Pesquisar neste blog

domingo, 6 de abril de 2014

Exercício poético - Aluísio Barros

Segue a canoa contra chuva vento maresia
mas segue absoluta a canoa

Sigamos com ela,
tentemos alcança-la

É preciso não perder este rastro
que ela deixa sulco na água que rasga

Lá se vai a canoa
em busca do esperança
remando contra si, remando contra nós

Lá via a canoa canoa canoa canoa
canoa canoa canoa canoa...

Oito vezes a canoa se afasta de mim
até que não há mais nada.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

Nenhum comentário: