Pesquisar neste blog

sábado, 31 de janeiro de 2015

Sítio Bamburral


A primeira denominação do sítio "BAMBURRAL" era "BAMBURRAL DOS DEFUNTOS", denominação toponímica que perdurou até o ano de 1907. . O primitivo referencial atrela-se a um fato histórico que remonta ao ano de 1809. A transferência dos transferência dos indígenas do Apodi para a serra de Portalegre, ocorrida no dia 12 de Junho de 1761, sob forte escolta militar, gerou uma contínua revolta destes, que nunca se conformaram em ter que deixarem suas terras de origem. Deu-se o auge da revolta no ano de 1809, em que os indígenas assolaram a ribeira do Apodi, oriundos da jurisdição de Portalegre, capitaneados pelo cabecilha JOÃO DO PEGA, assim chamado por ter vivido anteriormente no sítio do "Pega", local distanciado cerca de quatro quilômetros da então Vila de Portalegre.

As tropelias e correrias causadas pelos indígenas nas terras que situavam-se entre a margem direita da lagoa até os sítios "Santa Rosa", e "Bamburral", atacando os rebanhos bovinos para assenhorearem-se de reses, as quais matavam indiscriminadamente para saciarem sua fome, desencadeou um clima aterrorizante entre os fazendeiros daquelas paragens, que reuniram-se para coibirem a danosa prática do roubo em suas fazendas. Nesta empreitada, destacaram-se os fazendeiros CAETANO GOMES DE OLIVEIRA (Origem da família dos Caetanos), FRANCISCO XAVIER DA COSTA, JOSÉ JOAQUIM DE AMORIM, INÁCIO PEREIRA LONTRA, VICENTE FERREIRA DE SOUZA, AGOSTINHO PEREIRA DE OLIVEIRA, JOSÉ DE JESUS DE OLIVEIRA (Origem da família PINHEIRO) e seus filhos JOSÉ FRANCISCO PINHEIRO e JOÃO JOSÉ DE JESUS; MANOEL PEREIRA DO ESPÍRITO SANTO, MANUEL FERNANDES CAMPOS (Origem da família dos "FONOM"), MANUEL PEREIRA CASADO, que reunidos aos seus escravos e outros, cercaram o chefe João do Pega e seus comparsas na "Lagoa do Bamburral". Fica tal lagoa à distância de uns oito quilômetros  de Apodi, ao nascente da mesma.

Cercados os indígenas - ladrões de gado, travou-se violento combate, tendo sido abatidos nove tapuias paiacus,tendo falecido três integrantes do grupo repressor. Os fazendeiros Caetano Gomes de Oliveira, Inácio Pereira Lontra, Agostinho Pereira de Oliveira e Manuel Fernandes Campos saíram feridos da refrega. Em poder do bando indígena existiam três reses roubadas,além de ter sido encontrada uma grande quantidade de carne seca. Os mortos foram enterrados à sombra de uma frondosa oiticica, situada à margem direita da lagoa. Provavelmente ainda existem as pedras colocadas sobre as sepulturas, lembrando aqueles mortos. Segundo o historiador NONATO MOTA, aquelas pedras continuavam ali, 114 anos depois do episódio.

A partir deste ano de 1809 o local do embate ficou sendo conhecido como "BAMBURRAL DOS DEFUNTOS", cuja denominação encontra-se firmada em um processo que trata de questão de limites de terras entre os Srs. JOSÉ FRANCISCO PINHEIRO (O segundo deste nome e filho do 1º) conhecido popularmente como ZUZA PINHEIRO, nascido no sítio "Sonharom", no ano de 1856, e os irmãos JOSÉ MOREIRA DE SOUZA e ANTONIO MOREIRA DE SOUZA, cuja questão travada na justiça teve início no ano de 1903, terminando em 1907. O sítio "Bamburral" está encravado na antiga "DATA DE SOBRA DO RAMALHO",como era conhecida aquelas férteis terras, sendo certo que esta DATA DE SESMARIA foi concedida ao português JOSÉ RAMALHO DO ESPÍRITO SANTO (Origem da família Ramalho,espalhada na várzea do Apodi, Felipe Guerra e Sítio Mariana) em 13 de Agosto de 1783. (FONTE: SESMARIAS DO RN - 4º Volume - Coleção Mossoroense/ FVR - Março de 2000).

Considerável extensão desta DATA DE SOBRA pertenceu ao Capitão JOÃO FREIRE DA SILVEIRA, na demarcação que fez em suas terras no ano de 1855, onde colocou um marco no dito lugar "BAMBURRAL DOS DEFUNTOS". Por ocasião da perícia no terreno em questão entre ZUZA PINHEIRO e os irmãos JOSÉ e ANTONIO MOREIRA, os peritos José Ivo de Souza e Hermino Tolentino Alves de Oliveira (Avô do velho Lalá e de sêo Altino Dias) foram perguntados pelo Juiz de Direito, "Se o sítio denominado "Lagoa do Bamburral" ou "Bamburral dos Defuntos" é encravado na " DATA DE SOBRA DO RAMALHO" , tendo os referidos peritos respondido "Que observando os marcos da ilharga da "DATA DE SESMARIA DO BOQUEIRÃO" de norte a sul, foi esta fazer triângulo com a ilharga da "DATA DE SESMARIA SANTA ROSA", tirada de nascente a poente, e dentro deste triângulo está a a "DATA DE SOBRA DO RAMALHO", e dentro desta última "Data de Sobra" acha-se o sítio denominado de "Lagoa do Bamburral dos Defuntos". (FONTE: Processo Judicial de Demarcação de terras - fls. 24 - 1º Cartório Judiciário de Apodi).

Por Marcos Pinto - historiador e advogado apodiense.
Blog Potyline de Antonio Praxedes Filho 

Nenhum comentário: