Pesquisar neste blog

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Seus olhos - Paulo Filho Dantas

“Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros
De vido luzir
Estrelas incertas que ás águas dormentes
Do mar vão ferir’’.
(Gonçalves Dias)

“Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros
De vivo brilhar,
Me lembram momentos, bons sentimentos
Me fazem chorar.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros
De vivo sentir,
Me tiram a tristeza, trazendo alegria
Voltando a sorrir.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros
De vivo clamor,
Aquece meu corpo, me deixando louco
Por ti minha flor.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros
De viva paixão
Velam meu sono, seduz minha alma
Dá vida ao coração.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros
De vivo luar,
Vem o vento, começando sereno
Me convidando a sonhar

Ah! Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros
De vivo viver
Trazem na mente o pensar, quando não os vejo
Na certa é sofrer’’.

Copiado do: Caminhos do Meu Ser

Nenhum comentário: