Pesquisar neste blog

domingo, 20 de abril de 2014

Prado - Paulo Filho Dantas

“O que mais se precisa agora
Nessa jovem manhã domingana
É da poesia quente tropicana
Recitada ao tempo que demora.

A vida dissipando sonho de lua,
Queria poder sem o desejar
Conseguir prever a remediar,
Não sentir jamais saudades sua.

Envolver o cheiro da matéria
No bálsamo da lua etérea
Iluminada pelo sol radiador.

Na mais pura sinfonia beethoveana
A melodia singela nunca engana
O Prado verde embebido de amor’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho

Nenhum comentário: