Pesquisar neste blog

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Partiu o humorista do século "Chico Anysio - Raimundo Pinto

Artigo nº 02/2012
Apodi-RN, 04 de Abril de 2012

RAIMUNDO MARINHO PINTO
(Esmiuçador de Biografias e de fatos históricos).

O humorista que criou 209 tipos, reinou absoluto na audiência e impregnou o DNA da comédia brasileira. Nascido em 12 de Abril de 1931 em Maranguape, no interior do Ceará, ele se mudou com a família para o Rio de Janeiro aos 8 anos de idade, depois que a empresa de ônibus de seu pai foi a falência. Chico Anysio se casou seis vezes e teve sete filhos biológicos- nenhum dos quais com sua última mulher, a produtora gaúcha Malga Di Paula, 39 anos mais jovem. Anysio fazia questão de ressaltar que seu rebento que mais lhe dava orgulho era outro: Rodrigo, de 19 anos, dois filhos com a ex ministra Zélia.

Ingressou no rádio aos 16 anos, após vitórias em concursos de calouros. Por uns bons tempos, atuou como segundo galã nas rádionovelas. Até o dia em que um chefe decidiu transferí-lo para produção dos programas de humor da emissora em que trabalhava. Entre o fim dos anos 50 e a década dos anos 90, ele incorporou 209 tipos de personagens que até hoje povoam a memória dos espectadores, de Justo Veríssimo, político corrupto que odiava seus eleitores pobres, o Bento Carneiro, o autoproclamado “Vampiro brasileiro”, que, em contraponto a seus sedutores da Transilvânia, era feioso e molenga.

O mais bem sucedido desses tipos (personagens) remetia ao ambiente colegial das primeiras intenções de seu criador- o mestre Turrão que comandava a escolinha do professor Raimundo com atração de sucesso entre 1990 a 1995. Chico Anysio deu visibilidade a novas expoentes do humor, como Tom Cavalcante, além de resgatar artistas da velha guarda como WalterD´AVila (1911-1996). Atingiu ai o auge não só no ibope, mas também como celebridade capaz de galvanizar o país com sua vida de alcova: foi durante uma gravação do programa que ele conheceu e se apaixonou por Zélia Cardoso de Melo, a ex-ministra da economia responsável pelo confisco da poupança da nação durante o infame plano Collor, que seria destronada após se expor em patético affaire com o também (e homem casado) Bernardo Cabral.

No início dos anos 90, em Brasil redemocratizado, Chico Anysio era onipresente da Globo.

CARAS E CARETAS. Os tipos mais marcantes da carreira de Chico Anysio: 1 Bozó: 2 Justo Veríssimo; 3 Salomé; 4 Nazareno; 5 Painho; 6 Popó ; 7 Azambuja; 8 Alberto Roberto; 9 Bento Carneiro.

Chico Anysio morreu mas a televisão vai continuar impregnada de seu DNA.

O reinado de Chico Anysio como o coronel do humor da Globo atravessou o regime militar.Com seus personagens, ele não se furtou a comentar questões incômodas ao regime militar. Nos anos 70, aludiu de forma velada ás declarações de opositores ás forças da repressão e ironizou o chamado milagre econômico por meio das músicas da dupla Baiano & Os Novos Caetanos. Mas o humor de Anysio nunca chegou a ser como verdadeiramente incômodo pelos generais-presidentes.

O comediante morreu na sexta-feira, dia 23-03-2012, aos 80 anos, após lutar por quinze meses contra complicações de saúde iniciadas por uma obstrução coronária. Entre entradas e saídas no hospital Samaritano, na zona sul do Rio de Janeiro, ficou 228 dias internado.

Chico Anysio foi um dos maiores artistas do mundo no patamar do outro gênio Charles Chanplin. Ele não morreu, ele foi fazer humor, contar piadas, o seu humor continua lá no céu. Você é o cara de século. Você é eterno, Valeu Chico.

Nenhum comentário: