Pesquisar neste blog

sábado, 27 de maio de 2017

Deputados Estaduais de Apodi

Deputados Estaduais de Apodi, que representaram o município e a cidade de Apodi na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. 

1.  Tenente-Coronel Elias Antonio Cavalcante de Albuquerque - A Vila e o município de Apodi foram criados em 11 de Abril de 1833 pelo CONSELHO PROVINCIAL - Ainda não existia Assembleia Legislativa. Com a criação desta, no ano de 1835, a mesma só CONFIRMOU a emancipação política de Apodi, em sessão ocorrida a 23 de Março de 1835. Logo que foi Criada a Assembleia Legislativa Provincial, também conhecido como Congresso Legislativo Provincial (Em 1835) Apodi já se fez representar elegendo Elias para o triênio 1835-1837, reelegendo-se duas vezes 1838-1839 e 1840-1841, retornando com a terceira reeleição para o biênio 1852-1853.

2. Padre Florêncio Gomes de Oliveira - Foi eleito no biênio 1852-1853, teve duas reeleições 1854-1855 e 1856-1856;

3. Alexandre Magno de Oliveira Pinto - Foi eleito Deputado Provincial ao Congresso Legislativo Estadual, que é a atual Assembleia Legislativa (Período Monárquico) para o biênio 1862-1863.

4. Sebastião Celino de Oliveira Pinto  - Somente sete anos após Apodi elege outro filho da terra o Capitão SEBASTIÃO CELINO DE OLIVEIRA PINTO, (Capitão Tatão da Ponta) irmão de Alexandre Magno, para o biênio 1870-1871. Novamente o município passa longo tempo sem representante no parlamento estadual, voltando a eleger dois filhos da terra ao mesmo tempo, 17 anos após, para o biênio 1888-1889, os Srs. Capitão SEBASTIÃO CELINO DE OLIVEIRA PINTO e JOÃO NOGUEIRA DE LUCENA SILVEIRA.

5. João Nogueira de Lucena Silveira - (Bisavô de Sêo Chico Paulo (Francisco Paulo Freire). Eleito para o biênio 1888-1889.  

6. Antonio Ferreira Pinto (Coronel Ferreira Pinto) – NO PERÍODO REPUBLICANO Apodi elege o Coronel ANTONIO FERREIRA PINTO para a terceira legislatura e triênio 1895-1897, reelegendo-se sucessivamente 04 vezes, até o ano de 1909 quando faleceu.

7. Coronel João de Brito Ferreira Pinto - Foi eleito Deputado estadual a 19.09.1901 para completar o quinto mandato do seu genitor, o Cel. Antonio Ferreira Pinto. Foi reeleito em setembro de 1913 para o triênio 1913-1915. João Brito foi eleito para o terceiro mandato cumprido durante o triênio 1921-1923

8.  Coronel Francisco Ferreira Pinto (Chico Pinto) - Eleito em 1927 para o triênio 1927-1929, tendo sido destaque por ter sido o único político da região Oeste Potiguar a exercer, ao mesmo tempo, os cargos de Prefeito e Deputado Estadual, conforme permitia a legislação eleitoral da época. 

 9. Cosme Corsino de Lemos - Foi eleito Deputado Estadual representando o município e a cidade de Apodi a 19 de Janeiro de 1947. Esta legislatura promulgou a Constituição Estadual de 25 de Novembro de 1947, quando então o município de Apodi, através de Projeto-de-Lei de autoria do Deputado Cosme Lemos, voltou à condição de Comarca Judiciária, que tinha perdido para Caraúbas, por influência e tráfico de poder do então Desembargador Felipe Guerra no ano de 1931, mancomunado ao seu cunhado Tilon Gurgel, ficando assim Apodi sujeito à Caraúbas, na condição de Termo Judiciário. Em 31 de outubro de 1951 p deputado estadual Cosme Lemos, representante do Apody no Legislativo Estadual, conclui o seu mandato. Eleito que fora para a 17ª legislatura. Segundo o historiador Câmara Cascudo, esta 17ª composição legislativa foi uma das mais sugestivas pela intensidades, nível intelectual e diversão dialética.

10. Dr. Newton Pinto (UDN) – Em 03 de Outubro 1950 Apodi elege o Dr. NEWTON PINTO para o quatriênio 1951-1954. Foi reeleito em 03 de Outubro de 1954 para o quinquênio 1955-1959. Segunda reeleição a 03 de Outubro de 1958 para o quinquênio 1959-1963.

11. Dr. José da Silveira Pinto (Zé Pinto) – Em 31 de Outubro de 1962 Apodi elege o Dr. JOSÉ DA SILVEIRA PINTO. (Dr. ZÉ PINTO) para o quinquênio 1963-1967, reeleito para o quinquênio 1967-1971. 

De 1971 até os dias atuais não elegemos mais nenhum APODIENSE para representar o nosso honrado e histórico município no Legislativo Estadual, fato que se deve à desunião dos Apodienses, que através de seus líderes políticos barganham seus apoios mediante recompensas econômicas. Daí o atraso que atravanca o progresso e o crescimento do município. 

"Se todos nós Apodienses nos unirmos para votarmos em um só conterrâneo, com certeza o elegeremos. Ocorre que existem os tais líderes políticos de 200, 300 votos que fazem opção por vender os seus apoios por algum punhado de reais. Triste, mas é verdade. Tem muito cacique pra poucos índios." - Marcos Pinto. 

Fonte: Marcos Pinto - historiador apodiense

Nenhum comentário: