Pesquisar neste blog

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

(In)certeza - Maria Luiza

Você...
Ah, como posso
definir-te
se significas
tanto
para mim?
Como explicar
algo
que as palavras
são mínimas
para conceituar
extremar?
Você...
como descrever
a beleza
de seu sorriso
contagiante
matreiro
vibrante?
Como compreender
absorver
sorver
as suas facetas
misteriosas
caladas
estrondosas?
Você...
Como encontrar justificativa
convincente
condizente
coerente
para traduzir
o amor
que com fervor
pulsa junto comigo
calado
extrovertido
(des)iludido?
Ah, você...
será que
um dia
na tempestade
ou calmaria
perceberá
a dimensão do
que verdadeiramente
sinto?
Muitas vezes
provando absinto,
essa erva
amarga
que eu trago
e tem gosto
de dor
dissabor.
Mas ai
chega você.
a dor
o odor
o amor
a nessa mistura
(Que loucura!)
se esquece
se desvanece
e aquece
a chama
que nos chama
a começar
recomeçar
na (in)certeza
do futuro
que nos espera
nos espreita
com ou sem
suspeita
do que seremos
amanhã...

Nenhum comentário: