Pesquisar neste blog

domingo, 19 de abril de 2015

O dia em que Jesus puxou uma faca - Por Marcos Pinto

Seu Chico de Domingos Tito

Semana Santa chegando e eu me lembrando deste cômico “causo”. Parece estranho e estapafúrdio, mas foi verdade. Só que o acontecido deu-se em espetáculo circense. Não é à toda que toda cidadezinha que se preza(diminutivo com conotação lírico-sentimental) tem os seus presepeiros, e, em assim sendo, a minha querida Apody não poderia escapar de tal evocação. 

É costume, neste sertão de meu DEUS, referir-se a alguém chamando-o pelo nome seguido pelo nome do genitor, que às vezes também é seguido pelo nome do pai do pai do referido. Por exemplo, sou conhecido em Apody como Marcos de Geraldo de Aristides Pinto. Poartindo dessa típica lembrança de costume tradicional, é que chego ao personagem central deste artiguete – o esquálido CHICO DE DOMINGOS TITO, por sinal meu parente. 

A chegada de um circo em cidades interioranas constitui-se, não raro, em motivo de alegria para o povo, em especial para a criançada, sempre pronta em acompanhar o palhaço com pernas de pau, à troco de entrada gratuita no espetáculo noturno. Há cerca de 30 anos, não é que o Chico entendeu de acompanhar o circo que saia de Apody rumo à Felipe Guerra/RN. o referido circo exibia uma peça teatral que tinha como título “PAIXÂO, VIDA E MORTE DE JESUS CRISTO”. 

Ocorre que o levou Chico a seguir o circo como um dos seus integrantes fora o fato de que o mesmo enamorara-se com uma moça que trabalhava no elenco da peça teatral e que, aliás, antes de namorar Chico, nutrira amores com o ator que desempenhava o papel do soldado que açoitava Jesus, rumo ao calvário. Pois não é que na hora exata de Jesus entrar em cena, verificou-se que o mesmo encontrara-se nocauteado por um homérico porre. De imediato lembraram-se de substituírem-no por Chico, talvez devido a sua magreza. 

Espectadores atentos e emocionados ante a cena comovedora em que Jesus era crucificado para a seguir carregar a cruz. Nesse momento houve inicio à tragicomédia. O ator que fazia o papel de soldado, revoltado porque perdera a namorada para Chico, transferiu sua ira para o chicote. Logo na primeira chicotada o Chico retorceu-se todinho, seguindo-se nova lapada no espinhaço, provocando novo retorcimento. Percebendo que o ator-soldado exacerbava como vingança, eis que, não mais que de repente Jesus jogou a cruz no chão e, incotinenti, puxou uma faca que trazia na cintura. Plateia em completo alvoroço, exclamando em uníssono – Vixe! Jesus puxou uma faca!
Desnecessário dizer que o corre-corre foi geral, ante o inusitado, culminando por Chico ser contido pelos colegas de circo, isto após correr atrás do soldado. Ainda hoje dizem que foi o melhor circo que “baixou” em Felipe Guerra. 
E assim desvirtuaram a comovente histórica bíblica. 

Mossoró, 31.03.98
Por Marcos Pinto 

3 comentários:

Anônimo disse...

Por que "Apody"?

Anônimo disse...


Porque antes da nova ortografia o nome de Apodi iniciava-se com a letra Y.

Marcos pinto disse...


Até o ano de 1940 na ortografia oficial o nome de Apodi terminava com a leta Y.