Pesquisar neste blog

terça-feira, 11 de junho de 2013

Resposta - Paulo Filho Dantas

“Criatura bela
Que comigo dorme
Teu sono vela
Olhar que comove

Pouca madrugada
Para o sonhar,
Triste a alvorada
Sem o teu despertar

Caminha comigo
A companhia desejada
Por mais intrigo
A mulher amada

Mil versos farei
Pensando na poesia
Que um corpo terei
Sedento à fantasia

Em noite tristonha
A lua amarela
Observa enfadonha
Seus olhos à janela

Mexe-me e busca
O espírito querido,
Assanha e assusta
Um desejo perdido

Mais que morra
A solidão indesejada
Sucedente alforria
Fria e calada

Que brilhem os
Teus olhos sós,
Rebusque-s
Neles, apenas nós

O dia que não
E a tarde
Quente ao brasão
Noite em alarde

Sentimento sentido
Por você minha
Coroada ao abrigo
Róseo à tardinha

Sua pele combina
À minha, atração,
Beijar na neblina
Aliciando tua mão

Ao acaricio sedutor
Um sorriso bonito,
Chamado: meu amor
Lhe respondo: Infinito’’.

Copiado do: Caminhos do Meu Ser

Nenhum comentário: