Pesquisar neste blog

sábado, 10 de maio de 2014

Poema da separação - Aluísio Barros

Agora que existe um silêncio
- Fosso que corta
o que antes era lavradura –
tua presença me invade
e és mais presente que antes.

E teus olhos estão tão dentro dos meus
que me desencanta o que antes era
e me entontece o que nunca existiu.

E tuas palavras ardilosas
me saem de maneiras tão próprias
que não sei de mim sem antes
de ti tudo falar.

Entranhado em mim eu te carrego
pelos quatro cantos
do resto da cidade escavado em nós.

"Anjo Torto"
Aluísio Barros de Oliveira 

Nenhum comentário: