Pesquisar neste blog

sexta-feira, 28 de agosto de 2020

Dissertação de Francisco Gama: Políticas de Esporte e Lazer no Semiárido Potiguar

Dissertação: Políticas de Esporte e Lazer no Semiárido Potiguar 
Autor(a): Francisco Gama da Silva 
Programa: Planejamento e Dinâmicas Territoriais no Semiárido 
Instituição: Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN 
Publicação: 2017 
Fonte do artigo: Plataforma Sucupira 


Resumo:
As investigações sobre políticas públicas em esporte e lazer vêm ocupando espaço e relevância. A partir de inquietações sobre o tema no semiárido potiguar, o estudo foi norteado pelas perguntas: Qual o contexto atual das políticas de esporte e lazer e quais as estratégias são possíveis no sentido de fortalecer tais políticas? Teve o objetivo de analisar a realidade das políticas de esporte e lazer no semiárido potiguar. Foi delimitado como objetivos específicos: investigar o perfil e estrutura da gestão das políticas de esporte e lazer; mapear programas, projetos e eventos de esporte e lazer; e identificar potencialidades, fragilidades e possibilidades nas políticas de esporte e lazer no semiárido potiguar. Trata-se de uma pesquisa descritiva com abordagem quantitativa e qualitativa. A amostra foi composta por 38 gestores municipais de esporte e lazer, distribuídos nas quatro mesorregiões do Estado do Rio Grande do Norte (Leste, Oeste, Central e Agreste). Para obtenção dos dados, optou-se por um questionário com perguntas abertas e fechadas. Os resultados apontam gestores com 44,8% com curso superior, 89,5% do sexo masculino e 63,2% ocupam o cargo a menos de 01 ano. 63,2% dos municípios possuem Secretaria de Esporte, 18,4% tem orçamento próprio, 13,2% possui conselho municipal de esporte e 21,1% já realizou conferência municipal de esporte. Possuem maior número de cargos comissionados do que servidores efetivos e um menor número de professores de Educação Física. As estruturas para a prática de esportes citadas foram: campos de futebol; ginásios de esportes; quadras cobertas e descobertas. Demais estruturas (piscinas, pista de atletismo, praças esportivas, entre outros), poucos municípios possuem. De modo geral, os gestores possuem pouco conhecimento sobre os programas do Ministério do Esporte, assim como também há baixo número de municípios com programas ativos. A maioria dos gestores diz conhecer os programas e eventos realizados pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, porém, poucos aderem a tais políticas ou ações. Os municípios realizam diversos eventos (futebol, futsal, corridas, jogos municipais e atividades para idosos). Apontaram como potencialidades o apoio da gestão municipal, as parcerias com outras secretarias e com a iniciativa privada. Como fragilidades, falta de recursos, incentivos, estrutura e burocracia. Recursos, parcerias e incentivos ainda são apontados como possibilidades. Concluímos que a Política Nacional de Esporte não tem sido utilizada como referência no desenvolvimento das políticas públicas de esporte e lazer nos municípios. A falta de orçamento tem dificultado a efetivação das políticas de esporte e lazer no semiárido potiguar.


Nenhum comentário: