Pesquisar neste blog

quarta-feira, 2 de abril de 2014

O amor - Aluísio Barros

Não havia estrelas no céu
nem lua singrando mares bravios:

A noite estava escura e chuvosa
um vento ameaçava nossas palavras:

Uma coruja apressada murmurou lamúrias
que iluminaram repentinamente o nosso medo:

Não estávamos sozinhos – apesar do medo
e da ausência de Lua e estrela:

- Encontrávamo-nos repletos de nós mesmos.


"Anjo Torto" - Aluísio Barros de Oliveira 

Nenhum comentário: