oeste potiguar, processo de terror que contou com veemente proteção e acumpliciamento de algumas figuras carimbadas do judiciário estadual. 

Em 1919 o então governador nomeou Desembargador os Juízes de Direito Felipe Guerra e Horácio Barreto, este sobrinho de dona Alexandrina Barreto, esposa do governador Ferreira Chaves. Nesse ano instalou-se no então sítio BREJO DO APODI o grupo de cangaceiros oriundos da serra do Pereiro, capitaneados pelo truculento DÉCIO SEBASTIÃO DE ALBUQUERQUE, conhecido popularmente como DÉCIO HOLANDA, que era genro do não menos truculento TILON GURGEL. Essa Milícia particular passou a ter integral e ostensivo apoio do Desembargador Felipe Guerra, que era casado com uma irmã de Tilon Gurgel. Portanto, a esposa do bandoleiro Décio Holanda (Chicuta) era sobrinha paterna da esposa de Felipe Guerra.

No ano de 1915 aportaram em Apodi, para fixarem residência e à convite de Tilon Gurgel e Felipe Guerra, os virulentos Juvêncio Augusto Barrêto, irmão da esposa do governador Ferreira Chaves (D. Alexandrina Barreto Chaves) e Martiniano de Queiroz Porto, com fito único de fazerem acirrada oposição política ao Coronel João Jázimo Pinto. Juvêncio Barreto instalou-se em sua fazenda "Unha de Gato", onde acoitou jagunços oriundos do Ceará, que por sua vez aliaram-se ao grupo de bandoleiros comandados por Martiniano de Queiroz Porto, oriundos da serra do Pereiro, no Ceará. Como espécies de vasos comunicantes, esses grupos de bandoleiros aliam-se ao ignominioso bando de cangaceiros comandados pelos celerados Benedito Saldanha e seu irmão Quinca Saldanha. Surge daí o consórcio para o mal, composto pelo Juiz de Direito José Fernandes Vieira, sogro de Martiniano Porto, Desembargadores Horácio Barreto e Felipe Guerra, com fito único de acobertar os crimes perpetrados respectivamente por Juvêncio Barreto (Tio de Horácio Barreto) Décio Holanda e Tilon Gurgel.

No contexto do cangaceirismo, destacaram-se as asquerosas figuras de Júlio Santana de Melo, que por ter a proteção do seu mentor Martiniano Porto, com quem veio para o Apodi, passou a ser conhecido como sendo JÚLIO PORTO, que viria a constituir amizade com o bandido Massilon Benevides, e que mais tarde compuseram o nefando bando de Lampião, nos célebres ataques às cidade de Apodi (10.05.1927) e Mossoró (13.06.1927). 

Com a junção desses 04 grupos de jagunços/bandoleiros, capitaneados respectivamente por Juvêncio Barreto, Martiniano Queiroz Porto, Décio Holanda/Tilon Gurgel, e Benedito Saldanha e Quinca Saldanha instalou-se um cenário de horror e provocações ao povo de Apodi. Delineou-se, assim, um truculento cenário banditício. Esses redutos de grupos de jagunços colocou os seus comandantes em tal situação de poderio, que faziam de suas prepotentes vontades a LEI DOS SERTÕES, e que para exercê-la não hesitavam em cometerem atos violentos, arbitrários e reprováveis. Esses grupos viviam a depredar e perseguirem a população apodiense, prontos ao serviço, submissos às determinações dos despóticos patronos.

Em 1922 o ardiloso Desembargador FELIPE GUERRA traficou influência e indicou o seu amigo particular JOÃO DANTAS SALES para assumir como Juiz de Direito a Comarca de Apodi, tendo como objetivo proteger e tutelar os desmandos e atos de infração à lei e ataques à vida e a propriedade. Benedito e Quinca Saldanha eram os protetores de Massilon, que se julgava afilhado de Quinca Saldanha.


MASSILON

No processo-crime de nº 486, instaurado em 03.05.1925 consta vários depoimentos de respeitáveis cidadãos apodienses, dando conta de que o então Juiz de Direito da Comarca João Dantas Sales acolhia e hospedava, às escâncaras, em sua residência em Apodi, os bandoleiros Benedito e Quinca Saldanha. Era a trinca sinistra comandando a desordem e instalando o pânico. 

A pública ligação pessoal e política do Juiz João Dantas Sales, que ocupou a titularidade da comarca de Apodi no período 1922-1925, com Benedito Saldanha/Quinca, Décio Holanda/Tilon Gurgel, Martiniano Porto/Juvêncio Barreto, influenciou-o para alterar a exação que norteia e é dever do Magistrado. Adotou ignóbil proteção e parcialidade quando Benedito Saldanha foi julgado pelo Tribunal Popular do Júri em Apodi, por ter espancado o Sr. Francisco Noronha e uma moça de nome Maria Lúcia, filha do velho Carneiro. Contribuiu para a absolvição de Décio Holanda quando submetido a julgamento no Tribunal Popular do Júri, por ter atirado e ferido gravemente um rapaz de nome Tertulino Canela. O cinismo e a desfaçatez de Felipe Guerra estão delineados quando afirmou que "No RN não há cangaceirismo", em seu livro intitulado "AINDA O NORDESTE" - Pág. 79 - Tipografia do Jornal "A República" - Ano 1927.

Por Marcos Pinto - historiador apodiense
Matéria copiada do Blog Potyline