Pesquisar neste blog

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Casados - Paulo Filho Dantas

“Um poema agora faço
Para te homenagear.
À solidão peço regaço
No teu lindo despertar
Que na vida encontrei
Quem eu tanto procurei,
O Senhor ao pedido meu
Atende de sublime jeito
Contigo mais que satisfeito
Por você mora com eu

Se o sorriso precioso teu
Me domina intensamente,
Fogo dum amor nasceu
Queimando-nos lentamente
Essa pira quase louca
Consome beijando a boca
Daquele que me é fiel,
Numa lágrima de alegria
Molha o rosto todo dia
Em nossa lua de mel

Essa saudade não plena
O sentimento que profiro,
Se te amar é o meu dilema
Sonho com ti no paraíso,
Tua pele bem macia
Aquece o sangue e contagia
O meu ser sensacional
Mas te roubo um beijo ainda
Do tempo que nos finda
A uma viagem nupcial

Casar contigo foi sonhar
Maior realização pretendida
Alcançada por sempre batalhar,
Ultrapassando as loucuras da vida
Teus cabelos soltos, lisos
Ao vento-brisa do improviso,
És o amor que sempre quis,
Pegando sua mão pequena,
Alisando sua pele morena
Só tu, divina, faz-me feliz

Somos muito bem casados
Unidos em corpo e alma
Também estamos preparados
Às revoluções carecem calma,
Os problemas teimosos também surgem,
Esquecendo sua ferrugem,
Consumindo-se sem fim,
Eu sou o cravo tu és rosa
Perfumada e rumorosa
Enfeitando o meu jardim’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho

Nenhum comentário: