Pesquisar neste blog

sexta-feira, 1 de março de 2013

O carnaval de Apodi - Por Dionízio do Apodi

Mesmo já tendo passado uns dias do encerramento do carnaval, não podia deixar de tecer alguns comentários sobre o carnaval de Apodi. Sei que as discussões já são outras, mas por questões de respeito comigo mesmo, com o que acredito, preciso deixar uma opinião, nem que seja para simples registro. O tempo está corrido, muitos projetos com O Pessoal do Tarará, o que me tirou a possibilidade de ter postado antes, no calor da ressaca.

Costumo passar meus carnavais em Apodi por ser minha cidade de nascimento, onde vejo parte de minha família (irmãos, sobrinhos, tios), meus amigos de infância e adolescência e tantos outros que fiz ao longo dos anos. Passo o ano inteiro trabalhando muito e escolho exatamente o carnaval de Apodi para sair da rotina de ensaios, viagens e apresentações. Este já é um motivo que transforma o carnaval, para mim, num período especial. 

Confesso que nunca fui admirador da programação e formato do carnaval de Apodi, o que nunca foi motivo suficiente para que eu não divulgasse o carnaval dos apodienses, sempre conhecido como dos mais animados e com gente bonita e querendo brincar, longe de confusões, de brigas. Ao longo dos anos perdi a conta dos inúmeros amigos que levei para conhecer a cidade, e muitos não pararam mais de visitar Apodi.
Nunca fui muito exigente com o carnaval de Apodi porque sempre ficava sonhando quando o amigo Flaviano Monteiro fosse prefeito e pudesse fazer um carnaval de verdade, destinado aos mais variados públicos, com atrações de qualidade, utilizando os mais variados espaços de Apodi, os bairros, as comunidades, enfim, que trouxesse diversidade para o povo de Apodi e para os visitantes. Perdi as contas das vezes que os amigos ficavam ‘tirando onda’ quando eu falava que quando o amigo Flaviano fosse prefeito o carnaval seria “assim e assado”. Foram muitos carnavais, mas o de 2013 teve um sabor especial, por ver Flaviano como prefeito. A cada agradecimento de alguma banda ao prefeito Flaviano eu ficava atento ao que diziam, não tinha como passar despercebido. Foi algo muito sonhado por mim. Flaviano tem a responsabilidade enorme de carregar o desejo de mudança de muitos apodienses.

Mas o carnaval de 2013 ainda foi parecido com o dos outros anos. Estrutura deficiente, falta de organização na programação, evento destinado apenas a uma parcela da população (aos que gostam dos paredões e das músicas de plástico – como diz o querido Chico César) e mais uma porção de coisas, e que não colocam, de forma alguma, qualquer outro prefeito que fez carnaval em Apodi numa situação melhor, pois tudo isso que falo aconteceu nos outros anos. E tudo isso fica em segundo plano diante da animação e simpatia do povo apodiense, que não tenho dúvidas, faria uma linda festa em qualquer situação.

Senti falta do envolvimento da Secretaria de Educação no carnaval. Pelo que foi divulgado, o tempo inteiro, a Secretaria de Turismo foi a responsável pelo carnaval. Se olharmos hoje, no Brasil, os municípios que se destacam no turismo, conseguem sucesso através da sintonia entre suas secretarias, e por isso senti falta principalmente da Educação, pois sei do apreço de Flaviano por isto, e vai ser uma de suas marcas ao longo de seu governo. Flaviano é professor, e Apodi inteira sabe do compromisso dele com a educação. Acredito que a Secretaria de Educação precisa ter um papel fundamental em toda e qualquer gestão democrática e participativa, como é o caso da história política de Flaviano, desde os tempos de estudante.

Não gosto, particularmente, de uma secretaria sozinha tomando de conta de um carnaval, que é, sem sombra de dúvidas, patrimônio do povo de Apodi. O carnaval de Apodi deve ser cuidado com muito carinho, por todas as secretarias, que possa ser coordenado pelo Turismo até, mas que não deixe de ter um olhar da Secretaria de Educação, pois foi assim que sempre sonhamos, com uma Apodi com oportunidades de diversão para todos, e daí o papel fundamental da educação, para mim a maior riqueza de um povo, e onde deveríamos ter mais investimentos. Sou um amante do carnaval, e tive a minha “formação carnavalesca” nas matinês da ACDA, quando criança, onde minhas irmãs me levavam para encontrar outras crianças e pular carnaval. O carnaval de Apodi ao longo dos anos se transformou num carnaval para um público só. Não tem espaço para crianças e adolescentes (exatamente o que vai renovar a cidade mais à frente). Precisamos rever, urgentemente, o que é propiciado para os jovens de Apodi, as possibilidades. Em um carnaval como esse não resta outra coisa a não ser beber, algo já tão saturado e combatido por diversos professores apodienses que se queixam das oportunidades de diversão para os apodienses.

Não acho que o caminho seja acabar com os paredões, com a bebida, com as bandas que por lá passam (para mim, quase todas de péssimo gosto, mas não morro por ouví-las). Acho que podem continuar, pois elas chamam público, né? Mas que tenhamos abertura para outros públicos brincarem o carnaval, para outras atrações, para num médio-longo prazo termos um carnaval diversificado e que realmente retrate a cultura do povo apodiense, pois estes carnavais, no formato que estão acontecendo não retratam o que somos.

Apodi ainda não está preparada para o turismo. Infelizmente está distante, pois isso não se constrói da noite para o dia, e nunca ninguém teve essa preocupação. Temos um potencial enorme, inclusive com o nosso carnaval sendo um dos pontos mais importantes, mas precisa ser retrabalhado, e não tenho dúvidas que vai ser. Precisamos de um lugar maior, preparado para o carnaval, para que a população que não goste desta festa também tenha o seu direito respeitado. Me dói ver um monte de gente mijando e cagando na minha lagoa. O carnaval de Apodi pede um espaço próprio, bem maior, para que possamos trazer mais gente, pois não cabe mais no espaço que temos. Precisamos de dois palcos bem estruturados, para que não fiquem buracos entre uma apresentação e outra, uma boa iluminação no palco, um som de primeira linha, e grandes atrações no palco, também. Precisamos agradar todos os públicos.

O próximo carnaval será em 2014, quando terá Copa do Mundo no Brasil, e teremos duas sedes bem próximas da gente (Natal e Fortaleza). Apodi precisa trazer este turista de todas as partes do mundo para conhecer suas riquezas, e o primeiro passo pode ser dado no carnaval, que é um de nossos maiores patrimônios, com um alto poder de divulgação. E repito: não é acabar com o que tem, mas repensar o formato. E não há o que se temer. Lembro quando tivemos o primeiro carnaval de rua em Apodi, quando a Prefeitura, na gestão do médico Pinheiro Bezerra, bancou um carnaval gratuito para o povo de Apodi, muita gente, na época, não entendeu e dizia que não ia dar certo, porque o povo de Apodi queria era brincar o carnaval da ACDA, que era pago, mas tradicional. Mas a ACDA já era pequena para o carnaval de Apodi.
Então, que o amigo Flaviano faça as mudanças necessárias. O nosso prefeito é um homem de lutas, com uma enorme folha de serviços prestados, e não tenho dúvidas que vai desempenhar à frente da Prefeitura, um trabalho diferenciado, modelo para outros municípios, pois Flaviano representa uma Nova Geração, capaz de pensar adiante.

Acompanhei o discurso de Flaviano, ele em cima do trio elétrico, fechando o carnaval de Apodi, na Quarta-feira de Cinzas. Ele pediu desculpas por não ter realizado o carnaval da forma que o apodiense merecia. Falou da convicção em realizar o carnaval mesmo num período de seca, das dificuldades em realizar um carnaval com um mês à frente da Prefeitura. De longe, atento, o aplaudi, ainda mais convicto de que temos um grande prefeito, que teremos finalmente, uma cidade com oportunidades para todos, e com um carnaval à altura dos apodienses, como será no futuro.

Em 2014 vou levar mais gente para ver o carnaval de Apodi, e já estou divulgando que desta vez será lindo!
Abraços.
Dionízio do Apodi

Via facebook.

Nenhum comentário: