Pesquisar neste blog

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Tardes (I) - Aluísio Barros

Só, como a tarde
Sinto o caminhar
apressado
do homem,
na volta pra casa;
a angústia do bolso vazio,
do ronco faminto do menino,
da barriga pedindo pra jantar...

Anjo Torto - Aluísio Barros de Oliveira 

Nenhum comentário: