Pesquisar neste blog

domingo, 12 de janeiro de 2014

Descanso - Paulo Filho Dantas

“Tua alma descansa impávida
De contento sublime
Inexorada em manhã Plácida
Teu ser a um nebline

Frio e fino nesta tarda
Úmida, cálida e ferida
Paixão antiga moí e arde
Feito árvore frondosa distanciada

A um só tempo tentarei
Conseguir os olhos que verei
Ao longe não me desviar

Queria fazer bem mais
Para teu ímpar capaz
Do nosso eterno caminhar’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho 

Nenhum comentário: