Pesquisar neste blog

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A entrevista sobre o lixo - Deusinha

Eu tinha conhecimento
Do que era poluição
Mas não fazia uma ação
Pra o meio ambiente ajudar
Era pra eu preservar
Até então nada fazia
Vendo a natureza chorando
E sofrendo de agonia .

Minha gente eu percebia
Que algo ainda faltava
As vezes me questionava
Nem tudo eu fazia correto
Meu lixo não estava certo
Um problema a se repetir
Sabia que estava errada
E não tomava iniciativa pra agir.

Eu sempre a me omitir
Deixando o problema crescer
Continuava a fazer
Pouco pelo meio ambiente
Mas Deus mandou de repente
Um anjo pra me acordar
Abrindo a minha mente
E meus olhos pra enxergar.

Mandou uma mulher pesquisar
Na minha comunidade
Era de outra cidade
Pediu licença pra me interrogar
Eu mandei ela entrar
Com educação se apresentou
Desse pra que órgão trabalhava
E eu a recebi com amor .

Primeiro ela me perguntou
Se eu tinha conhecimento
Sobre a preservação do meio ambiente
E o que o lixo causava as pessoas
Eu dei uma resposta boa
Sem mentira descarada
Fui respondendo a verdade
E me sentido angustiada .

Olhou minha casa arrumada
Perguntou você faz o que?
Com seu lixo, pode me dizer?
Eu respondi: jogo fora
Ela perguntou e a senhora
Sabe quem são os responsáveis pela poluição?
Respondi: a humanidade
Ou seja toda nação.

Ela disse: aqui na sua região
Tem um senhor que compra pra fazer reciclagem
O que faz das suas embalagens?
Eu disse: misturo com o lixo e boto num saco
E deixo lá num buraco
Que ao céu aberto está
mas eu tenho consciência
que eu devia reciclar.

A moça continuou a falar
Perguntou a minha idade
Respondi com sinceridade
Tenho 43 anos exato
São quantas pessoas de fato?
Nesta residência aqui?
Eu disse: são 4 pessoas
Eu, e aquelas 3 alí.

Antes dela sair
Perguntou qual seu grau de instrução?
Me envergonhei na ocasião
Pois eu não fazia nada
Mesmo sendo informada
Nem uma palha eu movia
A favor da natureza
Que a minha ajuda pedia.

Ainda tirou minha fotografia
No final da entrevista
Não me senti uma artista
Me senti lixo na hora
Quando a mulher foi embora
Fiquei triste sem alegria
Então resolvi mudar
A partir daquele dia.

Comecei a fazer poesias
A favor do meio ambiente
Veio inspiração prá mente
E bondade pro coração
E naquela ocasião
Percebi toda beleza
E que a nossa sobrevivência
Vem da linda natureza .

Fui trabalhar com firmeza
O lixo já fui separando
A água economizando
A luz só de noite ligada
Ficarei gratificada
Se você fizer sua parte
Já estou fazendo a minha
Agindo e através da arte.

Deusinha: Poetisa popular de Córrego, Apodi - RN
2008.

Nenhum comentário: