Pesquisar neste blog

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Sebastião Sizenando - ex-prefeito

SEBASTIÃO SIZENANDO DE SENA E SILVA, vulgo “Sebastião de Dino’’, natural de Apodi, nasceu no dia 27 de maio de 1833, filho de Bernardino Sizenando Aires de Sena e Lima e de Inocência Felícia da Conceição, conhecida pela alcunha de Maezinha. Era casado com Odília Amélia de Sena e Silva, com os seguintes filhos: José Sizenando de Sena e Silva, Josué Sizenando de Sena e Silva, Maria de Lourdes de Sena e Sizenando, Raimundo Sena, Inocência Sizenando, Amélia Sizenando, Ilaura Sizenando de Sena, Maria Sizenando e Manoel Cícero de Lima. 

Quando o bando de cangaceiros comandados por Massilon Leite atacou Apodi em 10 de Maio de 1927 atacaram a Coletoria de Rendas do Estado, tendo sido incendiado muitos documentos, tendo o então Coletor Sebastião Sizenando se evadido do local temendo ser assassinado pelos bandoleiros. Enquanto seguia a liderança política dos Coronéis João Jázimo Pinto e Francisco Pinto ocupou os relevantes cargos de Delegado de Polícia, Coletor Estadual de Rendas, Juiz de Paz.

Com o golpe getulista de 03 de Outubro de 1930, sem nenhuma justificativa plausível rompeu com a sua facção política liderada por Francisco Pinto, não tendo recebido o tratamento que esperava da facção oposicionista à família Pinto, passando ao ostracismo, o que o fez viajar ao Amazonas trabalhar em um seringal, tendo retornado à sua terra natal acometido da insidiosa doença malária, que extinguiu a sua vida em 23 de Abril de 1942. 

Sebastião Sizenando Sena e Silva foi precedido pelo prefeito Tenente Solon Andrade de Araújo, e  comandou os destinos político e administrativo do Apodi, como prefeito nomeado, no período de 26 de Setembro de 1932 a 09 de Janeiro de 1933, tendo sido substituído pelo célebre chefe de cangaceiros Benedito Dantas Saldanha, de truculenta memória. Sebastião Sizenando foi um dos homens apodienses mais inteligentes de sua época. Foi delegado de polícia, juiz de paz, político e prefeito de sua terra natal. Era detentor da melhor caligrafia de Apodi, em todos os tempos.

Fonte: Marcos Pinto – historiador apodiense
STPM Jota Maria

Um comentário:

Marcos pinto disse...

Do seu relacionamento com a proprietário do principal hotel Apodiense ANÁLIA GOMES DE OLIVEIRA nasceu a primeira mulher brasileira a assumir o magnífico cargo de Reitora,a Professora-Doutora MARIA GOMES DE OLIVEIRA, residente atualmente em Natal-EN.