Pesquisar neste blog

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Amar que amo - Paulo Filho Dantas

“Amar que difícil amar,
Entregar-se por completo
Corpo e alma sem preconceito
Esquecendo dos segredos além-mar

Mas complicado amar amando
Alguém de verdade só seu,
Tocá-la, senti-la e abraçar
O corpo honrável chamado

Por amar seu amor sincero,
A qualquer horário incerto,
Despreocupado com o tempo
Que percebe um perfume esmero

Descobrindo amar quem amou,
Num dia quente ou numa
Noite fria nua e impassível
Toda possibilidade que marcou

O amar mais sublime amado
Que não consegue corresponder
De momento todo sentimento
Envolvido num coração afogado

Por amar sem medidas, mas ama
Sem fugir da sombra cinza,
Da verdade crua em sangue,
Escrita por lágrimas na quente cama’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho

Nenhum comentário: