Pesquisar neste blog

domingo, 5 de janeiro de 2014

Albaniza Diógenes Pinto - parteira

ABALNIZA DIÓGENES PINTO, filha de Neutel Diógenes Paes Botão e D. Francisca Genes Pinto (D. Titica). Nasceu no dia 04 de setembro de 1927 em Iracema – CE. Iniciou sua vida profissional como recepcionista no Posto de Saúde de nosso município. Concluiu o curso de Auxiliar de Maternidade e logo em seguida atuou como parteira domiciliar. 

Atendia gratuitamente na zona rural de Apodi – RN e nas cidades de Itaú, Severiano Melo e Rodolfo Fernandes. Nestas, também trabalhou na fundação SESP. Casou com Pedro Manoel da Costa (Pedro Inglês) com quem teve dois filhos Aldo e Socorro. Durante 18 anos, D. Albaniza prestou serviços a Maternidade Claudina Pinto onde desenvolveu as seguintes funções: tesoureira, parteira, auxiliar de enfermagem e responsável pela farmácia. Incansável na sua luta em prol da vida. D. Albaniza nunca deixou de atender, na medida do possível, quem a procurasse. É um grande exemplo de amor a vida e por suas mãos nasceram centenas de crianças. 

Ardorosa defensora da vida, apesar de todos os êxitos colhidos na sua triunfal carreira, viu muitas das crianças nascidas pelas suas mãos padecerem em meio a miserabilidade que devastava o nordeste brasileiro, cuja taxa de mortalidade infantil nas décadas de 1960/1970 atingia índices assustadores. 

Também é testemunha ocular de um período negro vivido pela saúde pública brasileira o da carência de equipamentos hospitalares. Nesta precariedade, época em que não havia mesa cirúrgica em nosso município e a gestante necessitava ser cirurgiada, era preciso conduzi-la com rapidez a outro centro. Atendia, a família da mulher em gestação, improvisava um veículo. Nestas ocasiões, a brava parteira tornava-se “furiosa”. Não obstante, equipada com tesoura, esparadrapos e gases metia-se dentro do JEEP quatro portas ou da picape FORD e acompanhava sua paciente, acalentando suas dores com massagens e palavras de esperança, enquanto o veículo que as transportava se arrastava nos buracos rumo a Mossoró. Muitas não resistiam à viagem. Outras, em razão dos atoleiros na estrada, sacrificadamente, pariam dentro do carro sob os cuidados dessa mulher gigante. 

Dona Albaniza Diógenes tem dezenas de afilhados e afilhadas por todo o município de Apodi, frutos de uma atividade que exerceu com amor e abnegação, tornando-se todas às vezes em que atendia as mulheres em serviços de parto, amiga para sempre. 

Fonte: Paisagens Femininas de Apodi - Maio de 2006 - Vilmaci Viana

Nenhum comentário: