Pesquisar neste blog

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Saudade sentida - Paulo Filho Dantas

“Se a saudade sentida
Por ti enlouquece,
Num envolto acontece
Feito fogo de vulcão
Igual solitude da noite
De lua primeira
Sob mata rasteira
Fere ferrando o coração

Se a saudade sentida
Por ti se mistura
Com éter na madrugada
Embalando a canção,
Igual solitude da noite
Que embebe, embriaga
Insônia em hora alta
Consumindo a emoção

Se a saudade sentida
Por ti fraqueja,
Me seduz, deseja
Uma luz, um clarão,
Igual solitude da noite
Que envenena o sono
Branco à negro pombo
Parecendo visão

Se saudade sentida
Por ti prática
Do sentir galáctica
Voltando mais não
Igual da solitude da noite
Açoitando como chicote
Violando com mote
Implorando um perdão

Se a saudade sentida
Por ti me condena,
Pago, em preço, pena
Em qualquer rincão,
Igual a solitude da noite
Sombreando caminho
Em volta pro ninho
Beijar tua mão

Se a saudade sentida
Por ti faz milagre
Em tua boca um lacre
E outros virão,
Igual solitude da noite
Em festa noturna
Acabando nas diumas
Manhãs que serão’’.

Copiado do: Caminhos do Meu Ser

Nenhum comentário: