Pesquisar neste blog

sábado, 11 de maio de 2013

Estranha saudade - Paulo Filho Dantas

"Talvez nunca possa em um dia
Conhecer os segredos da tentação
Feminina doce, carinhosa invenção
Dum ser que’m plena nostalgia.

Sentiu no peito estranha saudade
Não de um contrário, avesso
Mas dum complemento, a preço
De solidão que no peito bate.

Ela que por vezes infindável
Desafoga um pensar insondável
Nos escuros becos de minha alma.

Irradia uma visível tristeza
Acabando da juventude toda beleza
Repousando só, amargamente calma’’.

Copiado do: Caminhos do Meu Ser

Nenhum comentário: