Pesquisar neste blog

sábado, 31 de janeiro de 2015

Sítio Bamburral


A primeira denominação do sítio "BAMBURRAL" era "BAMBURRAL DOS DEFUNTOS", denominação toponímica que perdurou até o ano de 1907. . O primitivo referencial atrela-se a um fato histórico que remonta ao ano de 1809. A transferência dos transferência dos indígenas do Apodi para a serra de Portalegre, ocorrida no dia 12 de Junho de 1761, sob forte escolta militar, gerou uma contínua revolta destes, que nunca se conformaram em ter que deixarem suas terras de origem. Deu-se o auge da revolta no ano de 1809, em que os indígenas assolaram a ribeira do Apodi, oriundos da jurisdição de Portalegre, capitaneados pelo cabecilha JOÃO DO PEGA, assim chamado por ter vivido anteriormente no sítio do "Pega", local distanciado cerca de quatro quilômetros da então Vila de Portalegre.

As tropelias e correrias causadas pelos indígenas nas terras que situavam-se entre a margem direita da lagoa até os sítios "Santa Rosa", e "Bamburral", atacando os rebanhos bovinos para assenhorearem-se de reses, as quais matavam indiscriminadamente para saciarem sua fome, desencadeou um clima aterrorizante entre os fazendeiros daquelas paragens, que reuniram-se para coibirem a danosa prática do roubo em suas fazendas. Nesta empreitada, destacaram-se os fazendeiros CAETANO GOMES DE OLIVEIRA (Origem da família dos Caetanos), FRANCISCO XAVIER DA COSTA, JOSÉ JOAQUIM DE AMORIM, INÁCIO PEREIRA LONTRA, VICENTE FERREIRA DE SOUZA, AGOSTINHO PEREIRA DE OLIVEIRA, JOSÉ DE JESUS DE OLIVEIRA (Origem da família PINHEIRO) e seus filhos JOSÉ FRANCISCO PINHEIRO e JOÃO JOSÉ DE JESUS; MANOEL PEREIRA DO ESPÍRITO SANTO, MANUEL FERNANDES CAMPOS (Origem da família dos "FONOM"), MANUEL PEREIRA CASADO, que reunidos aos seus escravos e outros, cercaram o chefe João do Pega e seus comparsas na "Lagoa do Bamburral". Fica tal lagoa à distância de uns oito quilômetros  de Apodi, ao nascente da mesma.

Cercados os indígenas - ladrões de gado, travou-se violento combate, tendo sido abatidos nove tapuias paiacus,tendo falecido três integrantes do grupo repressor. Os fazendeiros Caetano Gomes de Oliveira, Inácio Pereira Lontra, Agostinho Pereira de Oliveira e Manuel Fernandes Campos saíram feridos da refrega. Em poder do bando indígena existiam três reses roubadas,além de ter sido encontrada uma grande quantidade de carne seca. Os mortos foram enterrados à sombra de uma frondosa oiticica, situada à margem direita da lagoa. Provavelmente ainda existem as pedras colocadas sobre as sepulturas, lembrando aqueles mortos. Segundo o historiador NONATO MOTA, aquelas pedras continuavam ali, 114 anos depois do episódio.

A partir deste ano de 1809 o local do embate ficou sendo conhecido como "BAMBURRAL DOS DEFUNTOS", cuja denominação encontra-se firmada em um processo que trata de questão de limites de terras entre os Srs. JOSÉ FRANCISCO PINHEIRO (O segundo deste nome e filho do 1º) conhecido popularmente como ZUZA PINHEIRO, nascido no sítio "Sonharom", no ano de 1856, e os irmãos JOSÉ MOREIRA DE SOUZA e ANTONIO MOREIRA DE SOUZA, cuja questão travada na justiça teve início no ano de 1903, terminando em 1907. O sítio "Bamburral" está encravado na antiga "DATA DE SOBRA DO RAMALHO",como era conhecida aquelas férteis terras, sendo certo que esta DATA DE SESMARIA foi concedida ao português JOSÉ RAMALHO DO ESPÍRITO SANTO (Origem da família Ramalho,espalhada na várzea do Apodi, Felipe Guerra e Sítio Mariana) em 13 de Agosto de 1783. (FONTE: SESMARIAS DO RN - 4º Volume - Coleção Mossoroense/ FVR - Março de 2000).

Considerável extensão desta DATA DE SOBRA pertenceu ao Capitão JOÃO FREIRE DA SILVEIRA, na demarcação que fez em suas terras no ano de 1855, onde colocou um marco no dito lugar "BAMBURRAL DOS DEFUNTOS". Por ocasião da perícia no terreno em questão entre ZUZA PINHEIRO e os irmãos JOSÉ e ANTONIO MOREIRA, os peritos José Ivo de Souza e Hermino Tolentino Alves de Oliveira (Avô do velho Lalá e de sêo Altino Dias) foram perguntados pelo Juiz de Direito, "Se o sítio denominado "Lagoa do Bamburral" ou "Bamburral dos Defuntos" é encravado na " DATA DE SOBRA DO RAMALHO" , tendo os referidos peritos respondido "Que observando os marcos da ilharga da "DATA DE SESMARIA DO BOQUEIRÃO" de norte a sul, foi esta fazer triângulo com a ilharga da "DATA DE SESMARIA SANTA ROSA", tirada de nascente a poente, e dentro deste triângulo está a a "DATA DE SOBRA DO RAMALHO", e dentro desta última "Data de Sobra" acha-se o sítio denominado de "Lagoa do Bamburral dos Defuntos". (FONTE: Processo Judicial de Demarcação de terras - fls. 24 - 1º Cartório Judiciário de Apodi).

Por Marcos Pinto - historiador e advogado apodiense.
Blog Potyline de Antonio Praxedes Filho 

domingo, 25 de janeiro de 2015

Robson Lopes, vida e morte


Robson Lopes foi uma figura humana difícil de ser esquecido. E se os mortos estão verdadeiramente vivos, porque o tempo para eles não existe, coforme disse um grande escritor. Robson continua entre nós, na paisagem onde nasceu, viveu, luto e constituiu família. 

Filósofo por natureza, observado, atento dos acontecimentos do cotidiano, de qualquer espécie, sabia comentá-los com sabedoria, às vezes com certa dosagem de ironia. 

Leitor infatigável de centenas de livros, adquiriu uma vasta cultura, principalmente na área humanística. Por isso, mesmo tornou-se uma espécie de oráculo na comunidade onde habitava. Sempre consultado, não deixava sem resposta, as perguntas que lhe eram formuladas sobre os mais variados assuntos. 

Inteligência privilegiada, formado em direito, com admirável vocação para a oratória, participou de todos os movimentos culturais, políticos e sociais de sua época. Fundou ginásios, associações esportivas e beneficentes, prestando relevantes serviços ao desenvolvimento de sua terra. 

Graças à sua cultura e aos seus dotes oratórios, Robson foi durante muito tempo, o interprete do político e prefeito Izauro Camilo de Oliveira, proferindo discursos em solenidades e palanques políticos. Nas comemorações cívicas era convidado para ser o orador oficial. 

O BEM AO APODI – Sempre demonstrou extremado amor à sua terra, protestando em diversas oportunidades contra a falta de interesse das autoridades pelo progresso de Apodi. Prova disso constata-se quando de sua atuação como vereador, cujo mandato teve inicio em 1955, apresentando projetos favoravelmente nos que visavam ao bem-estar coletivo. 

SIMPLICIDADE E MODO DE VIVER – Pessoa simples, sem ambições, qualidades elogiáveis, Robson estava preso a velhos e tradicionais hábitos. Não aceitava certos costumes e mudanças impostos pelas transformações do modernismo. Viveu conforme o seu temperamento, às vezes estranho, sua ideias e a visão que tinha do mundo que o cercava, sempre apegado às rígidas tendências da velha moral, herança do seu respeitável pai. Acostumado a agir conscientemente, como dizia, não gostava de opiniões contrárias aos seus atos. Era uma das características da sua personalidade. 

RELIGIÃO – Não era um homem de muita fé nas religiões cristãs, e assim, também não era um frequentador de igreja. Pertencia ao grupo de Irmandade Rosa-Cruz, organização praticamente de escoteirismo. Talvez, firmasse os seus costumes de vida nos princípios filosóficos dessa entidade ocultista, de poucos adeptos entre nós. Assim pensando, limitava-se aos afazeres habituais: leitura, serviços profissionais, magistério e, vez ou outra, divertia-se tomando a cervejinha, o que não lhe fazia bem. 

O ESTUDANTE – Como estudante, Robson foi destaque em todos os estabelecimentos de ensino por onde passou, sempre obtendo boas notas, dando exemplo de aluno estudioso e disciplinado. Fez os estudos primários em Apodi, no grupo Escolar Ferreira Pinto, indo em seguida residir em Natal, onde se matriculou para o curso ginasial, no Ateneu. No Colégio Marista, também em Natal, fez o curso científico, CURSO SEPERIOR – No ano de 1976, submeteu-se ao vestibular na faculdade de Direito de Sousa, Paraíba, tendo sido aprovado. Depois transferiu-se para a Faculdade de Direito de Mossoró, onde concluiu o curso, em 1982, com 55 anos de idade.  Ao receber o diploma de Bacharel em Direito tratou de enriquecer os seus conhecimentos jurídicos, estudando bastante, visando com isso ao exercício profissional, instalando um escritório de advocacia, nunca lhe tendo faltado clientes para as mais diversas causas. 

O PROFESSOR – Possuidor de excelentes conhecimentos de inglês, sobre cujo idioma escreveu um livro, Robson foi um dos melhores professores dessa matéria em Apodi. Ensinou também Língua Portuguesa no ginásio Professor Antônio Dantas. 

EMPREGOS – Sua primeira experiência para iniciar a vida ganhado dinheiro, foi como funcionário do SAM – Serviço de Assistência ao Menor, em Natal. Depois, fez concurso pelo IBGE em 1952. Aprovado, foi designado para a Agência de Luis Gomes, no Estado. Nesse cargo passou pouco tempo, retornando a Apodi, onde iniciou negócio comercial vendendo tecidos, atividade que logo abandonou por falta de vocação. Submeteu-se a novo concurso, desta vez para telegrafista dos Correios e Telégrafos. Obteve aprovação e foi nomeado para o cargo, que o exerceu até aposentar-se, por motivo de saúde em 1979. 

O DESPORTISTA – Conheci muito de perto o entusiasmo de Robson pelo CENTRO ESPORTIVO APODIENSE, time de futebol por ele fundado e registrado em cartório em 1952. Conseguiu da Prefeitura Municipal um terreno para a construção de um campo de futebol, e para esse empreendimento testemunhamos que gastou bom dinheiro do seu bolso. Foi um dos maiores incentivadores dessa modalidade de esporte em Apodi – o futebol. 

O POLÍTICO – Com Izauro Camilo de Oliveira, Robson participou ativamente da política local, presente em comícios e reuniões de interesse do partido – UDN e depois ARENA I, ajudando e orientando na preparação dos documentos para o registro dos candidatos junto aos cartórios eleitorais e Diretório Regional. No pleito realizado no dia 03 de outubro de 1954, elegeu-se vereador. 

O PAI DE FAMÍLIA – Pai carinhoso e esposo compreensivo, Robson dedicou todo o esforço de sua vida aos filhos, contra os quais, para educá-los jamais usou métodos rígidos de disciplina. Dedicava a todos uma preocupação ilimitada, principalmente no que dizia respeito aos estudos dos filhos, dos quais quatro concluíram cursos superior. Amilcar fez o curso de Direito, Nadja concluiu o de Pedagogia, Jocasta, Ciências Econômicas, Roxana, Pedagogia, Antônio interrompeu o curso de História. 

OUTRAS ATIVIDADES – 1. Diretor-Presidente do Centro Esportivo Apodiense, por ele fundado em 1952; 2. Diretor do Ginásio Felinto Alves(extinto) que ajudou a fundar, em 1958; 3. Diretor Executivo da Fundação para o Vale do Apodi – FUNDEVAP, por mais de um mandato a partir de 1966; 4. Diretor do Ginásio Estadual Professor Antônio Dantas, 1972; 5. Secretário Municipal de Educação, na administração de Valdemiro Pedro Viana, gestão 1976/1980. 

DADOS PESSOAIS  - Filiação – Robson era filho de Antonio Lopes Filho e Armandina Lopes de Gois. 
Data de nascimento: Nasceu na cidade de Apodi no dia 28 de agosto de 1927. 
Casamento – Casou-se com Francisca Paiva Melo Lopes, no dia 12 de abril de 1953 na Igreja Matriz da cidade de Apodi. 
Número e nome de filhos – Hamilca, Nadja, Antônio, Roxana e Jocasta. 

HOMENAGENS – Homenagear a personalidade de Robson, reconhecer seu valor e os serviços que prestou ao nosso município, é um dever de cada um de nós. A lei que tomou o número 265/96, na gestão administrativa do Dr. José Pinheiro Bezerra, deu o nome de Robson Lopes a uma moderna praça recém-construída na cidade. As autoridades do Ginásio Gerson Lopes deram à sua biblioteca também o nome de Robson. 

Era ao mesmo tempo uma pessoa alegre, bem humorada, presença de espírito aguçada, autor de frases e repentes que ficaram na memória de muitas pessoas, que gostavam de vê-lo e ouvi-lo conversando, nos momento de inspiração, cotanto histórias do seu vasto repertório. 

Robson bebia com seu colega e amigo Raimundo Pereira(Raimundo de Tião Lúcio), quando apareceu um desses poetas populares. Ao vê-los, ergue os braços e os saudou: “Robson e Raimundo, grande professores”. E marchou em direção a eles. Um pouco alcoolizado, o poeta foi de encontro à mesa, fazendo cair alguns copos. O dono do bar, senhor Zezinho, veio ter-se com o bêbado exigindo sua saída do recinto. Esse desculpou-se alegando que havia pisado na sujeira acumulada no piso. Ai houve a interferência de Robson. Pediu calma ao senhor Zezinho e lhe disse: “Você também é culpado. Faz a faxina, encera o piso e não avisa os fregueses que ficam expostos a perigosos escorregos”. Pura ironia. O salão nunca fora lavado. Zezinho riu e perdoou o poeta Justino. 

Numa viagem a Mossoró, com amigos, Robson pediu ao motorista para leva-lo à “CASA CHARCENAI”, uma loja bastante sortida. Entrou e saiu sem comprar nada. Curiosos, os companheiros perguntaram-lhe o motivo de sua presença ali. E ele respondeu: não ouvem a propaganda comercial pelas emissoras de rádio, que diz: “Da casa Charcenai sem comprar você não sai?”. Entrei, não comprei e sai, disse Robson. Todos riram do protesto do companheiro à propaganda que ele detestava e se encabulava ao ouvi-la. 

DOENÇA E MORTE – Atacado por mal pernicioso, Robson não respeitou as determinações prescritas pelo médio que o tratava. O mal agravou-se e ele assumiu, inexplicavelmente, o seu grande erro. Com serenidade e reconhecendo a gravidade da doença, não reclamava o seu lamentável destino – o caminho que o levaria à morte. Apesar da evolução da doença não dava demonstração de fraqueza em reclamava, resistindo como um herói frente ao inimigo no campo de batalha. Mas não resistiu à agressividade do cruel inimigo – enfermidade que minara rapidamente o seu frágil organismo. Hospitalizado pela segunda vez, entrou em estado de coma profundo, de cujo sono não acordou mais. Não houve mais oportunidade para um pedido, uma recomendação, um gesto, que os doentes costumam fazer diante da terrível fatalidade da morte. No dia 28 de dezembro de 1991, deixava de existir Robson Lopes, o intelectual, o filósofo. 

FONTE: Mistura de Frases e Palavras - Válter de Brito Guerra. Fundação Vingt-Un Rosado. Coleção Mossoroense - Série "C", Vol. 1068 - Outubro/1998. 

sábado, 24 de janeiro de 2015

Programação do Carnaval 2015 de Apodi

O carnaval de Apodi, que tem como tema “O melhor de todos”, reunirá milhares de foliões do dia 13 ao 17 de fevereiro. Os arrastões acontecerão todos os dias durante o período da tarde na avenida Moésio Holanda, com saída do bairro Bacural I e destino ao corredor da folia no Calçadão da Lagoa.

Confira a programação: 
Sexta -13/02: Flávio e Pizada Quente; Nilson Vianna e Zum Zum Baba; e Axé Villa.
Sábado -14/02: Ed City; Bond do Karuzo; Nilson Vianna e Zum Zum Baba; e O Coroão.
Domingo -15/02: João Netto Pegadão; Dayvid Almeida; Banda Inala; e Axé Villa.
Segunda -16/02: Serginho Lisboa; Polentinha do Arrocha; Abadala; e Bereguedê.
Terça -17/02: Abrakadabra; Ewerton Linhares e Bakulejo; Saia Elétrico; e Bonde do Patrão.
O trio que puxará os arrastões será o Arerê, conhecido na cidade por já ter puxado outros arrastões em anos anteriores.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

e-Tec EAJ/UFRN - Portaria 01/2015 - Convocação da Lista de Espera do Edital 15/2014


e-Tec EAJ/UFRN

O coordenador geral da Escola Técnica Aberta do Brasil, da Rede e-Tec Brasil, da Escola Agrícola de Jundiaí - Unidade acadêmica especializada em ciências agrárias da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - e-Tec/EAJ/UFRN, no uso das atribuições inerentes ao cargo, torna pública a portaria nº 01/2015, que trata da convocação de candidatos em lista de espera do processo seletivo de alunos regido pelo Edital nº 15/2014.

Arquivo em anexo: e-Tec - Portaria 01/2015


segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Sítio São Lourenço


Terras situadas dentro da famosa "DATA DO BOQUEIRÃO", cuja data de terras tinha a extensão de três léguas de comprimento por uma de largura. Tem como referencial toponímico o Sr. LOURENÇO DE ABREU PEREIRA, filho legítimo do pernambucano e sesmeiro no Apodi Capitão DOMINGOS D'ABREU PEREIRA, que recebeu concessão de Carta de Data de Sesmaria a 07 de Abril de 1717, em que recebia a doação de três léguas de comprido por uma de largo no lugar denominado de "Serra Pody dos Encantos", para fora. (FONTE: Vide livro "SEGUNDO VOLUME DAS 929 SESMARIAS DO RIO GRANDE DO NORTE" - 1716 a 1742 - Coleção
Mossoroense - Maio de 2000).

É possível que estas terras tenham sido herdadas por Lourenço, como filho legítimo de Domingos D'abreu Pereira. Sabe-se que nestas terras existe um olho d'água que recebe o nome de "OLHO D'ÁGUA DO ABREU", fonte termal que brota do leio de um riacho que nasce na serra do Apodi, e dista seis quilômetros do sítio "Brejo". Jorra de forma abundante e eleva-se cerca de onze centímetros do nível do solo e é de natureza ferruginosa. Em 30 de Maio de 1844 encontramos a viúva de Lourenço (segunda esposa) LUÍZA FREIRE DE AMORIM vendendo 34 braças de terras neste sítio ao Capitão Domingos Freire da Silveira.
Este antigo sítio encontra-se encravado na uberosa "Várzea do Apodi". LOURENÇO casou em primeira núpcias com FLORÊNCIA RITA DE MENEZES, que é a mesma FLORÊNCIA RITA DE JESUS, e foram pais de:

F.01- LOURENÇA MARIA - Casou com o pernambucano GASPAR DA COSTA, nascido na Freguesia (Paróquia) da Várzea, e filho natural do Português Manoel Antonio da Costa e de Maria José, natural da Várzea, em Pernambuco.

F.02- BÁRBARA MARIA DE ALBUQUERQUE:
. Casou com o Sr. ANTONIO DE GÓIS NOGUEIRA, bisneto paterno da fundadora de Apodi Sra. Antonia de Freitas Nogueira, sendo Antonio filho legítimo de Manuel de Carvalho Nogueira e Ana de Góis Rocha.
. Foram pais de:

N.01- JOSÉ DE GÓIS NOGUEIRA (3º deste nome).
N.02- ANTONIO DE GÓIS NOGUEIRA (2º deste nome).
N.03- ISABEL DE GÓIS NOGUEIRA.
N.04- JOÃO DE GÓIS NOGUEIRA. - Casou com MARIA DA PAZ BARROSO.
. Foram pais de: (Dentre outros).
BN.01- CLEMENTINO DE GÓIS NOGUEIRA:
. No ano de 1856 já se encontrava comercializando na praça de Mossoró, onde residia, destacando-se como um dos principais comerciantes.
. Seu nome é referencial como patrono do lugar denominado de "Lagoa do Clementino", proximidades do sítio "Canto de Varas", em Apodi.
. Segundo o renomado historiador potiguar RAIMUNDO NONATO DA SILVA, era no casarão senhorial com sobrado, pertencente ao Clementino, que o célebre cangaceiro JESUÍNO BRILHANTE se hospedava, quando tinha negócios a resolver em Mossoró.
BN.02- JOSÉ DE GÓIS NOGUEIRA (Nasceu no ano de 1800 e faleceu a 26.04.1878):
. Casou com Eduvirges Maria da Conceição.
. Este casal é tronco da numerosa família GÓIS, da cidade de Caraúbas-RN.

BN.03- FRANCISCO DE GÓIS NOGUEIRA:
. Nasceu em 1813.
. Casou com sua parente Maria de Góis Nogueira.
. Residia em Mossoró, onde foi Coletor de Rendas Estaduais no ano de 1865.
. Faleceu em Mossoró a 06.08.1893, em estado de viuvez, deixando 05 filhos maiores de idade.

Num estudo acurado, chega-se à conclusão de que a Várzea do Apodi tem quase totalidade de suas terras pertencentes aos descendentes de Antonia de Freitas Nogueira, fundadora do Apodi.

Por Marcos Pinto - historiador e advogado apodiense. 
Artigo postado originalmente no blog Potyline

Palavras - Saúde Paiva

Um verso?
Uma canção?
Uma frase?
Uma palavra?
Uma interrogação?
O amor que eu sinto por você
Não tem tradução.

Saúde Paiva.
15/01/2015

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Último dias para inscrição - Vaga para tutor a distância do curso de informática no polo Etec Apodi



e-Tec EAJ/UFRN - Edital Nº 26/2014 (Processo Seletivo Tutores Presenciais e a Distância) e-Tec EAJ/UFRN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), torna público, por meio deste edital, as normas gerais para o Processo de Seleção de Tutores Presenciais e a Distância, além da formação de cadastro de reserva para atuação junto aos polos de apoio presencial do curso: Técnico em Agroindústria (subsequente), Técnico em Comércio Exterior (subsequente), Técnico em Cooperativismo (subsequente) e Técnico em Informática (subsequente), ofertados na modalidade à distância, no âmbito do Sistema Escola Aberta do Brasil (Programa e-Tec Brasil).

As inscrições vão de 10 a 17/01/2015. 
Atenciosamente, Coordenação Geral do e-Tec EAJ/UFRN

Arquivo em anexo: e-Tec - Edital 26/2

Obs.: Para o Polo Apodi temos: 
Curso de Informática: 
01 (uma) vaga para a função de Tutor a Distância

Curso de Comércio Exterior:  
01 vaga para cadastro de reserva de tutor presencial
01 vaga para cadastro de reserva de tutor a distância

Cultura: Associação Raimunda Dantas oferece oficinas para preparo artístico


Gratuitamente chega ate a população apodiense há oportunidade de participar de oficinas de preparo artístico em vários seguimentos do ramo. As oficinas dão continuidade aos trabalhos inicializados no ano passado (2014) através do projeto aprovado na Lei Câmara Cascudo - Auto de São João Batista Edição 2014. O mesmo tem patrocínio exclusivo da COSERN - Grupo de Neoenergia.

O prazo para as inscrições das oficinas será desta quarta 14/01 à 17/01, na Casa de Cultura Popular - Palácio de Soledade, durante todo o dia. No ato da matrícula junto a ARD, o individuo deverá optar por uma das modalidades oferecidas, sendo elas: Teatro - Dança - Música - Capoeira. No ato da inscrição os interessados devem portar um documento com foto (preferencialmente) e caso o mesmo seja menor de idade, deverá levar um responsável consigo. As oficinas iniciarão dia 19/01 - segunda-feira, sendo que todas atividades estarão ocorrendo nas dependências da Casa de Cultura e proximidades.

Associação Raimunda Dantas

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Oportunidade de estágio na Fazenda Escola do Campus Apodi

Oportunidade de estágio na Fazenda Escola do Campus Apodi

Foi divulgado pela Coordenação de Extensão do Campus Apodi, seleção para estágio supervisionado na Fazenda Escola deste Campus, divididas em dois turnos e em vários setores.

Dados do Estágio:

Vagas: A definir
Local: Unidade Agrícola-Escola do IFRN - Campus Apodi
Horário: Segunda a sexta-feira – Matutino: 07h às 11h – Vespertino de 13h às 17h
Carga horária: 340 (trezentas e quarenta) horas
Benefícios: Não serão oferecidos bolsa ou outro benefício.

Pré-requisitos: 

1 – Ter cumprido o período escolar mínimo exigido para o desenvolvimento da Prática Profissional;
2 – Ter disponibilidade nos dias e horários oferecidos;
3 – Ter meio próprio de locomoção para o local do estágio


Inscrição:
Período: 12/01/2015 a 15/01/2015 no horário de 08h às 11h e das 13h às 16h
Local: COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO – CAMPUS APODI

Para mais informações acesse:



*Portal do IFRN 

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Matrículas nos curso técnicos do Polo Apodi retornam próxima semana

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), torna público o Resultado do Processo Seletivo para os cursos: Técnico em Agroindústria (subsequente), Técnico em Agropecuária (subsequente), Técnico em Informática (subsequente), Técnico em Cooperativismo (subsequente) e Técnico em Comércio Exterior (subsequente) ofertados na modalidade de Educação a Distância.

A EAJ está de recesso. Na semana de 12/01/2015 a 16/01/2015 acontece a segunda fase das matrículas. 

Cada candidato aprovado deverá procurar a coordenação do polo em que se inscreveu de posse das cópias dos documentos abaixo para realizar sua matrícula.

Documentos obrigatórios para a realização da matrícula (CÓPIAS):
1- Certidão de nascimento ou casamento (cópia legível);
2- Registro Geral (utilizar somente a identidade devido ao cadastro no SIGAA);
3- Cadastro de pessoa Física (CPF);
4- Título de eleitor;
5- Certidão de reservista (para homens);
6- Certificado de Conclusão do Ensino Médio;
7- Histórico escolar do Ensino Médio;
8- Comprovante de residência;
9- Comprovante de renda (somente em caso de aluno cotista);
10- Uma foto 3x4.

Atenciosamente,
Coordenação Geral do e-Tec EAJ/UFRN

Ver a lista dos aprovados de Apodi clicando aqui
Obs. Não esqueça de conferir todos os documentos antes de levar!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Cabrallna - Aluisio Barros

- A quem interessa
nossas dores expostas?

- Aos da casa branca
com a mesa posta?

- Não, a poesia
não vive de dores.



"Anjo Torto" - Aluisio Barros de Oliveira 

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Caminho da paixão ou tudo não passa de rápida e deliciosas pulsações - Aluísio Barros

Movimento I 

olhos dançantes
verdes, morenos, azuis, negros
ensaiam sorrisos
quebram barreiras
e inventam segredos que queimam
lentamente, perigosamente

Movimento II 

Os segredos inventados pelos olhares, agora tantos,
vão ascendendo
até crescer assustadoramente
e desejar caminhos além-bar.

Movimento III 

Os olhos, agora tontos, não se contentam
só com os olhos que queimam
o fogo se alastra e as palavras ardilosamente
queimam as bocas e penetram saliva a dentro
pelo corpo todo, cegando os olhos e queimando
os tímpanos.

Movimento IV 

Suspiros profundos
corrompem o silêncio da noite
(maldito lugar comum das paixões!);
estrelas riscam os céus noturnos
numa rotatividade embriagante;
a paixão queima o útero e arde em brasas.

Grande Final 

Grávidos de paixão, ávidos de amor, eles zanzam
cada caminho, um
zonzos, tontos...seduzidos e
vivos para difíceis paixões.

"Anjo Torto" - Aluisio Barros de Oliveira 

sábado, 3 de janeiro de 2015

Associação dos Pequenos Produtores da Barra e Sítios Reunidos

A Associação dos Pequenos Produtores da Barra e Sítios Reunidos, foi fundada no dia 14 de agosto de 1994, esta localizada no Sítio Barra. Iniciando com 104 sócios fundadores e atualmente tem 25 sócios, fazendo parte da área de atuação aos sítios reunidos. 

A Associação tem algumas vantagens entre elas a organização, para adquirir recursos e facilidade para conseguir algo, mais encontramos também muitas dificuldades como participação dos sócios e a falta de água. Mesmo com as dificuldades construíram a sede que antes não tinha e adquirem cursos e benefícios para a comunidade. 

No inicio da fundação a maioria das pessoas acreditavam na associação, mas o passar do tempo algumas pessoas foram desacreditando e foram desistindo e hoje são poucas que acreditam e trabalham por melhorias. A associação conta com os seguintes parceiros: Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Apodi (STTR), SENAI, SEBRAE, Programa de Desenvolvimento Solidário – PDS e Governo Federal .

A Associação começou a fazer um trabalho agroecológico, construindo um campo de hortaliças, mais não teve progresso não houve o termino do projeto por falta dágua. A relação de trabalho dentro da associação ocorre de forma conjunta.

Responsáveis pelas informações Karla e Adriana.- Mulhers MIl IFRN