Pesquisar neste blog

sábado, 15 de dezembro de 2018

Sociólogo apodiense lança livro sobre times de futebol amador em comunidade de Várzea Grande MT

Copiado do site RepórterMT
A obra é fruto da pesquisa do deputado Allan Kardec e de seu orientador, professor Francisco Xavier

ANA CRISTINA VIEIRA DA REDAÇÃO


O sociólogo do esportes Francisco Xavier destacou que para se tornar um jogador de futebol profissional tem que passar pela escolinha.

Em entrevista ao site RepórterMT, o sociólogo Francisco Xavier, professor doutor do Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFMT e líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Esporte, Cultura e Sociedade (Gepecs) CNPQ/UFMT, explicou sobre as pesquisas realizadas pelo professor e deputado Allan Kardec (PDT), que substanciaram o livro "O futebol de Várzea na comunidade São Gonçalo Beira Rio". A obra será lançada neste sábado (15) pela Editora EdUFMT, a partir das 19h, na Casa Barão de Melgaço, localizada na Rua Barão de Melgaço, número 3.869, Centro de Cuiabá.

Segundo o professor, o livro aborda as disputas travadas pelas tradicionais equipes que marcaram o esporte amador na região nos anos 80 e 90, principalmente das disputas travadas pelas equipes Milionários Futebol Clube e São Gonçalo Beira Rio Futebol Clube. “Essas partidas reuniam a comunidade na torcida, ocorrendo durante os finais de semana, marcando a vida cultural da região”, contou.

Na entrevista, o sociólogo explicou sobre como se constrói o valor de um jogador de futebol. "Futebol é um projeto de vida, uma outra via de ascensão social, como a música, as artes, mas não é fácil, a peneira para se tornar um jogador de futebol é muito difícil", analisou.

O professor esclareceu sobre a teoria do dom, de que o menino já nasce com talento e não precisa de escola de futebol, o que é um mito. "Hoje em dia para se tornar um jogador de futebol profissional é necessário passar pela escolinha", acrescentou Francisco, trazendo exemplos como Leandro Damião, um analfabeto futebolístico, e Zico, o primeiro jogador de laboratório do Brasil.

Pesquisas indicam que o interesse do brasileiro por futebol diminuiu. "A população brasileira chora cada vez menos quando perdemos uma Copa", afirmou. 

Ele também comentou sobre a briga entre torcidas na final do peladão deste ano.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Projeto É Natal no Sertão do Apodi acontece agora em Dezembro



A segunda edição do projeto É Natal no Sertão do Apodi está chegando!

Venha se divertir, se emocionar e conhecer mais sobre a nossa cultura e história. 
O projeto sociocultural que foi destaque no ano passado terá início no próximo dia 10 de dezembro e seguirá até 06 de janeiro. Você é nosso convidado especial!

Programação:
Cidade Natalina - 10/12 a 06/11
Caravana Natalina - 14/12 a 27/12
Natal das Crianças - 25/12

sábado, 1 de dezembro de 2018

Igreja Batista de Apodi celebra 56 anos hoje e amanhã

Alegremente  louvaremos juntos ao Senhor pelos 56 anos de aniversario da Igreja Batista de Apodi nos dias 01 E 02 de dezembro de 2018- Sábado e domingo (Hoje e amanhã)
Gostaríamos  de ver você  nesta ocasião.
Cordialmente em Cristo,Família Batista de Apodi.

Em comemoração aos seus 55 anos de existência, STTR do Apodi/RN realiza seminário.

Na manhã desta sexta-feira (30), mais de 150 camponesas, camponeses, lideranças comunitárias, dirigentes sindicais, organizações que atuam no meio campesino de Apodi e da região se reuniram na sede do STTR do Apodi/RN para debaterem sobre o seminário MOVIMENTO SINDICAL: Desafios e Perspectivas.

O seminário foi realizado justamente no dia em eu o STTR do Apodi/RN está completando 55 anos de sua fundação. A mesa de debate contou com a colaboração do Secretário adjunto de relações com os movimentos sociais da CUT, Milton Rezende (Miltinho); de Eliete Vieira, Secretária do Meio Ambiente da CUT-RN; de Marleide Cunha Presidenta do SINDISERPUM e de Gilberto Diógenes que também é dirigente do SINDISERPUM. Todas as falas contribuíram para uma análise sobre a conjuntura atual trazendo elementos de uma visão macro até as questões locais.

A atividade articulada pelo STTR-Apodi/RN contou com o apoio da CUT Socialista e Democrática – CSD, que corresponde a uma corrente sindical da Central Única dos Trabalhadores – CUT.

Veja fotos: 







Relato da professora Mônica Freitas sobre experiências do processo de ensino-aprendizagem

Por Mônica Freitas

Trabalho em 4 escolas regidas pela SEEC/RN. E nesta última semana de novembro, em duas das escolas que trabalho, participei de exposições que para mim representam experiências exitosas no processo de ensino-aprendizagem.
A primeira exposição ocorreu na E.E professora Maria Zenilda Gama, onde, nas turmas de 3° ano trabalhamos com os alunos, a temática indígena, a partir de dois projetos: As idas e Voltas dos Tapuia e Exposição Cultural A Herança Tapuia.
As Idas e Voltas dos Tapuia é uma peça teatral narrada por uma pessoa e representada pelos alunos caracterizados de Índios Tapuia Paiacu, povo originário do município de Apodi (nome Indígena). A história narrada culmina com o massacre dos índios na Serra de Portalegre, que após rebelião liderada por Luiza Cantofa (assassinada após fuga) e João do Pêga (fuga sem roteiro), separa a história da existência e da resistência vivida por esse povo, entre os séculos XIX e XXI. A conclusão da narrativa é a pontuação da reelaboração da cultura indígena no município de Apodi a partir da criação do Centro Histórico Cultural Tapuias Paiacus e do Museu Luiza Cantofa.

Nas fotos a seguir vemos imagens das duas exposições.