Pesquisar neste blog

terça-feira, 17 de junho de 2014

Chegada ao novo milênio - Manoel Georgino

Depois que aqui chegou
A PETROBRÁS afamada
Tudo na vida mudou
Com muita gente empregada
Ainda patrocinou
Um museu e instalou
Lá no alto da Chapada

Hoje se vê conservado
O valor que sempre trás
O nosso antepassado
O presente e ainda mais
Um futuro planejado
E também patrocinado
Pela nossa PETROBRÁS

Outras coisas chegarão
Para dar vida a cidade
Mas para o cidadão
Nunca chega novidade
É sempre exploração
Desemprego e humilhação
Pra toda a comunidade

De um certo tempo pra cá
Só falam de inovação
Prometem tudo mudar
Inclusive a educação
Mais continuam a pintar
As calçadas no lugar
Pra fazer enganação

É prédio remodelado
Como símbolo de mudança
É povo desempregado
Achando que a vida é mansa
É projeto encalhado
E político acomodado
Só prometendo esperança

Isso não faz diferença
Pra quem só quer enganar
E que no mundo só pensa
O dinheiro não dispensa
Põe o eleitor numa prensa
E continua a ganhar

Quando a eleição se aproxima
Repete a situação
Com o dinheiro lá de cima
Liberado pra nação
Compram muita roupa fina
E o povo não imagina
Que do voto fez leilão

Com isso vira ironia
A política brasileira
Que pra nação deveria
Fazer mudança inteira
E dar uma vida sadia
Pra essa gente um dia
Ter educação verdadeira

Agora com a Barragem
Imensa de Santa Cruz
Que irrigará toda a margem
Do rio que nos conduz
A riqueza e a paisagem
Do vale que é a mensagem
De um Apodi que produz

Esperamos que riqueza
Sirva para o carente
E não só para a nobreza
Que ganha mais que a gente
Precisamos ter certeza
Dessa fartura na mesa
Do pobre que é quem mais sente

Se assim se proceder
A vida vai melhorar
E todos vão merecer
Terra para trabalhar
Pra nunca mais esquecer
Que é muito bom viver
Para poder comprovar

Essa será a saída
Do mundo da ilusão
Valorizando a vida
De qualquer um cidadão
Que não quer ver dividida
A nossa terra querida
Que só nos dá emoção

Também tem uma entidade
Que preserva a arqueologia
“Amigos da Soledade”
E dos lajedos que um dia
Guardou a comunidade
Que resultou na cidade
Que hoje prega alegria

É mais uma associação
Que oferece alegria
Buscando a preservação
Da nossa biografia
Ajudando ao cidadão
Entender que uma nação
Foi primitiva um dia

Já pequenos produtores
Criam associações
Que reúnem agricultores
Como agremiações
De sítios dando rumores
Com técnicos e instrutores
Para várias plantações

Plantam tomate, melão
No sistema rotativo
Arroz, milho e algodão
Com adubo alternativo
Através de mutirão
Asseguram a plantação
No trabalho coletivo

São muitos assentamentos
Na Chapada do Apodi
Buscando melhoramentos
Pros filhos que vão surgir
Os vários financiamentos
Servirão de instrumentos
Para poder produzir

Agora foi conquistado
No campo educacional
O nosso campus avançado
Trazendo o terceiro grau
Ao estudante esforçado
Que quer seu nome aprovado
Após o colegial

Depois de tanta embolada
É que pretendo encerrar
Com tanta gente animada
Não sei se é por gostar
Desta história rimada
Muito bem organizada
Que ao fim vai chegar

Ao povo aqui presente
Mais um conselho vou dar
Que todos tenham na mente
Vontade de estudar
Chamamos de consciente
Qualquer cidadão que sente
Vontade de transformar

E assim prossegue a vida
Só com problemas no ar
É muita gente sofrida
Sem conseguir estudar
E ainda mais esquecida
Por uma minoria munida
De armas pra atacar

"Ensaios Poéticos" - Manoel Georgino do Carmo 

Nenhum comentário: