Pesquisar neste blog

sábado, 30 de novembro de 2013

João Ferreira Leite

JOÃO FERREIRA LEITE, nasceu em Apodi a 25 de Fevereiro de 1878. Bem moço ainda passou a residir em Mossoró onde atuou na loja comercial de seu irmão Salustiano Ferreira Leite (Apodi 07.06.1866/Mossoró 07.12.1900), a quem o substituiu por morte, continuando com a mesma razão social SALULEITE. Era filho legítimo de Simplício da Costa Leite e de Maria Joaquina da Conceição, que passou a assinar-se como Joaquina Ferreira Leite, e que era irmã do Coronel Antonio Ferreira Pinto. 

Casou em Mossoró a 10 de Novembro de 1902 com CRISTINA VERAS LEITE, filha do Coronel Manuel Martins Veras, rico fazendeiro e chefe político em Campo Grande-RN. João Leite teve destacada atuação na Praça comercial mossoroense, tendo sido eleito várias vezes Vereador em Mossoró. Faleceu em Mossoró a 05 de Março de 1949. Era sogro do Dr. Paulo Câmara, irmão do Interventor Federal/Governador Mário Câmara, que dirigiu o executivo potiguar no período 1933-1935. 

Foi um dos ferrenhos adversários dos governadores José Augusto Bezerra de Medeiros e Juvenal Lamartine. Era tio paterno de Luis Ferreira Leite, mentor da morte do Coronel Francisco Pinto. Por sua influência junto ao irmão do seu genro Paulo Câmara o então governador/Interventor Mário Câmara, conseguiu a nomeação do sobrinho Luís Leite para Prefeito de Apodi em Julho de 1933, tendo o mesmo tomado posse a 24.07.1933.

 Quando ocorreu o assassinato do Coronel Francisco Pinto o Luís Leite era o então Prefeito de Apodi, sendo certo que diante todas as evidências de que fora o autor intelectual do hediondo crime, recebeu em Apodi a visita do então governador/Interventor Mário Câmara, passado um mês e três dias, oferendo um lauto almoço, tendo sido objeto de repulsa do povo Apodiense, que viu como uma afronta à Lei o fato do governador vir pessoalmente prestar apoio ao Luís Leite, que era primo legítimo da esposa de Paulo Câmara. 

Diante o repúdio da imprensa estadual, Luís Leite foi demitido do cargo de Prefeito de Apodi a 16.07.1934, tendo passado o cargo para o Tenente Abílio Campos a 17.07.1934, dois meses e 12 dias após o assassinato político do grande líder Apodiense.

Fonte: Marcos Pinto - historiador apodiense 

Nenhum comentário: