Pesquisar neste blog

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Sítio Casado - comunidade

Para se chegar a uma explicação concreta sobre as denominações toponímicas, torna-se necessário empreender percuciente pesquisa em antigos documentos oficiais, tais como inventários, escrituras públicas, livro de registros paroquiais (Casamentos, óbitos, batizados), testamentos, memórias particulares, bem como pela tradição oral. Este sítio tem parte de suas terras encravadas sobre a serra, estendendo-se sobre o sopé da mesma, até o lugar conhecido como sítio "Jatobá".

O elo histórico com a denominação toponímica dá-se pelo fato de que um dos seus primeiros proprietários tinha o nome civil de MANOEL PEREIRA CASADO, que era casado com FRANCISCA MARIA DE JESUS, que é a mesma Francisca Gomes. O bravo Manoel era homem abastado de bens patrimoniais, tendo vendido uma parte de terras na várzea do Apodi, conhecidas como sítio "Borracha", ao Sr. VICENTE FERREIRA DA MOTA, em compra efetivada no dia 05 de maio de 1841. Por volta do ano de 1820 situou seus currais de gado nas terras que adquirira por compra. Durante o inverno conduzia o seu rebanho de gado e miunças para a parte que ficava em cima da serra, onde escapavam fartamente com o pasto daquelas terras. No período de estilo, descia os rebanhos para as terras do Sítio "Jatobá", extensão das terras do sítio "Casado", que também era conhecido como sendo o" Sítio do Casado", posto que Manoel era conhecido como sendo o Sr. Casado, também chamado de "Sêo" Casado. O interessante é que os descendentes do Manoel ficaram conhecidos como sendo da família dos CASADO, sendo certo que a maioria trazem o denominativo familiar COSTA.

Um filho de Manoel Casado, de nome LUÍS MANOEL CASADO, conhecido como Luís Casado, nasceu nas terras deste sítio, no ano de 1827, vindo a casar-se com FRANCISCA NOGUEIRA DA COSTA, que é a mesma FRANCISCA BERNARDA DA CONCEIÇÃO, filha de João Bernardo Nogueira e de Geralda Francisca da Costa - Esta, por sua vez, era trineta materna do Capitão Antonio de Morais Bezerra e Maria José da Cunha, tronco da vasta família MORAIS, com origem em São Sebastião (atual cidade Gov. Dix-Sept Rosado) e espalhada nas várzeas desse rincão, como também nas várzeas de Apodi e Mossoró. Luís Casado faleceu no sítio "cipó", de infarto fulminante a 01.05.1908 aos 81 anos de idade, e sua esposa faleceu no sítio "Joazeiro" a 05.07.1920, aos 90 anos de idade, deixando os seguintes filhos:

F.01 - ALVINA - Casou com Antonio Virgínio.

F.02- JOANA GOMES DE JESUS - Casada com João Agostinho da Costa.

F.03- JOSÉ CASADO DA COSTA (é o mesmo José Bento da Costa) - Casado com Maria Antonia da Conceição.

F.04- JOÃO CASADO DA COSTA - Casado com Joana Bernarda da Costa.

De JOSÉ CASADO DA COSTA e MARIA ANTONIA DA CONCEIÇÃO nasceu o Sr. FRANCISCO DE SALES BISPO, popularmente conhecido como sendo CHICO DO CASADO, nascido no ano de 1872. Quando o velho Luís Casado faleceu em 1908, o seu neto Chico do Casado já administrava o sítio "Casado", passando também a ser referencial toponímico ao único acesso para veículos ao cimo da serra até o ano de 1948, cuja ladeira de acesso ficou conhecida como sendo a "LADEIRA DE CHICO DO CASADO". Em 1948, Quando fizeram a nova estrada de rodagem ligando Mossoró ao Apodi, fizeram novo acesso à serra,que é o atual que passa defronte ao antigo posto fiscal do sítio "Canto de Varas". O velho CHICO DO CASADO faleceu no sítio "CASADO" a 23 de Novembro de 1932, aos 63 anos de idade, deixando a viúva D. VICENTINA MARIA DA CONCEIÇÃO, da família dos Varelos, que veio a falecer a 10 de Fevereiro de 1933, e os seguintes filhos:

F.01- PEDRO FRANCISCO DA COSTA (Pedro Casado, ou Pedro do Casado): Casado com Ana Maria da Conceição. Casou em segunda núpcias com VICÊNCIA MARIA DE FREITAS, (Vicência do Rosário, filha de Luiz Manoel do Rosário e de Maria Vicência de Jesus) e foram pais de ANTONIO DOS REIS MAGOS DA COSTA (Antonio do Casado) pai do ex-prefeito Simão Nogueira.

F.02- JOÃO FRANCISCO DA COSTA (já era falecido no ano de 1932): Casado com Ana Maria de Jesus.

F.03- JOSÉ FRANCISCO DA COSTA.

F.04- TIBÚRCIO FRANCISCO DA COSTA: Casado com Maria Ana Nogueira. São os pais de Cássio, casado com Zélia Marinho, que por sua vez são os pais de Tibúrcio Marinho e da grande poetisa Maria Luíza Marinho Costa.

F.05- GERALDO FRANCISCO DA COSTA (Conhecido como Geraldo do Casado): Casou com RAIMUNDA ALVES PINTO, filha de José Alves Cavalcanti e Maria Clara Bezerra Cavalcanti. São os avós de João Sales e pais de FRANCISCO SALES PINTO, conhecido como Chiquinho de Geraldo do Casado.

F.06- IGNÁCIA VICENTINA DA COSTA - Casada com BRAZ HOLANDA DA COSTA.

F.07- MARIANA VICENTINA DA COSTA - Casada com Francisco Lourenço da Costa.

F.08- MARIA VICENTINA DA CONCEIÇÃO: É a mesma Maria Francisca da Conceição, falecida no sítio "Casado" a 10.10.1932,aos 34 anos de idade, deixando o viúvo JOÃO MACHADO DA COSTA e os filhos FRANCISCA, ANTONIO, JOÃO e MARIANA.

SOBRE O SR. ANTONIO DOS REIS MAGOS DA COSTA, conhecido popularmente como Sêo ANTONIO DO CASADO, veio a casar com dona SEBASTIANA NOGUEIRA DA SILVA (dona Santoza), filha do velho Simão Nogueira da Silva, e foram pais de numerosa prole, destacando-se o ex-prefeito Simão Nogueira. A respeitável e renomada poetisa e historiadora MARIA AUXILIADORA DA SILVA MAIA (Dodora de Tião Lúcio) traçou o perfil biográfico de sêo ANTONIO DO CASADO, num retrato emoldurado pelas seguintes palavras: "... ANTONIO DO CASADO constituiu-se num capítulo à parte. Ele não foi um homem de grandes riquezas, mas teve um relevante papel na geração de emprego e renda, em Apodi. Nasceu no sítio "Casado" e com o portentoso nome de ANTONIO DOS REIS MAGOS DA COSTA, passou a ser conhecido como Antonio do Casado. Mudou-se para uma pequena propriedade no vale do Apodi, onde iniciou sua vida no cultivo da carnaubeira. Além da colheita em sua propriedade, Antonio do Casado, no período da safra, arrendava outras tantas pequenas propriedades e colhia muito pó de carnaúba. Posteriormente veio para a cidade e montou, no quintal de casa uma pequena e rústica indústria para prensar a cera de carnaúba. Nessa atividade, Antonio do Casado empregava centenas de pais de família, se constituindo, naquela época, como o maior empregador do município de Apodi. Por oportuno convém lembrar que Antonio do Casado era um homem generoso; sua casa era o abrigo certo dos pastores protestantes que, nos áridos caminhos do Oeste, enfrentavam uma forte rejeição à pregação do evangelho. (FONTE: Vide livro "LAJEDO DE SOLEDADE (Historia de) UM POEMA DE PEDRAS". Autora Maria Auxiliadora da silva Maia - Fundação Vingt-Um Rosado e Coleção Mossoroense - série C - vol. 1392 - Outubro de 2003)..

Grande tem sido a contribuição da família CASADO ao desenvolvimento econômico e social do município de Apodi, composta por homens e mulheres laboriosos. Tem seu nome amalgamado na geografia humana da região Apodiense.

Enviada por Marcos Pinto - Advogado e presidente da AAPOL - Academia Apodiense de Letras.

Nenhum comentário: