Pesquisar neste blog

sábado, 25 de janeiro de 2014

Presença - Paulo Filho Dantas

“Ao aproximar-se de mim
Posso sentir além da pele
Um calor que queima
A boca sua impele
A minha ao toque entreaberto
Dos lábios flâmulos famintos
E de um sorriso seco-limpido
Aquecendo pelo momento recinto

Tua presença inquieta o universo
Que guardo por completo inteiro
Me fazendo agir como uma
Inocente idiotia, em primeiro
Acaso que não hesita no penetro
Do seu olhar lúdico
Bem no intimo do meu agora
Etério, ébrio, sóbrio e lúcido

E mesmo tentando te encontrar
Ainda procuro inúmeros modos
Coloco minhas mãos em leves
Movimentos frios, porém briosos
Que escorrega em cada
Centímetro de pecado que possuis
Sem temeres me domina
Encanta-me e me seduz

Dias e dias passaram
Passam e ainda virão
Me olfato só reclama
Teu cheiro e a visão
O reflexo do amor profundo
Escondido num horizonte
Que pouco a pouco conheço
Quantos estás, todinha, á fronte

De um olho que te vigia
E o outro que te idolatra
Até que as vezes a esperança
Foge, voa, se toma sacra
Ao meu alcance ou assim
Distante ao meu coração perguntar
Se no futuro eu terei
Toda doçura dos teus lábios beijar

Do aproximar-se de mim
Renova a certeza presa
Estampada naquele noturno
Céu de divina beleza
Onde nem por um segundo
Sequer esquece o corpo teu
Sonhando e sedutor sorriso
Que entre prosas um amor nasceu’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho

Nenhum comentário: