Pesquisar neste blog

sábado, 28 de dezembro de 2013

Devir - Paulo Filho Dantas

“Os dias de juízo
Espantam todo o bem
Convidando ao prejudico
Os males que contém

As cidades da beleza
Escondem ruas vazias
Chorando uma tristeza
Querendo suas alforrias

É destruição humana
Prevista pela cigana
Profecia do devir

Ser e não ser
Têm infinito viver
Não se pode fugir’’.

"Caminhos do Meu Ser"
Paulo Dantas Magno Filho

Nenhum comentário: