Pesquisar neste blog

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

À minha amada imortal - Paulo Filho Dantas

“Nada posso da vida fazer
Se a insustentável leveza
É tão somente pura beleza
Contida em cada si do ser

Nos confina todo o pensamento
Fazendo nos buscar pelo ideal
Imenso espalhado no imortal
É feliz de um raro sentimento.

Banha-me a vida em canto,
Alicia vento rosto em pranto,
Celebrai comigo tamanha dor.

É minh’alma reclamando ausência
Devanas crises de consciência,
Chorando a partir de um amor’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho

Nenhum comentário: