Pesquisar neste blog

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Antonio Ferreira Pinto - coronel


ANTONIO FERREIRA PINTO nasceu em Apodi a 25 de Maio de 1838, filho legítimo do Capitão Vicente Ferreira Pinto (0 2°) e de dona MARIA CLARA ALVES CAVALCANTI. Coronel da antiga Guarda Nacional Imperial e Chefe político no município de Apodi. Casou em primeira núpcias a 05 de Abril de 1860, com sua parente em grau remoto dona MARIA LUIZA DE SÃO BRAZ BELTRÃO, que faleceu a 08 de Dezembro de 1864, deixando dois filhos órfãos: Antonio Ferreira Pinto Filho (Tonico) e Miguel Ferreira Pinto, que por sua vez foi pai de Alice Pinto, dentre outros filhos. Casou em segunda núpcias com sua prima CLAUDINA MARIA DE OLIVEIRA NEVES, que passou a assinar-se como CLAUDINA PINTO, dedicada parteira, que não media esforços para atender aos diversos chamados para realização de partos, fosse em qualquer hora do dia ou da noite, daí seu honrado nome ter sido o escolhido como Patrona da Maternidade da cidade de Apodi. CLAUDINA PINTO faleceu em Apodi a 31 de Agosto de 1902, deixando uma prole de 12 filhos.

Exercia relevante influência no cenário político estadual, onde era conhecido como CORONEL FERREIRA PINTO, tendo sido eleito Presidente da Intendência Municipal de Apodi (Equivalente ao atual de Prefeito) e eleito cinco vezes para mandatos de Deputado Estadual, no período de 1895 a 1909, tendo sido sucedido pelo filho o Coronel João de Brito Ferreira Pinto. Desde moço, FERREIRA PINTO dedicou-se à vida comercial, na qual conseguiu uma regular fortuna, exercendo também cargos de nomeação e eleição: Delegado de Polícia, Presidente da Comissão de Socorros, e Deputado Estadual. Espírito alegre e folgazão, inteligente e bondoso, FERREIRA PINTO sabia granjear estima, contando com inúmeros amigos, não só em Apodi, com na capital e outros municípios do Estado. 

A feição patriarcal do Coronel FERREIRA PINTO é atestada na sua conduta exemplar de chefe de família, deixando uma descendência numerosa. Alguns dos seus filhos tiveram a mesma vocação política, e a maioria dedicou-se ao comércio, enquanto outros se davam às lides do campo. Por longos anos, na qualidade de representante das forças políticas do Apodi, foi um dos nomes de maior projeção política nas fileias do velho Partido Republicano Federal no Rio Grande do Norte. Sua posição partidária e o potencial político do seu município surgiam nas deliberações mais importantes da agremiação majoritária onde, pesavam, consideravelmente, bastando para atestá-lo, as palavras do próprio Chefe Republicano no RN Dr. Pedro Velho, e as atenções com que o distinguiram os seus continuadores no exercício do poder, entre outros os governadores Alberto Maranhão e Joaquim Ferreira Chaves. Durante os seus mandatos no legislativo estadual, empenhou-se arduamente para nomeação de professores para atuarem na então escola de primeiras letras da então Vila e cidade de Apodi, cuja extensão territorial englobava os atuais municípios de Itáu e Felipe Guerra, para onde conseguiu nomeação de professores.

Em 10 de Janeiro de 1912 era efusivamente inaugurado o Grupo Escolar "Ferreira Pinto", em prédio adaptado para o seu funcionamento, cujo prédio situava-se no terreno onde hoje encontra-se edificada a CASA DE CULTURA POPULAR HISTORIADOR WALTER DE BRITO GUERRA. O primeiro Diretor do Grupo Escolar recém-inaugurado foi o Professor Lourenço Gurgel de Oliveira, que dirigiu e lecionou nesta escola até o ano de 1919. Nas décadas de 1930, 1940 e 1950 exerceram o magistério os abnegados professores Raimundo Reginaldo da Rocha,as irmãs Hilda Lopes, Deoclécia Lopes e Valdemira Lopes (Mãe de Zé Cabral, dos Correios e Telégrafos) João Batista Dantas, João Batista Guerra (irmão do historiador Walter Guerra, e que foi governador nomeado no Território de Roraima) Raimundo Nonato da Silva, que depois foi Juiz de Direito da Comarca de Apodi, Joaquim Soares, João Jacinto de Oliveira, Antonia Filgueira, Maria do Carmo Maia, esposa do farmacêutico e intelectual polivalente Francisco Holanda Cavalcanti (Nenen Holanda), e dona Urcesina Moura, cearense que veio a casar com o Apodiense Raimundo Cantídio de Oliveira e que foram os pais do médico Walter Cantídio de Oliveira, que foi Reitor da UFC e criador do Curso de Medicina daquela instituição universitária.

A solenidade de inauguração do GRUPO ESCOLAR FERREIRA PINTO foi bastante concorrida, contando com as ilustres presenças do Dr. José Augusto Bezerra de Medeiros, representando o governador do Estado, do Dr. Ortulano de Abreu, Juiz de Direito da Comarca do Apodi, e dos Coronéis João de Brito Ferreira Pinto, então Deputado Estadual, e do Coronel João Jázimo Pinto.

Matéria enviada por Marcos Pinto, historiador apodiense.

Um comentário:

Marcos pinto disse...

É profundamente lamentável que o governo do estado (DIRED) e a Prefeitura do Apodi (Secretaria de Educação) não tenham elaborado um calendário comemorativo aos CEM ANOS do primeiro grupo escolar da cidade. Uma lástima, pois.